Conta Loios

inferências

A(nota)mentos – Barreiro
Recordar Aires de Carvalho

A(nota)mentos – Barreiro <br />
Recordar Aires de Carvalho<br />
Na vida de uma terra, há nomes, por muito que, por vezes, os queiram apagar, ou ignorar, eles, estão vivos e presentes no pensamento de quem pensa o tempo vivido, são nomes que se inscrevem nas memórias, porque são nomes com raízes no tempo vivido.

Nas memórias e nas histórias e estórias de todas as terras se inscrevem nomes, pessoas que nelas agem ou agiram, que serão sempre, por esta ou aquela razão, referências, registos inscritos por dentro do tempo vivido ou que se vive.
E, cada uma dessas pessoas, no seu percurso fez ou faz, amigos, adversários, inimigos, por tudo o que é, por tudo o que foi, por estar presente, por agir, por ser ou por parecer. A vida e o tempo, afinal, vai clarificando.
Há mesmo quem diga, atrás de mim virá, quem, depois, bom de mim fará. Porque na vida há sempre bons e maus. E já vi maus serem, depois, endeusados. E até os que são bons, depois, serem crucificados.

Na vida de uma terra, há nomes, por muito que, por vezes, os queiram apagar, ou ignorar, eles, estão vivos e presentes no pensamento de quem pensa o tempo vivido, são nomes que se inscrevem nas memórias, porque são nomes com raízes no tempo vivido.
É, por isso, apenas por isso, que hoje, dia 10 de Outubro de 2018, recordo Aires de Carvalho.

Aires Manuel Jacinto Carvalho, natural do Barreiro, freguesia do Lavradio, onde nasceu no dia 10 de Outubro de 1952.
Foi militante do Partido Socialista desde 1976, partido ao qual aderiu, segundo as suas próprias palavras, numa entrevista que um dia lhe fiz, porque estava animado de uma vontade de intervir na vida pública.
Foi fundador do Núcleo do Partido Socialista do Lavradio, sendo os dos grandes animadores daquela Secção, tendo assumido a liderança daquela estrutura desde 1982.

Afirmava que nunca lhe tinha passado cabeça que, um dia, iria assumir o cargo de Vereador ou Deputado da Assembleia da República.
Em 1992, assumiu a liderança da Comissão Política do Barreiro do Partido Socialista, cargo que manteve até ao dia da sua morte em 5 de Janeiro de 2003.

Ele, viveu intensamente uma luta politica, afirmando que o “Barreiro não estava condenado a ser gerido infinitamente pelo Partido Comunista”.
Foi com a sua liderança, que o PS, primeiro retirou a maioria absoluta ao PCP/CDU e, depois, conquistou pela primeira vez a Câmara Municipal do Barreiro.
“Aires teve um ideal na sua vida. O seu sonho foi realizado. Aires foi derrubado pela única batalha que não conseguiu vencer” – estas foram palavras emocionadas pronunciadas por Emídio Xavier, presidente da Câmara Municipal do Barreiro, no Cemitério do Lavradio, no momento em que descia à terra o corpo de Aires de Carvalho, no dia 6 de Janeiro de 2003.

Recordar que, no seu funeral marcou presença Mota Amaral, Presidente da Assembleia da República e Nairana Coissoró, vice presidente da Assembleia da República.
Ferro Rodrigues, então líder do Partido Socialista, Paulo Pedroso, António Costa, Alberto Antunes, José Magalhães, Hass Ferrreira, Eduardo Cabrita, Jorge Coelho e muitos outros responsáveis concelhios, regionais e nacionais do Partido Socialista, que acompanharam Aires de Carvalho, da Igreja de Stª Cruz até ao cemitério do Lavradio.
O Lavradio perdeu o seu primeiro e, até aos dias de hoje, o único cidadão da vila eleito para a Assembleia da República. Como alguém dizia – “Aires fez história. Escreveu páginas. Outros, muitos que o criticaram em vida, ficarão como meros rodapés”.

Aires Carvalho, neste ano, que passaram quinze sobre o seu falecimento, merece, de facto, como foi aprovado pela Assembleia Municipal do Barreiro, que o seu nome fique consagrado na toponímia barreirense.
Uma homenagem justa, a um cidadão que lutou pelos seus ideais, fez da politica a sua forma de estar na vida. E quem vive na politica sabe bem como é difícil fazer e viver a vida politica.
Afinal, ele, um foi um politico que tantas vezes ergueu a sua voz para propor nomes e consagrar nomes na toponímia barreirense, para a memória colectiva. Merece, sem dúvida, que a sua terra não o esqueça!
Aqui fica este registo, hoje, dia 10 de Outubro data do seu nascimento. Se estivesse entre nós, de certeza, seriam muitos a festejar os seus 66 anos.

S.P.

10.10.2018 - 14:08

Imprimir   imprimir

PUB.

PUB.





Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design. Fotografia e Textos: Jornal Rostos.
Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.