Conta Loios

inferências

Barreiro - Uma cidade com rostos é uma cidade com vida!
Sim, dava um filme…

Barreiro - Uma cidade com rostos é uma cidade com vida!<br>
Sim, dava um filme…. Patrícia Gaspar Rosto do Ano 2017

Dar rostos à cidade, porque uma cidade é feita de rostos, e de rostos se faz a história de todos os tempos que vivemos.
Foi, afinal, isso que aconteceu, ontem à tarde, sentimos que o Barreiro é uma cidade com Rostos. Muitos rostos…felizes, ali, de coração cheio.

O que aconteceu, ontem à tarde, no Auditório da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro podia ser a sinopse para realizar um vídeo sobre o ano 2017. Um vídeo feito de rostos, de gestos, de sorrisos, de lágrimas. Um vídeo feito de gente, pessoas que sentem o coração a pulsar, ali, no quotidiano quando agem, quando caminham, porque a vida faz-se a caminhar.

Uma cidade feita com Rostos. Ali, a começar à entrada do concelho, como a Naciolinda Silvestre costuma dizer – nós somos a entrada e não a saída do concelho do Barreiro. Ela o Rosto do Ano – Autarca – que se inscreveu na história do Poder Local, como única presidente que nos começos do século XXI, resistiu e manteve a sua relação com a comunidade, de Coina a Palhais, que ela sente como a sua gente.

E, na continuação, encontrar o André Pinotes – o Rosto Politico - que vive com a politica dentro do sangue, que vibrou com a vitória construída, a ferro e fogo, para levar o PS à liderança do concelho. Fazendo história, no bastião vermelho. Esta terra de cultura de Liberdade, de resistência e resiliência.

Depois, saltar para dentro de um pavilhão e escutar os gritos de alegria, os cânticos que encheram as ruas do Barreiro, com o Futsal do Fabril a inscrever, pela primeira vez, uma equipa do Barreiro no escalão mais alto ao nível nacional. Uma vitória feita com o suor de jogadores e com o saber do técnico NANÃ, como é carinhosamente conhecido – o Rosto do Desporto.

Um cidade criativa, uma cidade que faz cultura todos os dias, com pessoas que amam o teatro – Arte Viva - o rosto da Cultura. Ali, onde aprender é descobrir o fazer, num cruzamento de saberes que dão ao Teatro Municipal vida própria, crianças á solta, veteranos dos tempos das caves da Igreja, continuam a sonhar, e, afinal, mesmo a meter água, acreditam que navegar é preciso…

Um vídeo que vai crescendo, agora com a musicalidade da Escola de Jazz do Barreiro, que vai passar a denominar-se Cardoso Ferreira – o rosto da Música – que anima os espaços públicos e abre os neurónios, com notas e ritmos, que fazem sentir a história da cidade, num encontro de gerações.

Sim, de aprendizagem é feita a vida, uma aprendizagem com mais profundidade quando assenta no acreditar no binómio ensino-aprender, esse saber que constrói cidades, promove inovação e desenvolvimento. É isso que orgulha, sentir o ensino superior como parte integrante da comunidade – a Escola Superior de Tecnologia do Barreiro – o Rosto do ano, na área do Ensino.

E, depois, há o outro lado da cidade, dos que carecem de apoios, dos que lutam pela sobrevivência, dos que fazem cidade nos bairros, dos abrem espaços de aprendizagens e sociabilidade, a RUMO – o rosto da Solidariedade Social - essa marca cultural de um concelho que resiste, resiste, sempre resiliente… e não desiste.

Uma cidade que conta com espaços abertos e vivos, fruto do voluntariado, espaços que, poucos se apercebem, contribuem para forjar a coesão social, rasgar as portas á solidão e, simultaneamente, são espaços de aprendizagem de desporto e de cultura.
A SFAL, a mais antiga colectividade do concelho do Barreiro, que celebrou em 2017, os seus 150 anos de vida – o Rosto do associativismo.

Uma cidade feita de rostos, muitos rostos, gente criativa, gente que sonha, gente que luta, ano após ano, décadas, sempre acreditando. Esses são os nossos veteranos, os nossos heróis. Luciano Barata, o rosto veterano, um exemplo de vida, de quem acredita e continua a fazer do poema uma arma de combate… esse sonho por um mundo melhor.

Um filme de vidas, de vidas que estão ao nosso lado e, de vidas que partiram, os tais, como dizia o poeta – não fiques para trás companheiro, porque até os mortos vão ao nosso lado. E estava ali, sorrindo, a discutir, com o seu vozeirão – o rosto Memória – Cabós Gonçalves. Irreverente. Critico. Assim, como ele gostava de viver – a pensar ao contrário.

Uma cidade faz-se hoje, sempre que se constrói o seu futuro no presente. Esse tem sido o papel da S.energia – o rosto do ano Ambiente – alertando para a importância da eficiência energética, para a temática das alterações climáticas. Uma entidade que é um exemplo, real, de como – juntos os municípios chegam mais longe e prestam melhores serviços á comunidade.

Sim, neste fazer cidade, também conta a comunicação, o divulgar, o fazer noticia, o dar rostos à cidade, o construir democracia, porque a democracia é essa flor que erguemos, sempre, que celebramos Abril.
Nuno Santa Clara – o rosto do ano da comunicação social – é, um exemplo vivo, deste estar presente e atento, critico, construtivo, como deve ser a missão de quem faz jornalismo, seja ao nível local, seja ao nível regional ou nacional.

No sonho, na criatividade, na energia que brota da juventude, nascem os projectos, que fazem cultura, que fazem cidade.
Essa juventude que aponta o dedo de forma renovadora no pensar e fazer quotidiano.
Diogo Coelho, João Iria e João Monteiro – o rosto jovem.

Ser cidade de corpo inteiro, é ser cidade participada, participativa, sentida nos seus bairros, nos seus lugares, nos seus espaços de cidadania, nas suas escolas e empresas.
Mónica Duarte- o rosto da cidadania – essa que faz nascer cidades coloridas em arte urbana onde se inscrevem memórias, estórias e rostos.

Um filme rodado pelas ruas da cidade, em todos os seus percursos que são as suas veias, porque esse é o lugar onde pulsa o seu sangue diário do trabalho para casa, de casa para a escola – os TCB - rosto do ano da inovação.
Porque inovar é fazer futuro, é erguer do velho com história, um tempo novo de modernidade onde começa o século XXI.

Todo o tempo de uma cidade, é um tempo onde os verbos, os adjectivos, os substantivos, são esses sons que rasgam o silêncio, porque, afinal, uma cidade escreve-se nas suas raízes, um livro onde a vida é ficção, e, a ficção é realidade, literatura, biografia – o escritor do ano – Fernando Sobral.

Pode ser o coração a pulsar de forma acelerada, um acidente, essa realidade de todos os tempos, que é nascer, viver e morrer. Estar atento às necessidades, procurar responder com qualidade técnica e humanizada, sim, a saúde de uma cidade é o seu ritmo e a cadência sincopada da vida – O rosto do ano na área da modernização – Hospital do Barreiro.

Uma cidade com rostos. Uma cidade de rostos. Dar rostos á cidade, sim, dava um vídeo. Sim, dava um filme. Um filme de memórias. Um filme de histórias. Um filme que nos faz sentir o orgulho de nascer, viver e estar aqui, acima de tudo porque nos seus sorrisos e lágrimas, nas tragédias e nas alegrias, tudo isso é o tempo que nos orgulha e dá esperança, resiliência. Paixão.
Um rosto exemplar é, afinal aquele que é para nós um exemplo de vida, alguém a quem orgulhosamente abraçamos, beijamos, apar dizer OBRIGADO – esse rosto do ano, que é o rosto dos rostos – Patricia Gaspar.

Sim, dava um filme, que permitia sentir a cidade a pulsar nos nervos, nas emoções.
Dava para sentir essa energia de uma cidade que acredita, todos os dias, sempre acreditando, porque só quem acredita e vive cada dia com uma esperança e um sonho, feito de AMOR e LIBERDADE, sabe que esse é o mais belo filme da vida. E diz, bem alto – a vida é bela!
Dar rostos à cidade, porque uma cidade é feita de rostos, e de rostos se faz a história de todos os tempos que vivemos.

Foi, afinal, isso que aconteceu, ontem á tarde, sentimos que o Barreiro é uma cidade com Rostos. Muitos rostos…felizes, ali, de coração cheio.
Obrigado! Até para o ano!
Sim, dava um filme…

António Sousa Pereira.

ROSTOS DO ANO 2017

Autarca
. Naciolinda Silvestre

Politico
. André Pinotes Batista

Desporto
. Nana - Futsal Fabril

Cultura
. Arte Viva - Companhia de Teatro

Música
. Escola de Jazz do Barreiro

Ensino
Escola Superior Tecnologia do Barreiro

Solidariedade Social .
. Cooperativa RUMO

Associativismo
. SFAL

Veterano
.Luciano Barata

Memória
. Cabós Gonçalves

Ambiente
. S. energia

Comunicação Social
. Nuno Santa Clara

JOVEM
. Diogo Coelho
. João Iria
. João Monteiro

Cidadania
. Mónica Duarte

Inovação
.TCB

Escritor
.Fernando Sobral

Modernização
.Hospital do Barreiro

ROSTO DO ANO
. Patricia Gaspar

VER FOTOS

https://www.facebook.com/pg/jornalrostos/photos/?tab=album&album_id=10155863477717681

16.12.2018 - 02:03

Imprimir   imprimir

PUB.

PUB.





Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design. Fotografia e Textos: Jornal Rostos.
Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.