Conta Loios

inferências

Barreiro - 100% dos barreirenses presentes no debate sobre a Quinta Braamcamp
Consideram que sua requalificação é uma mais valia para o concelho

Barreiro - 100% dos barreirenses presentes no debate sobre a Quinta Braamcamp<br>
Consideram que sua requalificação é uma mais valia para o concelho<br>
. O essencial é perceber aquele território como parte de uma estratégia de cidade e concelho.

Pensar o valor da Quinta de Braamcamp como património natural e património cultural do Barreiro, indissociável de estratégias de valorização da identidade comunitária.

Fui convidado para moderar o painel que debateu o tema - «Braamcamp e o desenvolvimento do Barreiro: possibilidades e desafios», uma noite que proporcionou uma conversa aberta, sem preconceitos, onde estiveram presentes mais de 70 pessoas, interessadas em ouvir especialistas sobre planeamento e reflectir conjuntamente sobre uma matéria que, nos tempos de hoje, é marcante no pensar e fazer cidade.
Uma conversa que pode dizer-se foi muito positiva, na troca de opiniões, no diálogo, na abordagem diferenciada do tema ao nível do viver e fazer cidadania, acima de visões politicas partidárias, apenas e só com o interesse de pensar e querer o melhor para o desenvolvimento do Barreiro e ao legado que, cada um de nós nos dias de hoje, deve assumir para deixar a futuras gerações.

Para mim, ficou claro que mais que fazer mudanças a correr ao sabor de oportunidades de mercado e de circunstancias históricas, o essencial é perceber como aquele território pode e dever fazer parte de uma estratégia de cidade e concelho.
Gostei de moderar este debate, que decorreu de forma civilizada, um exemplo que é possível conversar com diferenças.
Uma ou outra intervenção, não achei de interesse, mas são sempre posições residuais, formas de olhar e estar no fazer cidadania. É a democracia.

Num certo momento do debate, enquanto se aguardava a resolução de problemas técnicos, coloquei aos presentes algumas perguntas.
É importante a requalificação da Quinta Braamcamp? Todos concordaram que sim. Houve uma voz que interrogou: Qual requalificação? Mas concordou que é importante a requalificação.
Consideram que a requalificação da Quinta de Braamcaamp é uma mais valia para o concelho do Barreiro? A reposta foi unânime.
Conclui que 100% dos presentes estão de acordo com a valorização da Quinta de Braancaamp e que a sua valorização é uma mais valia para a cidade.
Escutaram-se umas gargalhadas e ouviram-se uns aplausos.
Alguém interrogou – “Isto é uma sondagem”. Respondi que era uma “mostragem” e que a mesma pode ser divulgada – 100% dos barreirenses presentes num debate sobre a Quinta Braamcamp, consideram que a sua requalificação é uma mais valia para o concelho.
Alguém, entre os presentes acrescentou que também devia ser dito que os presentes não estão de acordo com a venda.
O assunto ficou por ali, foi uma mera mostragem de opinião, numa sala onde reparei estavam presentes cidadãos que, alguns, conheço das suas opções partidárias do PS, PSD, PCP, Verdes e sem partido. Vi personalidades da vida local de diferentes áreas económicas e sociais. Foi interessante.
No final do debate, de forma sintética apresentei aquelas que considere serem as ideias força do debate, aqui ficam para registo futuro:

Quinta de Braamcamp
- uma reserva natural, uma memória cultural

A Cooperativa Cultural e Popular Barreirense recebeu a iniciativa com o tema - «Braamcamp e o desenvolvimento do Barreiro: possibilidades e desafios», um encontro de reflexão que contou com um painel de especialistas de participação pública em matéria de planeamento.
No conjunto das intervenções foram sublinhadas as seguintes ideias-força:

1. No decorrer do debate sentiu-se a necessidade de aprofundar a reflexão sobre a Quinta de Braamcamp, nomeadamente sobre o contexto do seu papel e importância no pensar e fazer cidade;

2. Reconheceu-se que mais que discutir ou debater matéria sobre o processo da Quinta de Braamcamp o essencial é que se discuta um programa e os objectivos estratégicos;

3. A necessidade de dar à Quinta de Braamcamp a sua dimensão e uma visão estruturante da sua integração no território da Área Metropolitana de Lisboa, pela sua diversidade paisagística, ambiental e patrimonial – uma reserva natural, uma memória cultural;

4. Ter uma visão do uso daquele território no contexto da sua ligação com o Rio Tejo e ao Rio Coina;

5. Potenciar em torno do debate sobre a Quinta de Braamcamp a motivação dos cidadãos, dinamizando estratégias de comunicação que contribuam para valorizar a cidadania, e estimular o envolvimento e participação de todos no planeamento, no pensar e fazer cidade;

6. Afirmar o direito à vivência e valorização da paisagem, não só pela vista, mas pela natureza, como elemento estruturante da qualidade de vida da cidade;

7. Pensar o valor da Quinta de Braamcamp como património natural e património cultural do Barreiro, indissociável de estratégias de valorização da identidade comunitária.

Obrigado, pelo convite. Senti que o Barreiro respira cidadania e gosta de debater ideias, para fazer cidade.

António Sousa Pereira

VER FOTOS

https://www.facebook.com/pg/jornalrostos/photos/?tab=album&album_id=10156221884122681

16.06.2019 - 22:27

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.