Conta Loios

inferências

Por dentro dos dias - Barreiro
Obrigado à AMRS por ter aceite o desafio e assumido a vontade de avançar com o projecto.

Por dentro dos dias - Barreiro<br />
Obrigado à AMRS por ter aceite o desafio e assumido a vontade de avançar com o projecto.<br />
O importante, é isso, isso mesmo, nós seres humanos, vivemos para transformar o mundo, com ideias que façam o mundo melhor e mais humanizado.
Acreditem é belo, muito belo, ver uma ideia nossa tornar-se realidade. O resto é o resto.

Em Setembro de 2017, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, recebi o diploma que confirmava que candidatura de António Sousa Pereira, com o tema COMUNICAÇÃO DIGITAL DE PROXIMIDADE, no valor de 90 mil euros, tinha sido um dos projectos aprovados no âmbito do primeiro Orçamento Participativo Portugal.

Tudo tinha começado, no Auditório Municipal Augusto Cabrita, quando ali se realizou um «Encontro Participativo» no âmbito do projecto - Orçamento Participativo Portugal, aberto a todos que quiseram apresentar ideias e projectos
A iniciativa do Governo visava a discussão e elaboração de propostas ao «Orçamento Participativo Portugal», no qual foram disponibilizados um montante global de 3 milhões e 200 mil euros.
De 9 janeiro a 21 de abril de 2017 decorreu a discussão e elaboração de propostas ao OPP, em Encontros Participativos. O Orçamento Participativo Portugal foi um processo democrático, direco e universal, através do qual as pessoas decidiram sobre investimentos públicos em diferentes áreas.

O OPP abrangeu a totalidade do território português, integrando grupos de propostas de âmbito territorial diferenciado.
Foram seleccionados 600 projectos ao nível nacional, nas diferentes regiões. Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram aprovadas 7 projectos, entre os quais o de António Sousa Pereira - COMUNICAÇÃO DIGITAL DE PROXIMIDADE, que tinha sido apresentado na sessão que decorreu no Barreiro.

Fiquei surpreendido por este proposta-sonho ter sido considerada, entre milhares apresentadas por todo o país como uma de interesse nacional.
Quando decorreu no Barreiro a sessão sobre Orçamento Participativo, promovida pelo Governo, escutei vários jovens lançando projectos e propostas, sonhos que gostavam de realizar.
Num impulso, levantei-me e subi à palete, onde, apresentei esta proposta que, já há alguns anos acalentava, e, digo-vos, desejava ver realizada.
Era um projecto de promoção da comunicação digital, nos bairros, nas colectividades, nas ruas, proporcionando às pessoas o acesso directo à utilização de computadores e tablets, podendo consultar a comunicação digital e conhecer, por dentro, este novo mundo.
Imaginei aqueles tempos, quando criança, a carrinha da Gulbenkian, chegava Praça Marquês Pombal, na minha terra natal e, fazíamos fila para levantar livros.
Imaginei uma «carrinha da Gulbenkian» dos tempos de hoje, facultando acesso e consulta ao mundo digital e divulgando a comunicação social regional.

Imaginei que os próprios utilizadores podiam ser entrevistados no local e contar histórias de vida, de si mesmos, da sua Colectividade, do Bairro e, pouco depois, podiam passar de entrevistados a leitores, ali, lendo em cima da hora a entrevista e/ou reportagem.
Era um sonho que alimentava de uma nova forma de fazer jornalismo de proximidade. E divulgar as novas tecnologias.
Foi tudo isso que imaginei enquanto estava no palete, naquele encontro sobre Orçamento Participativo, misturado com jovens sonhadores.

Longe de mim, até, pensar que o projecto fosse admitido e quanto muito passar à fase de aprovação.

A proposta foi aprovada. Hoje, na Quinta de São Paulo, em Setúbal,foi assinado o protocolo, entre a AMRS – Associação de Municipios da Região de Setúbal e a DGLAB – Direcção-Geral do Livro dos Arquivos e das Bibliotecas, para dar sequência ao projecto - COMUNICAÇÃO DIGITAL DE PROXIMIDADE
Em suma a ideia vai para o terreno, não da forma que pensei e sonhei, o que interessa é que vai ser concretizada. Tudo o resto pouco interessa.
O importante é que a região de Setúbal vai ganhar equipamentos e promover o projecto na comunidade. Este um projecto que vai ajudar a valorizar a importância da comunicação digital. Fico feliz.
Obrigado à AMRS por ter aceite o desafio e assumido a vontade de avançar com o projecto.

Cá por mim, vou continuar presente e cada vez mais com esta certeza que comanda a vida dos sonhadores.
Sempre que um sonho se transforma numa ideia, sempre que uma ideia se transforma numa acção, sentimos que o mundo se transforma e os sonhos nascem reais.
A história da humanidade foi feita sempre assim, de ideias que incomodam. Ideias que pensam o mundo mais à frente. Sonhos. Por isso, por vezes, há ideias que são abafadas, castradas, copiadas. Essas, são as ditas ideias geradoras de futuro. Incomodam. É vida.
O importante, é isso, isso mesmo, nós seres humanos, vivemos para transformar o mundo, com ideias que façam o mundo melhor e mais humanizado.
Acreditem é belo, muito belo, ver uma ideia nossa tornar-se realidade. O resto é o resto.
Só isso, podem crer, só isso, apenas isso, deixa-me feliz, por sentir que entre o sonho e a ideia, entre a ideia e a acção, aqui e agora, neste 2019, após um percurso desde 2017, com muitas curvas e contracurvas, as vontades uniram-se e deram vida ao projecto. É isso, sempre que o homem sonha, o mundo pula e avança. É isso o homem sonha e a obra nasce. Nasceu. Vai nascer.
Sim, esse sonho vai nascer e afirmar-se como pioneiro na região e um exemplo para o país.
Vale a pena sonhar. Ter esta consciência pura que dei, hoje, mais um contributo para deixar o mundo um pouco melhor que o encontrei. É lindo.
É por isso, que vou continuar a sonhar, até, digo-vos, continuar a acreditar que não há pessoas que gostem de matar sonhos. Não. Há apenas pessoas que temem os sonhos. E isso é o resto. As escórias.
Por isso é belo sonhar, manter um sorriso, a certeza que todos os dias nasce um novo dia. Girando. É a terra que gira, gira, gira...
Como dizia o outro - «Mas, ela move-se».
Hoje, afinal, como me habituei ao longo da vida, nasceu mais um sorriso nos meus lábios. Sabe tão bem sorrir.
Alguém dizia: “Sente-se lá à frente. Hoje é o seu dia”. Sorri. Limitei-me a sorrir.

António Sousa Pereira

02.12.2019 - 20:23

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.