Conta Loios

inferências

A(nota)mento – Barreiro
O sonho de uma «rua pintada de azul»

A(nota)mento – Barreiro<br />
O sonho de uma «rua pintada de azul» O Lavradio precisava de uma atenção especial. Esse projecto de requalificação da zona do antigo mercado, um vazio urbano por requalificar, a criação de um conjunto de ruas pedonalizadas, é um sonho,

A intervenção na Rua dos Bacalhoeiros, em Lisboa, tem recebido elogios de comerciantes, porque, agora podem ter esplanadas, no entanto, para algumas esta intervenção gerou indignação, segundo referem as noticias publicadas na imprensa.
Esta intervenção no espaço público insere-se numa estratégia de gestão do território urbano que visa aumentar os espaços pedonais na cidade de Lisboa.
Os espaços pedonais são essenciais para a qualidade de vida do espaço urbano, e, são um estimulo para a requalificação do edificado, para aumentar a consciência de segurança, porque as pessoas saem de suas casas e encontram na rua espaços de convívio e sociabilidade.

Nasci numa terra, onde, desde criança todos nos habituamos a passear e conviver quer na «Praça», quer na «Avenida».
Talvez por pensar nessas minhas raízes, e, também, por ter conhecido as ruas do Barreiro nos anos 70, que recordo ao sair a porta de casa encontrava lama e terra, não existiam passeios, nem os logradouros eram espaços verdes. Isto por todo o lado, do Lavradio à Quinta da Lomba, do Alto do Seixalinho à Verderena, os construtores civis, patrões da vila, não tinha qualquer intenção de intervir no espaço urbano. Sei, porque vivi e acompanhei de perto, os milhares, muitos milhares de contos que foram investidos pelo municipio e pelas juntas de freguesia, em todas as gestões, para recuperação dos logradouros. E, acrescento, milhares de euros, os mais recentes que recordo foram no Bairro dos Blocos no Alto do Seixalinho e no Bairro Alfredo da Silva, dignificando o espaço urbano e dando sentido real ao conceito que a habitação não se resume ao prédio. E, neste actual mandato sei continuam a ser feitas intervenções.
É por isso, apenas por isso, que fico a sorrir quando se erguem bandeiras de transformação da cidade, como se no passado nada tivesse sido feito. Enfim,

Mas, este meu texto veio a propósito da «rua pintada de azul», porque já há cerca de vinte anos que ando a falar sobre este assunto, e, acreditem, mesmo que nada façam, nunca me irei calar, nunca deixarei de levantar o assunto até que, um dia, tomem decisões.
Recordo que ainda na gestão de Emidio Xavier, cheguei a trocar palavras com o vereador Luis Pedro Cerqueira sobre a necessidade de se estudar o tecido urbano do Lavradio, ver alguns aspectos de requalificação, nomeadamente na sua zona, entre a Rua Egas Moniz, Rua Carvalho Araújo, Rua Cândido Manuel Pereira e Rua Luis Furtado de Albuquerque, visando a criação de zonas pedonais e a sua ligação à Praça do Antigo Mercado do Lavradio, hoje, até, com continuidade ao Mercado Municipal e ao Largo da Piscina Municipal.

Este espaço urbano merecia uma atenção especial, de forma a potenciar uma zona de comércio e e convivio social que o Lavradio não tem e merecia ter, por outro lado, esta requalificação podia ser um travão à degradação e ao emparedamento do seu edificado.
Voltei a falar sobre este assunto numa reunião pública da Câmara Municipal do Barreiro, no Chinquilho do Lavradio, era vereador do Planeamento, Joaquim Matias.
Na altura foi referido que esse era um assunto que estava em«estudo» e que até já existiriam alguma ideais a ser trabalhadas ou pensadas.
O tempo foi passando e nada. Também de nenhum executivo de Junta de Freguesia, alguma vez, escutei intencionalidade em dar força a esta matéria de requalificação deste «centro urbano da vila».
O objectivo era e é, criar na vila uma «centralidade» que ligue o casco mais antigo da vila ao casco mais moderno da zona dos Loios, forjando comunidade em pontos de encontro de passeios pedonal e de esplanadas na via pública, e criando uma zona de comércio.
O tempo passou a ideia nunca passou do papel. Os anos perdidos colocam mais dificuldades.
E cá estamos. Também com o anterior vereador Rui Lopo, voltei a conversar sobre o assunto.
No actual mandato já escrevi sobre o assunto.

Era uma ideia. Era um estudo. Um sonho...
O Lavradio precisava de uma atenção especial. Esse projecto de requlaificação da zona do antigo mercado, um vazio urbano por requalificar, a criação de um conjunto de ruas pedonalizadas, é um sonho, e, de facto, um dia pode ser tarde...os guettos nas nascem do nada, são gerados.
Mas, ainda acredito, talvez, um dia possa, aqui, existir... uma rua pintada de azul.
Talvez...

António Sousa Pereira

07.07.2020 - 21:18

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.