Conta Loios

inferências

Por dentro dos dias
Um quadro de kira para o Auditório da Biblioteca Municipal do Barreiro

Por dentro dos dias<br>
Um quadro de kira para o Auditório da Biblioteca Municipal do Barreiro  . O primeiro jornal editado no concelho do Barreiro - O SUL DO TEJO - faz hoje 127 anos – 19 de Novembro de 1893.

O Kira está impedido de trabalhar. Era justo e merecido que a autarquia adquirisse este quadro para ser colocado no Auditório da Biblioteca Municipal, agora, que tem o nome do Mestre Manuel Cabanas.

Hoje, pela manhã, quando seguia pelo território da Baía do Tejo, rumo ao Passeio Ribeirinho Augusto Cabrita, com destino à caminhada junto ao Tejo, escutei na rádio que hoje é celebrado o Dia Internacional da Filosofia, instituido pela UNESCO no ano 2002, com a finalidade de alertar e salientar a importância desta área de estudo, quer para a valorização individual, quer para o desenvolvimento da sociedade. Fiquei a saber, que este dia é celebrado, anualmente, na terceira quinta feira de Novembro. Não é portanto um dia fixo.

Este ano, curiosamente, esta celebração coincide com o dia que foi lançado o primeiro jornal no concelho do Barreiro, faz hoje, precisamente 127 anos – 19 de Novembro de 1893.
Dou comigo a pensar que estes dois mundos fazem parte de muitos momentos do meu percurso de vida.
O prazer de desbravar o mundo das ideias, porque são as ideias e o confronto de ideias que fazem mover a história da humanidade.
O prazer de sentir a importância da comunicação no fazer cidade e cidadania, porque sem comunicação plural, livre e independente, a comunidade fica refém de «boas noticias».

Sim, hoje é o Dia Internacional da Filosofia e a filosofia é isto mesmo o pensar a vida por dentro dos seus significados. Não é retórica. Não é narrativa. Não é precepção. A filosofia é conceito. Um conceito é indissociável do pensar, e para mim um conceito tem que ter dentro de si três visões do mundo, que são indissociáveis – a dimensão ética, a dimensão estética e a dimensão ontológica. A Liberdade. A criatividade. A identidade.

Kira e Cabanas

Depois do meu passeio junto ao Tejo, no regresso entrei no Bairro Operário, para visitar o Kira. Lá estava ele no seu atellier com um sorriso, e, infelizmente de braço ao peito, que partiu, recentemente, numa queda. Está impedido de trabalhar.
Olhei a parede do seu atellier onde está um belo quadro do Mestre Manuel Cabanas. Disse-lhe: ontem foi aprovado atribuir o nome do Mestre ao Auditório da Biblioteca Municipal do Barreiro.
“Era lá que este quadro ficava bem”, respondeu o Kira.
“É verdade, era uma grande homenagem ao Mestre”, respondi.
Sai e pensei escrever esta nota. O Kira está impedido de trabalhar. Era justo e merecido que a autarquia adquirisse este quadro para ser colocado no Auditório da Biblioteca Municipal, agora, que tem o nome do Mestre. Dois coelhos numa cajadada – o apoio ao Kira, neste momento de fragilidade de sua vida; e uma homenagem ao Mestre Manuel Cabanas, de elevado prestigio. Fica a ideia. O Kira merece.
Mas, se o municipio não der este passo em frente, pode pensar-se outra opção um grupo de 15 ou 20 pessoas, cada qual dá um contributo, pagamos o quadro ao Kira e oferecemos à comunidade.
Kira e Cabanas são dois vultos enormes da cultura e da história do Barreiro. Ficarão, ali, unidos, como sempre estiveram, na vida, com amizade e no fazer cultura.

António Sousa Pereira

19.11.2020 - 17:31

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.