Conta Loios

inferências

Rosto da Semana
Associação Vultos da Nossa Terra – na rua a memória que faz a identidade do Barreiro

Rosto da Semana  <br />
Associação Vultos da Nossa Terra – na rua a memória que faz a identidade do Barreiro A associação cultural VULTOS DA NOSSA TERRA promoveu a comemoração do Centenário da Travessia Aérea do Atlântico Sul por Gago Coutinho e Sacadura Cabral Barreiro, um evento que visou evocar a acção civica dos barreirenses, a identidade de uma comunidade que, hoje, como há 100 anos, demonstrou o seu afecto à criatividade e à solidariedade.

A associação cultural VULTOS DA NOSSA TERRA com esta iniciativa, com trabalho voluntário, capacidade de diálogo, amor ao Barreiro, às suas memórias e história, uniu vontades e, como há muito não se via, o movimento associativo de Coina ao Lavradio, de Santo António da Charneca a Santo André, da Verderena ao Alto do Seixalinho, de Palhais ao Barreiro, da Penalva à Vila Chã, de bandeiras erguidas, uniram-se para festejar a memória.
Foi uma jornada bonita que deu alegria à Praça Gago Coutinho e Sacadura Cabral, vulgo Largo do Casal, que só agora fiquei a saber que era conhecido pelo Largo da Alegria.
Está de parabéns a associação cultural VULTOS DA NOSSA TERRA, por promover este evento, por na prática comunitária dar força à memória e recordar como a cultura barreirense, ferroviária, operária, associativa, faz parte da essência do Barreiro. a

Recorde-se que a associação cultural VULTOS DA NOSSA TERRA, uma associação informal, que tem vindo a promover diversos eventos culturais, que promovendo conferências o valor cultural e literário de dimensão nacional de personalidades barreirenses, quer, agora evocando esta efeméride é um exemplo vivo que um povo que se orgulha da sua história e memória, é um povo que quer construir no presente, um presente que se faz futuro.
A comemoração do Centenário da Travessia Aérea do Atlântico Sul por Gago Coutinho e Sacadura Cabral, foi salientado visou recordar valores humanistas como “como a coragem, a ousadia do enfrentamento do desconhecido” e a importância em cada época “da utilização segura das inovações tecnológicas emergentes”.
Também o valor do “pensamento crítico e construtivo” e “contrapor o inconformismo ao letargo e à ociosidade”.
Foi dito que “em tempos de incertas mudanças e de negacionismos” é necessário “reafirmar a importância da luz da razão e da evidência cientifica como factores imprescindíveis para a construção cívica da concórdia, da paz e da harmonia, que são o cume do edifício das sociedades tolerantes, empreendedoras, progressivas, coesas e socialmente inclusivas.”.

Por todos estes valores, pela iniciativa que deu vida ao centro do Barreiro, tal como aconteceu há 100 anos, no então Largo da Alegria, de novo o Barreiro se ergueu na sua identidade que sempre viveu com paixão em torno das palavras – criatividade, solidariedade e humanidade – a força de uma comunidade e de uma identidade.
Por essa razão, aqui fica o agradecimento e merecidamente a atribuição de Rosto da Semana à associação cultural VULTOS DA NOSSA TERRA.

António Sousa Pereira

19.06.2022 - 22:28

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2022 Todos os direitos reservados.