inferências

Nota do Dia - Barreiro
A iluminação pública no concelho do Barreiro merece reflexão

Nota do Dia - Barreiro<br />
A iluminação pública no concelho do Barreiro merece reflexão Um destes dias, em conversa com um amigo, um vizinho, ele comentava as deficiências que sentiu na iluminação pública, nas ruas do Lavradio. Eu disse-lhe que esse não é só um problema do Lavradio, é um problema que existe em vários locais do concelho desde que foi efectuada a mudança da iluminação pública para o sistema led.

Uma das coisas que por vezes tem merecido da minha parte alguma interiorização, reflexão-meditativa, é o facto de, até aos dias de hoje, nunca ter visto nenhum vídeo, feito com drone, a sobrevoar as ruas pela noite dentro, dando uma visão panorâmica da mudança radical na iluminação nocturna.
Alías, diga-se, nem tem sido dado grande relevo politico, com frases, como as muitas conhecidas – isto é uma boa notícia, com declarações políticas ou sociológicas, dando o devido relevo a esta medida estruturante, que é, sem qualquer dúvida, uma marca do anterior mandato.
Penso mesmo, quando fosse feita a pergunta: Qual a marca que deixou o anterior mandato ? A resposta óbvia é esta : a mudança da iluminação pública para o sistema led, que reduziu a pegada de carbono e proporcionou poupança energética e financeira.

Na realidade, na vida do concelho, esta mudança do modelo de iluminação, como foi dito, na época quando da aprovação da proposta de entrega do sistema de iluminação pública a uma entidade privada, afirmou-se que esta proposta seria um contributo para aumentar a segurança e a qualidade de vida das populações.
Isso merecia um vídeo. Uma primeira página do “Aqui Barreiro”. Noticias.
O facto é que nunca se fez um vídeo. Nunca se fez a apologia desta mudança estruturante, e, esta, não há dúvidas é uma marca da gestão. Uma marca que devia ser motivo de orgulho local.
Se há marca inscrita na vida quotidiana do concelho, na vida nocturna é esta marca de colocação de lâmpadas led, operação que foi realizada, sem mudar os candeeiros e apenas mudou-se as iluminárias, e, por essa razão não foi garantida a melhoria na qualidade de vida aos moradores.
“Não sinto segurança de sair à rua de noite. Nas ruas há zonas escuras”, disse-me o meu vizinho.
Eu subscrevo. No meu bairro, na minha rua, desde que foi feita a mudança para o sistema led, a noite ficou mais escura e mais fria. A gente adapta-se e a memória é curta.
Diga-se, por vezes, também escuto relatos idênticos oriundos de outras pessoas, mesmo residentes no centro da cidade do Barreiro.
Mas, sobre esta matéria existe um manto de silêncio. É um não assunto.

Vejamos alguns factos, sobre este processo. Recordemos que no ano 2018, no inicio do anterior mandato da gestão socialista, foi aberto o dossier da mudança da iluminação pública, tendo como objectivo a instalação do sistema led em todo o concelho do Barreiro.
A proposta que visava a entrega da gestão da iluminação pública a uma nova entidade, foi aprovada em reunião da reunião da Câmara Municipal do Barreiro, com os votos favoráveis do PS e PSD. A CDU votou contra.
Na altura, a CDU salientou que apesar estar de acordo com a proposta o seu votou contra resultava de não ter sido apresentada uma solução de comparação com outras soluções financeiras.
O PS defendeu que a relação com a EDP não era fácil e, com esta proposta iria concretizar-se a mudança na iluminação pública, para o sistema led, em todo o concelho do Barreiro, assim como contribuir para acender todos os postes de luz que estavam desligados.
Além disso o novo sistema led concretizava-se uma poupança energética, financeira e passava a existir mais rapidez na execução da melhoria da iluminação pública.

O PSD recordava que no concelho do Barreiro existiam apenas 350 lâmpadas led, e, salientou que a proposta originava uma poupança energética de 60 %, que era um salto qualitativo.
A CDU referiu que a proposta apresentada tinha por base num modelo de PPP – Parceria Publico Privada, e, na sua opinião seria melhor apostar num modelo municipal, porque, o município tinha capacidade de investimento e de endividamento, sendo garantido o retorno.

Em conclusão, a proposta foi aprovada, tendo como ideias-força mudar toda a iluminação do concelho para sistema led, melhorar a iluminação pública, e, com tudo isto o município investia zero.
A empresa iria garantir a manutenção, a mudança de 11 mil iluminárias, sem necessidade3 de a autarquia endividar-se em 3 milhões de euros, e garantir a mais qualidade de vida às populações.
A CDU alertou que, com esta proposta a autarquia ia passar um lucro de cerca de 400 mil euros, por ano, para a empresa. Isto, enquanto o PSD defendia a sua posição de aprovação da proposta porque a Câmara Municipal do Barreiro não tinha capacidade técnica para assumir o projecto. Proposta aprovada aguardou-se.
O tempo passou e, por fim, no ano 2020, iniciou-se no Barreiro, a operação de substituição da rede de iluminação pública por um sistema LED. O objectivo foi mudar 11 mil iluminárias. O arranque da operação foi assinalado com a notícia que estava em marcha uma medida que iria ser um contributo para reforçar a segurança e a qualidade de vida da população.
Os trabalhos de substituição aconteceram por diversas fases e prolongaram-se por três meses, uma medida que concretizada e que será mantida durante 12 anos, ou seja, o anos do mandato anterior, os anos do actual mandato, os anos do próximo mandato e uns anos, para outro mandato, de alguém que há-de vir a resolver a situação.
Foi dito que este era um contributo para a redução de despesa pública. O investimento no sistema led foi superior a 3 milhões de euros. Foi afirmado a oprarção permitia à autarquia poupar 4,3 milhões de euros, em consumo energético.

Depois, temos a vida real. Quando as coisas começaram, a ser sentidas na vida real, aqui ou acolá, as pessoas comentaram : isto ficou pior em termos de iluminação pública. Não foi dado muito relevo ao assunto. Também quem criticasse levava logo com as narrativas da poupança financeira e poupança energética. Ou, aquele discurso da «bolha das redes sociais: Não fizeram nada e agora só criticam. Mas, neste caso não podia ser usado o outro argumento da «bolha das redes socias»: Está melhor cóque estava!

Tudo isto ocorreu-me, quando na conversa com o meu vizinho, ele falava nas ruas escuras e no seu sentimento de falta de segurança, e, que sei ser verdade. Quem sobe aquela Avenida J.J. Fernandes, sente a diferença, ao vivo e a cores. Escuto, igualmente, outros comentários idênticos de outras zonas do concelho, até sobre o Parque Catarina Eufémia.
É assim, inicialmente, foi comentado que as lacunas de deficiência na iluminação resultavam de não terem sido mudados os candeeiros, apenas as iluminárias foram substituídas.

Seja lá o que for, a mudança para o sistema led, pode ter poupado ao nível energético e financeiro, mas não contribui para dar mais segurança, nem mais qualidade de vida.
E já agora, após alguns anos da concretização da mudança, seria importante a divulgação de um relatório, que permitisse aos munícipes, conhecer os resultados práticos – financeiros e energéticos.
Este podia ser um tema a abordar na Assembleia Municipal do Barreiro – uma moção, uma recomendação.

E, por fim, se houve poupança financeira, então, já era tempo de ser elaborado um estudo de avaliação ao nível deste processo de mudança da iluminação pública, que fosse o ponto de partida para ser elaborado um plano anual de curto, médio e longo prazo de substituição dos candeeiros.
É necessário é importante voltarmos a ter a qualidade de iluminação pública, isso contribui para alterar o sentimento de segurança na comunidade.
Aqui fica a reflexão a propósito de uma troca de opiniões com um vizinho. É o papel da imprensa local e regional, dar voz às conversas de vizinhança, ao sentimentos que são vividos e escutados no quotidiano da polis…quando só se murmura tudo fica no silêncio.

António Sousa Pereira

30.08.2023 - 23:52

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2024 Todos os direitos reservados.