Conta Loios

opinião

Qual a origem do Barreiro?
Por João Naia da Silva
Barreiro

Qual a origem do Barreiro?<br />
Por João Naia da Silva<br />
Barreiro O Barreiro possui hoje pouco menos de 80 mil habitantes, distribuídos por 4 freguesias numa área de aproximadamente 36 quilómetros quadrados. À muito ligada à industria Fabril e Ferroviária, o Barreiro já foi uma pequena vila, onde residiam menos de 1,5% do total de habitantes actualmente.

Para viajarmos no tempo até ao principio da história do Barreiro, cujo termo acredita-se que terá tido origem na designação de uma terra na margem sul do rio Tejo, onde o terreno era barroso e pastoso, e de onde se podia extrair bom barro para a produção de cerâmica, precisamos de recuar 640 anos, e ir até ao ano de 1322, onde o nome “Barreiro” aparece escrito pela primeira vez, num documento do Cartório do Mosteiro de Santos-o-Novo, onde o Comendador de Palmela, Setúbal e Ribatejo permutava umas marinhas de sal que se situavam no riba tejo, exceptuando as marinhas do barreiro e verderena. Desde muito antes, que grande parte da margem sul do rio Tejo se dedicava ás actividades salineiras, sendo estas fundamentais na economia da região.

Mais tarde, em 1376, o nome “Barreiro” volta a aparecer escrito, desta vez no testamento de Dona Sancha Pires, que deixa como em herança à Sé de Lisboa, varias propriedades na margem sul do rio Tejo, entre elas a Quinta do Barreiro e a Quinta do Lavradio. Acredita-se que a subsequente exploração do local pertencente ás quintas, foi permitindo uma organização e desenvolvimento desse espaço, assistindo a uma evolução e povoação crescente do mesmo, por gentes que se dedicavam à exploração marítima e rural. Por estar numa zona bastante apta à entrada em mar, e por ter bastante fauna no rio Tejo, desde cedo que aqui se fixaram também alguma população que vinha da região do Algarve e que se dedicava à actividade piscatória.

Anos depois, em 1480’s o Barreiro assistiu a um acréscimo repentino de população, onde de pouco mais de 15 habitantes, se juntaram cerca de 140 que vinham dos lugares vizinhos. Este constante aumento populacional que se continuou a registar nos anos seguintes justificou que em 1487, fosse construída uma paróquia.

Com a existência agora de uma paroquia, e com o lugar do Barreiro a distar de 8 quilómetros do seu termo Alhos Vedros, a população barreirense começa a cingir a sua vida e os seus afazeres apenas à região do barreiro que conseguia agora reunir todas as condições para ser considerada auto-suficiente, facto que juntamente com um continuo crescimento populacional permite que a 16 de Janeiro de 1521, o Barreiro passe a ser Concelho e receba a sua Carta Foral, assinada pelo então Rei D. Manuel I, onde “…fazemos o dito llogar do barreiro villa e queremos que daquy em diamte se chame villa nova do barreiro…”.

Tal como referido, até a esta data, o lugar do Barreiro pertencia ao termo da Villa d’Alhos Vedros, passando desta forma em 1521, a possuir o seu próprio foral, e a ter termo próprio, continuando a crescer até aos dias de hoje."

João Naia da Silva

10.11.2016 - 19:46

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2022 Todos os direitos reservados.