Conta Loios
rostos.pt
PESQUISAR     
    HOME  |   FICHA TÉCNICA   |   ESTATUTO EDITORIAL   |   EDIÇÃO IMPRESSA  |   NEWSLETTER  |    RSS  |    TWITTER  |    FACEBOOK  
INFERÊNCIAS
Barreiro - Rostos do Ano 2018
«Rosto do Ano na área ASSOCIATIVISMO» atribuído a Associação de Basquetebol de Setúbal


Horóscopos Diários
Dia 23 de Fevereiro 2019
Por Maria Helena


Barreiro - Rostos do Ano 2018
«Rosto do Ano na área EMPRESA» atribuído a FORUM BARREIRO


Barreiro - Rostos do Ano 2018
«Rosto do Ano na área SOLIDARIEDADE SOCIAL» atribuído a PERSONA


Barreiro - Por dentro dos dias
As ruas são o miradouro da vida!


ROSTOS DO ANO 2018
Reconhecimento aos que contribuíram para valorizar o concelho do Barreiro


Rota 66
«Acordo de Geminação das Memórias» entre Peniche e Barreiro


A(nota)mentos - Barreiro
Pensar e projectar a construção de uma nova Biblioteca


Inferências - «Habemus Terminal»!
«Gostava de ver, no Barreiro, um Porto a sério»


COLUNISTAS
O dianho do «crowdfunding»
Por Carlos Alberto Correia
Barreiro


Objetivo
Por Nuno Santa Clara
Barreiro


Silêncios supersónicos, o estranho caso do apeadeiro aéreo do Montijo
Por Nuno Miguel Fialho Cavaco
Moita


BEM VINDO 2019
Por José Caria
Montijo


Até amanhã Sr. Alexandre. Bom Natal
Por Jorge Fagundes
Barreiro


O Barreiro está um pouco mais pobre!
Por Nuno Banza
Barreiro


BASTIDORES
Assembleia Municipal da Moita saúda todas as conquistas das Mulheres
Comprometendo-se com a defesa da igualdade entre homens e mulheres


Barreiro - Partido Comunista Português condena veementemente
a opção de venda da Quinta do Braamcamp


Bruno Vitorino, presidente da distrital de Setúbal do PSD e vereador na CM Barreiro
Acusa Governo de «esbanjar dinheiro» em cerimónias «ridícul


No Centro de Trabalho do PCP de Setúbal.
Audição sobre legislação laboral


Setúbal - Lista do Bloco de Esquerda ao Parlamento Europeu
Daniel Bernardino do Barreiro integra lista


CDS-PP realizou reunião com Comando Distrital de Setúbal da PSP
Reforça confiança nas forças segurança em geral e na PSP


Federação de Setúbal saúda escolha de Pedro Marques
«Distrito de Setúbal é testemunha do benefício da sua ação para as populações»


ENTREVISTA
Barreiro - TCB pode alargar serviço a concelhos limítrofes
Colaborar na mobilidade de Sesimbra, Palmela e Seixal para além da Moita
. Novos au


Desconstruir aquela ideia do Barreiro coitadinho
Projecto «Start XXI» uma aposta no desenvolvimento económico


AS EMPRESAS
Almada / Seixal / Barreiro / Sesimbra
Está previsto que o passe metropolitano seja válido na Fertagus.


NO DISTRITO DE SETÚBAL 63 FARMÁCIAS EM RISCO
Presidente da ANF amanhã em Santiago do Cacém e Setúbal
. Recolhe assinaturas para salva


DESPORTO
Basquetebol do Barreiro na FPB TV
Duas transmissões para o fim de semana


No Torneio «Twist Acro Cup» em Cascais
Par junior do ACROSFAL conquista 2º lugar na competição


Academia de Judo do Barreiro / Grupo Desportivo Fabril do Barreiro
Excelente participação no Open de Juvenis da Associação Distrital de Judo de


Na 2ª Prova Apuramento Nacional 420
Clube de Vela do Barreiro coloca 2 tripulações nos 5 primeiros lugares


Barreiro – Remo do Clube Naval Barreirense
Deslocou 8 atletas ao «Abierto de Andalucia» em Sevilha


PERSONALIDADES
Joana Niza Braga do Barreiro distinguida em Los Angeles
Recebe prémio «Cinema Audio Society Awards»


AS ESCOLAS
Setúbal, Palmela, Alcochete e Montijo
15.º Mega Sprinter- provas de atletismo do Desporto Escolar


Easy Talk - Barreiro
Venha ver a Exposição dos Afetos!


Barreiro - «A tua Europa, a tua voz« YEYS 2019
Colégio Minerva representará Portugal no Forum do Comité Económico e Social Europeu.


Barreiro - Desfiles de Carnaval das Escolas
Realizam-se nos dias 28 de fevereiro e 1 de março


REPORTAGEM
A MOCA – associação ‘Movimento Organizado Cultural e Artístico’
«A Moita é uma nascente artística»


António Bravo, Maestro da Banda Filarmónica da Moita
«A música abre caminhos ao encontro de gerações»


Kira deu muito ao Barreiro, o Barreiro deve ajudar o Kira.
Um atelier e uma casa para viver com dignidade


Barreiro - Na Região de Setúbal serão assinalados 96 anos do CNE – Corpo Nacional de Escutas
Preparar os jovens para as profissões que ainda nã


Top Leitores da Biblioteca 2018
Todos premiados receberam «Uma viagem pelo Barreiro» de Bruno Vieira Amaral


Barreiro - «Sonhos...e ilusões» um livro onde as palavras se cruzam e florescem
Ler e conhecer...«um coração onde muitas marés bateram»


MOLDURA
Palmela - Entre os dias 5 e 7 de abril em S. Gonçalo, Cabanas
25.º Festival Queijo, Pão e Vinho


Fuzileiro distinguido em curso de condições extremas na Noruega
torna-se o primeiro instrutor em Portugal certificado pela NATO


NO FORUM BARREIRO
EXPOSIÇÃO PEQUENOS FORMATOS DO ARTISTA KIRA


Moita - Blues Nights By BBBF no Fórum Cultural na Baixa da Banheira
Mr. Sipp (USA) e Fast Eddie Nelson & Vitor Bacalhau (PT)


Barreiro - Petição Pública
NÃO à venda da Quinta do Braamcamp


No FÓRUM MUNICIPAL LUÍSA TODI EM SETÚBAL
GATEM – Espelho Mágico ESTREIA «DONA NATUREZA»


Moita - Tradicionais desfiles de carnaval com foliões de todas as idades.
Em Alhos Vedros mais de 300 participantes e quatro carros alusivos a


OUT.FEST - Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro
É finalista dos Iberian Festival Awards e renova selo EFFE


Marinha recolhe plástico à deriva no mar
Alerta para a necessidade de colocar o material reciclável em local apropriado


Barreiro - Ação de fogo controlado na Mata da Machada
Na próxima segunda-feira pelas 13h30 vai ser realizada numa zona restrita


Autoridade Marítima Nacional alerta
para cuidados a ter nas praias e zonas costeiras


AUTARQUIAS
Palmela - «Os Direitos do Consumidor – A lei do consumidor»
Município promove ações


moita - Autarcas do PS da União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira
Apresentaram queixa às entidades competentes sobre os ato


No Mercado Municipal da Moita
Feira de Artesanato «Artes e Talentos»


Barreiro - Inaugurado Parque Infantil da Penalva
Concretizou-se «um desejo de há muitos anos da população»


Barreiro investe 1,5 milhões de euros
Renova frota automóvel com a aquisição de 78 veículos


Moita - Na Associação 1º de Maio Futebol Sarilhense
Reunião pública de Câmara descentralizada em Sarilhos Pequenos


No Barreiro e Alto do Seixalinho
Interrupção no abastecimento de água na R. Miguel Bombarda


Moita aposta na eficiência energética
Substituição da iluminação pública existente por iluminação LED


OPINIÃO
QUINTA BRAAMCAMP [2]
PÚBLICA É DE TODOS, PRIVADA É SÓ DE ALGUNS!
Por Armando Teixeira
Barreiro


Quanto vale a Quinta do Braamcamp? (3 )
Por Rui Lopo
Barreiro


Gestão com e para as pessoas
Por Alexandra Serra
Sesimbra


Ignorar a realidade
Por Alcídio Torres
Montijo


O mito «No Barreiro não há nada para ver!»
Por Gonçalo Brito Graça
Barreiro


Gripe e a sua prevenção
Por Joana Peralta e Inês Silva
Barreiro


Viver plena_mente: Mindfullness
Por Sandra Pereira
Barreiro


ASSOCIATIVISMO
Instituição vai estar presente em Farmácias do Barreiro e do Seixal
ASSOCIAÇÃO NÓS ADERE A XI JORNADA DO BANCO FARMACÊUTICO


Nos 170 anos comemorar a Classificação do Património Ferroviário do Barreiro
De Interesse Nacional e a implantação do Núcleo Museológico


LIVROS
Barreiro - Maria Jorgete Teixeira edita na Amazon.es
O seu livro de poesia «A solidão das dunas»


POSTAIS
Barreiro - Tribuna Pública com centenas de pessoas
Descerrada Placa alusiva à construção da Unidade de Saúde no Alto Seixalinho


Barreiro - No Colégio Minerva «Conversas Democráticas – De Mãos dadas com a Europa»
Em debate «A abstenção das camadas mais jovens da população


Biblioteca Municipal do Barreiro divulga autores barreirenses
Ciclo Encontros «OAUTOR E OS LIVROS»


No Distrito de Setúbal não temos condições de acolhimento para crianças
No nosso sistema de tutela não temos Unidades Terapêuticas


Barreiro - Em Portugal as perturbações psicóticas atingem mais as mulheres
Uma em cada quatro pessoas vive com doenças mentais


Barreiro - Arteviva «JOSÉ MATIAS, entretém para quatro mulheres»
Estão ali pessoas reais…em personagens reais!


ARTES
No Auditório Municipal Augusto Cabrita
Exposição ´CAPÍTULO I´


Moita - IX Bienal de Pintura de Pequeno Formato – Prémio Joaquim Afonso Madeira
Candidaturas de 1 a 31 de março


ArteViva - Companhia de Teatro do Barreiro
Em cena «JOSÉ MATIAS, entretém para quatro mulheres»


EUROPA
Comissão Europeia adapta a sua metodologia de cálculo das sanções financeiras
Firme, equilibrada e justa para todos os Estados-Membros.


Europa - Previsões económicas de inverno de 2019
Moderação do crescimento devido a incertezas a nível mundial


opinião rostos.pt - o seu diário digital

Pela Valorização das Assembleias Municipais
Por Pedro Vasconcelos Almeida
Barreiro

Pela Valorização das Assembleias Municipais <br>
Por Pedro Vasconcelos Almeida<br>
BarreiroPretendo com este texto apresentar a minha visão sobre o que poderá ser o contributo do Barreiro para a valorização das Assembleias Municipais, tema sobre o qual intervim na última sessão do órgão em que foi aprovada a adesão da Assembleia Municipal do Barreiro à recém-criada ANAM – Associação Nacional das Assembleias Municipais.

“Para quê três boletins?” – perguntou-me um eleitor confuso quando presidi a uma mesa de voto nas últimas autárquicas e que parecia não entender o porquê de se votar em simultâneo para a Câmara Municipal e para a Assembleia Municipal. À partida, a pergunta poderia ser encarada como desconhecimento sobre a forma como está concebido o sistema político e eleitoral ao nível local, mas na verdade aquela pergunta encerra uma noção intuitiva bem mais importante e que merece a nossa reflexão.

De facto, ao olharmos para a forma como está concebido o nosso sistema político a nível nacional, é aquilo que a que podemos chamar um regime semipresidencialista de pendor parlamentarista, isto é, uma República em que o poder executivo é partilhado pelo Presidente e por um Governo cuja legitimidade decorre de uma maioria parlamentar que o apoie e/ou tolere, sendo que a maior parte do poder executivo está concentrado no Governo e não no Presidente. Logo após o 25 de Abril, iniciou-se um debate sobre que forma de governo deveria assumir o novo regime, em que Mário Soares defendia um regime de pendor parlamentarista e Sá Carneiro um regime tendencialmente presidencialista, com um poder executivo “mais forte”. Devo dizer a este respeito que, como cidadão, prefiro viver num regime parlamentarista, porque é aquele que na minha opinião nos dá mais garantias de um sistema mais transparente, mais participado e mais plural, com menos possibilidades de degenerescência autoritária, visto que existe um maior escrutínio dos executivos ao dependerem diretamente do Parlamento.

Ora, se transportarmos o mesmo plano de análise para a forma como foi concebido o sistema político autárquico, não encontramos a mesma lógica parlamentarista, visto que a formação dos executivos não decorre da Assembleia Municipal. Fará sentido existirem vereadores sem pelouro atribuído e com estatuto de oposição? A oposição não deveria ser exercida na Assembleia Municipal? Os executivos não deveriam plasmar as maiorias existentes nas assembleias, tendo neles representadas as forças políticas que os apoiassem? Na minha opinião, os executivos devem governar e as assembleias devem fiscalizar e acompanhar o trabalho do executivo, ratificando as suas decisões, bem como apresentar propostas construtivas para o concelho. Esta clarificação seria importante no sentido de harmonizar a forma como o poder local democrático se encontra organizado, aproximando-o do pendor parlamentarista do nosso regime e tornando as assembleias municipais no eixo central do poder local democrático. Permitiria também uma simplificação do sistema eleitoral para as autarquias, tornando-o menos confuso e reduzindo-o a dois boletins de voto – Assembleia de Freguesia e Assembleia Municipal – sendo que os executivos passariam a ser eleitos pela Assembleia Municipal. Claro que esta hipótese teria também as suas desvantagens que mereceriam ser desenvolvidas num outro grau de aprofundamento sobre o tema que não cabe neste artigo de opinião.

Mas o fraco pendor “parlamentarista” do sistema político autárquico não se resume às questões relacionadas com a sua arquitetura institucional. Está igualmente relacionado com a enorme desproporção de poder que ainda existe entre o órgão deliberativo e o órgão executivo. De facto, se pusermos lado a lado numa balança os poderes das câmaras municipais e das assembleias municipais, há um desequilíbrio notório a favor do poder executivo e em detrimento do deliberativo e isso é contraproducente para a lógica de pesos e contrapesos que deveria existir em qualquer sistema político. Desde logo, uma questão sobejamente discutida há alguns anos prende-se com o facto dos poderes de fiscalização das assembleias municipais serem diminutos. Existe um relativo consenso sobre esta matéria, isto é, impõe-se um reforço considerável dos poderes de fiscalização e do dever de informação dos executivos perante as assembleias municipais, sobretudo numa altura em que a nova reforma de descentralização de competências, a maior e mais ambiciosa das últimas décadas, está na ordem do dia e irá implicar uma responsabilidade acrescida dos municípios na gestão do nosso território. Com mais escrutínio, maior pluralismo no debate político local e maior transparência, o sistema sairia inegavelmente a ganhar. Mas isso também implicaria, entre outras coisas, que as assembleias municipais tivessem de reunir com maior regularidade, que gozassem de maior autonomia funcional e financeira em relação às câmaras municipais e que vissem reforçados os seus meios, sobretudo os seus meios humanos, porque é imprescindível que os deputados municipais sejam apoiados na dimensão técnica e jurídica, por vezes muito densa, da documentação que necessitam de apreciar. É meu entendimento que darmos mais força às assembleias municipais constitui um contributo inestimável para uma maior qualidade da democracia e da representação política ao nível local.

Mas não é só do escrutínio e da fiscalização que devem viver as assembleias municipais na minha opinião. Entrando numa matéria mais controversa, e que estou ciente de que vai contra o espírito da legislação atualmente em vigor neste âmbito, gostava de ir mais longe nesta discussão. Para mim, é tão ou mais importante discutirmos o reforço dos poderes deliberativos das assembleias municipais, matéria na qual reside, a meu ver, o maior desincentivo a que os deputados municipais tenham uma voz mais ativa na condução dos destinos da polis. Os deputados municipais não devem ser reduzidos a meros ratificadores e carimbadores de documentos apresentados pelo executivo que se reúnem de 2 em 2 meses numa sala. Era importante que, no plano deliberativo, a Assembleia Municipal fosse dotada de maior capacidade de iniciativa em algumas matérias específicas e em particular na apresentação de propostas com valor vinculativo. Passo a explicar. Os deputados à Assembleia da República, por exemplo, podem apresentar projetos de lei e iniciativas legislativas. Ora, traçando um corolário com as assembleias municipais, porque é que, por exemplo, em matéria de regulamentos municipais, os deputados municipais não dispõem de iniciativa própria, isto é, porque é que não podem avançar diretamente com a criação e apresentação de regulamentos e apresentar as suas próprias propostas de alteração aos regulamentos já existentes? Porque é que essa iniciativa está circunscrita ao executivo?

Outra questão prende-se com o facto de, no caso de um deputado municipal querer propor uma medida concreta para o concelho, estar limitado a apresentar recomendações que não têm qualquer valor vinculativo. Valem o que valem em termos políticos mas é sabido que na maior parte das vezes caem em saco roto. Ora, isto é, a meu ver, uma clara desconsideração pelo trabalho dos deputados municipais e um incentivo a que o nível de discussão da Assembleia Municipal, sobretudo no Período Antes da Ordem do Dia (PAOD), seja predominantemente retórico, em que por vezes se discute tudo e mais alguma coisa mas na verdade não se discute nada no plano do concreto, sem apresentação de contributos substantivos para o município, refletindo-se igualmente no tipo de documentos apresentados que são, não raras vezes, um pro forma com mero valor simbólico e sem qualquer tipo de consequência. E não estou com isto a dizer que a Assembleia Municipal não possa discutir e pronunciar-se sobre matérias de cariz nacional ou internacional. Este aspeto é importante até mesmo por uma questão de pluralismo e de qualidade da representação política. Porque é que as forças políticas minoritárias que se encontram representadas na Assembleia Municipal mas que não dispõem de representação na Câmara Municipal não têm direito a apresentar propostas e medidas com valor vinculativo que reflitam as suas linhas programáticas e a sua visão para o concelho?

As comissões da Assembleia Municipal deveriam ser a sede própria para discutir e acompanhar sectorialmente com maior profundidade as propostas apresentadas pelo executivo, para os deputados municipais poderem propor alterações ao orçamento e para monitorizar a implementação das recomendações que são apresentadas no PAOD, garantindo que não cairiam no esquecimento. Desta forma, seria possível valorizar o trabalho dos deputados municipais, permitindo envolvê-los de forma mais regular na governação do município e responsabilizá-los de forma diferente pelas posições que assumem.

Pedro Vasconcelos Almeida
Presidente da Concelhia do Barreiro e Comissário Nacional da Juventude Socialista
Deputado à Assembleia Municipal do Barreiro

18.09.2018 - 17:55
Imprimir   imprimir

rostos.pt - o seu diário digital

rostos.pt - o seu diário digital

Partilhar: partilhar no facebook  TwitThis  digg it  Google Bookmark  Technorati  guardar link no del.icio.us 

rostos.pt - o seu diário digital

PUB.

rostos.pt - o seu diário digital

comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

rostos.pt - o seu diário digital

envie o seu comentário

rostos.pt - o seu diário digital

PUB.

rostos.pt - o seu diário digital





rostos.pt - o seu diário digital

Pesquisar outras notícias no Google

rostos.pt - o seu diário digital

rostos.pt - o seu diário digital

Design: Rostos Design. Fotografia e Textos: Jornal Rostos.
Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.

PUB.

REVISTA ROSTOS

PUB.

PUB.

PUB.

PUB.

ROSTOS APOIA

PUB.

DAMOS ROSTOS ÀS CIDADES

DIVULGAÇÃO

EDIÇÃO IMPRESSA


OUTRAS EDIÇÕES

  

  

VIDEOS ROSTOS

CANAL ROSTOS NOS VIDEOS SAPO


LIGAÇÕES

MARTA SOUSA PEREIRA Photography


ENTRE TEJO E SADO - BLOG SAPO LOCAL


SAPO LOCAL


GOOGLE NEWS - BARREIRO


JORNAIS E REVISTAS


CAMARA MUNICIPAL DO BARREIRO


CAMARA MUNICIPAL DA MOITA


BLOG DEDICADO A LAURA SEIXAS


ARTBARREIRO.COM


BANDA MUNICIPAL DO BARREIRO


MEMBRO DA

AIND