Conta Loios

opinião

Ser um Líder utilizando a Comunicação Assertiva
Por Sandra Lima Pereira
Barreiro

Ser um Líder utilizando a Comunicação Assertiva<br />
Por Sandra Lima Pereira<br />
BarreiroA assertividade é a capacidade de nos comunicarmos de forma afirmativa e objetiva, utilizando métodos expressivos e empáticos que façam com que o outro entenda a mensagem com exatidão.

Para ser bem-sucedido numa comunicação assertiva, é necessário ser positivo, autoconfiante e transmitir a opinião de forma segura, clara e transparente.

Mas a assertividade não é inata no ser humano, este tem de trabalhar e desenvolvê-la. Quando estamos dispostos a desenvolver uma área que favorece tanto nosso crescimento profissional quanto pessoal, abrimos espaço para o conhecimento.
A importância da comunicação assertiva

Dentro e fora das empresas, é comum encontrarmos falhas de comunicação, que têm o potencial de desencadear diversos tipos de conflitos nos relacionamentos. E-mails escritos de forma incorreta, mensagens mal interpretadas, conversas e feedback, realizados de maneira inadequada, entre muitas outras situações, são capazes de se transformarem em verdadeiros obstáculos para o crescimento e desenvolvimento dos colaboradores e para o alcance de sucesso dos negócios como um todo.

No contexto laboral, o truque é não permitir que as emoções afetem os próprios argumentos e comportamentos quando tem de tomar decisões ou orientar os seus funcionários. Quem utiliza uma comunicação assertiva, respeita o interlocutor.

Quais as características do comunicador assertivo?

1. Possuir Inteligência Emocional, criar empatia e escutar o outro;

2. Ter atenção à sua linguagem não verbal, adequando o discurso à sua fisiologia, expressões e postura corporal;

3. Coerência no que diz e pensa de acordo com as suas ações e atitudes;

4. Ser Automotivado, atingir os seus próprios objetivos, acaba por influenciar quem o escuta e segue;

5. Saber respeitar o outro no seu âmbito de conhecimentos e competências;

6. Saber traçar planos e metas para orientação intrapessoal e interpessoal, de forma a orientar e solucionar problemas de quem depende
de si;

7. Ter conhecimento daquilo que transmite, sendo uma pessoa credível;

8. Saber dar e pedir feedback mesmo a quem é seu subordinado, dando margem para desenvolver competências no relacionamento com o outro;

9. Saber dizer “não”, com afirmação;

10. Saber mediar conflitos não exacerbando a sua opinião, gerindo a sua emoção.


Sandra Lima Pereira
Life Coach, Formadora de Inteligência Emocional
sandrapereiracoaching.blogspot.com

17.07.2019 - 19:00

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.