Conta Loios

opinião

Mais e Melhores Transportes na Área Metropolitana de Lisboa – O papel do Carlos Humberto.
Por Rui Lopo
Barreiro

Mais e Melhores Transportes na Área Metropolitana de Lisboa – O papel do Carlos Humberto.<br>
Por Rui Lopo<br>
Barreiro Ontem a Área Metropolitana de Lisboa lançou um concurso público internacional para alargar a rede de transportes rodoviários, que em média, resultam num aumento de 40% dos serviços, mas que nalguns casos, nalguns municípios, os aumentos podem chegar quase aos 100% de melhoria de serviço.

E se dúvidas houvesse, nem o ministro do ambiente e da transição energética resistiu a dar o exemplo dos TCB, particularmente da aquisição dos 60 novos autocarros, olhando para o Carlos Humberto reconhecendo desta forma o seu papel como autarca.

O Jornal Rostos já havia reconhecido o papel do Carlos Humberto, atribuindo-lhe o Rosto do ano Regional em 2019, nomeadamente pelo seu papel na liderança executiva da área metropolitana de Lisboa e muito particularmente no que á mobilidade diz respeito. É um papel reconhecido pelo Jornal Rostos e por muitos barreirenses que se reveem no trabalhado do Carlos Humberto enquanto Presidente da Câmara Municipal do Barreiro, enquanto Presidente da Área Metropolitana (AML) e, agora com responsabilidades executivas enquanto Primeiro Secretário da AML.

É por isso justo que hoje dia 19 de Fevereiro de 2020 me associo a este reconhecimento do ROSTOS, porque ontem foram / estão lançadas as bases de um trabalho que muitas vezes defendi, e sobre o qual várias vezes intervi publicamente, porque o Carlos Humberto me deu a oportunidade de trabalhar, entre outras, as áreas da mobilidade e transportes da câmara municipal do Barreiro e os TCB.

Aquando do alargamento dos passes a toda a área metropolitana de Lisboa e à redução e uniformização do preço, vários dos intervenientes no processo, e muito particularmente o primeiro ministro António Costa, reconheceram publicamente, o papel inestimável do anterior Presidente da Câmara Municipal do Barreiro na concretização daquelas medidas metropolitanas, e que sem ele o processo não teria sido possível.

Quem conhece o Carlos Humberto sabe que dispensa os elogios públicos. Mas quem conhece a capacidade do seu trabalho, não deve hesitar faze-lo.

Ontem a Área Metropolitana de Lisboa lançou um concurso público internacional para alargar a rede de transportes rodoviários, que em média, resultam num aumento de 40% dos serviços, mas que nalguns casos, nalguns municípios, os aumentos podem chegar quase aos 100% de melhoria de serviço.

A área metropolitana de Lisboa vai ter assim, mais horários, mais carreiras, mais informação, mais e melhores percursos, com uma alteração significativa: já não é decidido pelos operadores de transporte, mas pelos municípios coordenados pela Área Metropolitana de Lisboa.

Mais uma vez ontem, foi a vez de Fernando Medina Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, pedir a uma sala com mais de 200 pessoas, autarcas, membros do governo, deputados, muitas pessoas do sector, uma salva de palmas para Carlos Humberto, reconhecendo o papel desempenhado neste processo, extremamente exigente e difícil de gerir todos os interesses instalados, em prol de um resultado final: a melhoria dos serviços prestados aos mais de 2,5 milhões de pessoas desta grande área urbana.

E para os que não conhecem, este papel concertador mas executivo e determinado na defesa dos interesses de quem representa, começou, mesmo em matéria de mobilidade, enquanto Presidente da Câmara do Barreiro, quer no dialogo com o governo que permitiu que se fossem corrigidas as assimetrias de financiamento para os TCB, ou todo o trabalho para que os TCB se pudessem candidatar à aquisição dos 60 novos autocarros. E continuou, nas dezenas de reuniões que mantivemos com o Presidente da Câmara de Lisboa e outros elementos do executivo municipal ainda em 2016 no sentido de fazer caminho, de se traçarem as linhas, os objetivos estratégicos, as lógicas, enfim, parte significativa do guião que nos trouxe até aqui: mais transportes, melhores transportes, mais baratos, geograficamente mais abrangentes, laboralmente responsáveis, socialmente integradores.

E se dúvidas houvesse, nem o ministro do ambiente e da transição energética resistiu a dar o exemplo dos TCB, particularmente da aquisição dos 60 novos autocarros, olhando para o Carlos Humberto reconhecendo desta forma o seu papel como autarca.

Hoje é dia de reconhecermos o papel do Carlos Humberto neste processo e no contributo inestimável para a qualidade de vida na área metropolitana de Lisboa.

Rui Lopo
Vereador da CDU eleito na Câmara Municipal do Barreiro

19.02.2020 - 15:24

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.