Conta Loios

opinião

Psicologia – Notas Reflexivas
ABANDONO E REJEIÇÃO
(A história de uma menina)
Por Rui Grilo
Barreiro

Psicologia – Notas Reflexivas<br />
ABANDONO E REJEIÇÃO <br />
(A história de uma menina)<br />
Por Rui Grilo<br />
Barreiro<br />
Foi neste pequeno canto da sala, que vi todos os alicerces da minha vida a desmoronar-se...
Nao foi somente um abandono físico...foi essencialmente um abandono emocional e afetivo... que me irá acompanhar para o resto da vida!!!
- retorquiu a menina com olhar triste e desiludido.

Pai... este que há muito tinha abandonado a sua filha...que há muito tinha abandonado a sua própria vida...
Homem preso a adições e acorrentado a si mesmo...
Pai que tantas vezes agrediu fisica e psicologicamente esta menina... que agrediu a mãe em frente desta menina...que considerou correto submeter a sua família ao que de pior existe... dor, sofrimento, manipulação, agressão... sem culpa nem remorso...

Há muito que esta menina tinha sido abandonada...apenas ainda não tinha percebido...

Mas sentiu sempre a rejeição de um pai ausente...sentiu o terror nos olhos da mãe quando o pai chegava a casa... sentiu a ausência de afeto e de amor...sentiu a falta de proteção... sentiu que não havia saída daquele inferno...sentiu-se só...
Mas... continuava a ser o seu pai...assim desejava que não fosse...

Tantas vezes chorou com os gritos... tantas vezes viu a sua mãe a deambular com marcas de dor e angústia...foram tantas as vezes que esta menina viu a sua mãe a desistir da vida...

Em momento algum esta menina teria de viver esta vida...esta história de medo e de desilusão...

A menina teria de ser a princesa num reino luminoso e fantástico...com um rei protetor, atento e afetuoso...onde os pássaros cantavam músicas de amizade, junto da floresta esverdeada...onde, da sua varanda, olhava o rei e a rainha de mãos dadas...

Mas não... esta menina viveu a rejeição e a dor do abandono...

E agora...evidencia sequelas de um sofrimento atroz...nao gosta de si quando se olha no espelho... não acredita nas suas capacidades... isola-se e fecha-se no seu mundo... nao permite que ninguém entre... não teve infância...e aquilo que mais se aproximou disso, reside num pequeno urso de peluche...o seu pequeno confidente....

Esta história não deve acontecer...

Esta não é uma história...

O pai é e será sempre um modelo educativo e afetivo para uma criança... esta deverá ser sempre a linha orientadora...

Um bem haja
Rui Grilo

20.02.2021 - 23:25

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2021 Todos os direitos reservados.