Conta Loios

opinião

Psicologia – Notas Reflexivas
RECIPROCIDADE
(O menino e a busca incessante do outro)
Por Rui Grilo
Barreiro

Psicologia – Notas Reflexivas<br />
RECIPROCIDADE <br />
(O menino e a busca incessante do outro)<br />
Por Rui Grilo<br />
Barreiro<br />
Este menino de que falo, tentava a todo o custo encontrar reciprocidade...

Saía de casa todos os dias para ir brincar para o parque, onde se sentava no aparelho sobe e desce... Aquele com dois bancos nas extremidades, que balança para cima e para baixo com o peso dos corpos... E aí, na sua ingenuidade, tentava encontrar reciprocidade....

Como sería isso possivel?
Como podería ele encontrar ser recíproco só.. sozinho consigo mesmo...sozinho...
Como podería ele encontrar reciprocidade naquele aparelho infantil...

A reciprocidade revela-se através da causa efeito... e podemos encontrá-la em todos os aspetos da nossa vida, seja no amor, nas amizades ou até mesmo no trabalho.

E este menino não tinha amigos....pelo menos era o que os pais lhe diziam...
Nao confies em ninguém!!! Os amigos não existem!!! Nós é que somos os teus amigos porque nunca te vamos desiludir.... Os amigos desiludem!!!

Estes pais... desiludidos e frustrados com relações falhadas e penosas, projetavam sobre o menino a incapacidade da reciprocidade... projetavam mágoa, insegurança e solidão...

Que erro estavam a cometer...
Que futuro adulto este menino ia ser, isolado do mundo e de si próprio...com medo e receio da partilha e da relação...
Este foi sempre o padrão de pensamento deste menino... nao confiar...que se traduzia numa enorme desvalorização pessoal...com um sentimento atroz de que ninguém gostava dele...

Ser recíproco, no fundo, é responder a uma ação positiva com uma ação do mesmo âmbito... tal como também, responder a uma ação negativa com a mesma tónica negativa.

Foi numa manhã de sol, que o menino, cabisbaixo, se direciona como habitual para o aparelho infantil sobe e desce... sozinho com os seus pensamentos, imaginando e idealizando amigos imaginários...

- Posso sentar-me? - perguntou a menina....ele olhou com medo e receio...suspirou... e acenou com a cabeça em sinal positivo...

Manhãs seguiram-se e os encontros tornaram-se habituais....a amizade surgiu e a reciprocidade emergiu até nunca mais desaparecer... os medos firam desaparecendo e a luz foi iluminando o rosto do menino...sorrindo...

A reciprocidade faz parte da humanidade...não nos pode ser retirado ou castrado...
Mas sejamos, acima de tudo, recíprocos na bondade, na humildade e na verdade...

Um bem haja
Rui Grilo

28.02.2021 - 12:13

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2021 Todos os direitos reservados.