Conta Loios

opinião

A MULETA E O VERDADEIRO SER DO CONTRA
Por Humberto Faísca
Barreiro

A MULETA E O VERDADEIRO SER DO CONTRA<br />
Por Humberto Faísca <br />
Barreiro Pode se concordar ou não com a decisão de contrair um empréstimo para a construção de uma embarcação, pode se ou não concordar com a visão publica das frentes ribeirinhas e com a estratégia de colocar as frentes ribeirinhas e o rio cada vez mais próximas e ao serviço da população.

Pode se isso tudo e não ser do contra, o que não se pode é reverter tudo o que vinha do passado e dizer que quem é do contra são os outros, como não se pode bater no peito a defender os técnicos do município à segunda quarta e sexta e depois à quinta e à terça tudo o que fizeram está errado.

A Muleta embarcação única do Tejo vai ser entregue a um privado, privado esse que em troca de explorar um equipamento que custou umas centenas de milhares euros ao municipio,oferece em troca, 4 dias ao Barreiro mais umas horas a serem marcadas com 2 ou 4 meses de antecedência, excelente negócio para o privado, aliás ultimamente essa tem sido a bitola, quando a autarquia é o arrendatário paga se tudo e bem pago quando está no papel de senhorio é tudo dado ou quase dado.
Voltando aos encargos da muleta;

A passagem para a exploração privada segundo o executivo é feita porque o município não possui capacidade de suportar 9 mil euros mês em despesas e trabalhadores, depois de se ouvir que as finanças da autarquia estão óptimas fica difícil de acreditar nas duas.
Nove mil euros mês , o município não consegue através do turismo e do património elaborar uma estratégia que permita essas receitas.
Já não falando que o serviço publico por vezes não terá de dar lucro, são exemplo disso alguns equipamentos construídos no Barreiro que do ponto de vista económico não são sustentáveis e não é por isso que são entregues à iniciativa privada.

Outra justificação é a falta de marinheiros, justificação que podia ser legitima ,ou seja, poderia ser legitima se a concessão ao privado fosse de 1 ou 2 anos, mas não, a 8concessão é a dez anos, a autarquia demite se de arranjar marinheiros por dez anos e depois mais dez e assim sucessivamente.

Lá vem a história de ser do contra, o PS Barreiro votou contra a Muleta, votou contra ,e hoje no poder, decide voltar a ser do contra enviando a Muleta para fora do Barreiro.
Aliás ser do contra ESTÁ espelhado no ultimo mandato, mas não pela oposição, ora vejamos:

Ponte para o Seixal troca se pela rotunda
Quinta de BRANCAMP pública, vende se
Projecto Aves Redol troca se para o Barreiro A
Centro Saúde Alto Seixalinho troca se para os fidalguinhos e depois para o Alto Seixalinho mas em lugar diferente
Dia B mata se a essência e arranja se outra coisa qualquer da cidadania

Ser mais do contra que isto fica difícil.

Humberto Faísca

24.07.2022 - 09:15

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2022 Todos os direitos reservados.