Conta Loios

opinião

Fechar a maternidade do Hospital onde nasce uma pequena vila portuguesa por ano? Inaceitável.
Por Luís Tavares Bravo
Barreiro

Fechar a maternidade do Hospital onde nasce uma pequena vila portuguesa por ano? Inaceitável.<br />
Por Luís Tavares Bravo<br />
Barreiro A população do Distrito de Setúbal tem quase 900 mil habitantes, e cresceu nos últimos 20 anos cerca de 10%, e nos últimos 10 anos cerca de 2% (censos 21). Nos mesmos períodos Portugal perdeu sempre população (-0,4% e -1,8% respetivamente). Cresceu mais que a Área Metropolitana de Lisboa (7% e 1,5%, a 20 e 10 anos), e bastante mais que a Área Metropolitana do Porto (0,19% e -1%, a 20 e 10 anos).

A procura por serviços hospitalares públicos aumentou, assim como aumentaram as necessidades por obstetrícia e natalidade. A rutura tornou-se evidente durante o verão, provocando encerramento de estruturas pelo Distrito, para além de situações caricatas.
Apesar destes factos, o governo parece estar a ponderar reduzir a infraestrutura hospitalar em Setúbal, encerrando a unidade urgência obstetrícia no Barreiro. Com todas as implicações de curto prazo, e de longo prazo que isto acarreta para um hospital Distrital que serve mais de 200 mil utentes.

Não é preciso um doutoramento em física para entender que o Distrito que mais tem crescido na AM Lisboa, necessita de mais investimento em infraestrutura hospitalar e em capital humano. O que não é solução nenhuma é o encerramento de unidades de obstetrícia onde nascem cerca de 4 crianças por dia, equivalente a 1400 crianças por ano - ou seja o Hospital do Barreiro, Moita e Montijo ajuda a criar uma pequena vila portuguesa por ano.

A autarquia não pode obviamente ficar silenciada perante estas notícias. O impacte deste encerramento cria feridas potencialmente perigosas para a sustentabilidade do Hospital Distrital, e consequentemente para a afirmação do Barreiro enquanto cidade atrativa e do Futuro. É absolutamente inaceitável.

Diga-se também, que se exige mais a um executivo que recolheu maioria absoluta popular há pouco mais de um ano. Os Barreirenses não entenderão que sobre tudo o resto, no final do dia prevalecessem lealdades partidárias acima do interesse maior, que é dos que querem que o Barreiro cresça, é certo, mas acima de tudo seja firme na defesa dos interesses da terra.

É isso que o Partido Social Democrata fará. Tomaremos, através das estruturas locais, as diligências necessárias para apurar a veracidade e entender a extensão destas notícias, e acima de tudo defender os interesses dos utentes, e do Barreiro.

Luís Tavares Bravo
PSD Barreiro, Presidente

12.10.2022 - 23:31

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2022 Todos os direitos reservados.