Conta Loios

opinião

História com final feliz.
Por Fernando Sequeira
Moita

História com final feliz.<br>
Por Fernando Sequeira<br>
MoitaEsta história reflecte de uma forma clara e objectiva, qual a gestão e as politicas de desenvolvimento do executivo Câmara da Moita, de quem tem o poder para decidir fazer melhor ou continuar na mesma, ou ainda ficar estagnado e sem objectivos definidos para o futuro.

Tenho um amigo em Alhos Vedros que decidiu um dia, aí investir num negócio de campos de futebol tipo Playhouse, com campo relvado sintético, onde quem quer pode desfrutar de um jogo de futebol com condições, como existe no Pinhal Novo. Após identificar o espaço e fazer um contrato promessa com o dono do imóvel em Alhos Vedros, avançou para as legalidades junto da Câmara Municipal da Moita. Acontece que numa reunião agendada com os responsáveis da mesma para o efeito, esta apenas serviu para que estes o informassem que tal projecto de investimento não era possível avançar e também não tinham dinheiro para dar, não dando qualquer justificação, quando o objectivo da reunião era apenas para ele se informar das legalidades necessárias e não era seu objectivo pedir qualquer verba.
Estando eu ao corrente desta intenção do meu amigo, o Orlando, e depois de saber do nega da C. M. Moita, sugeri-lhe um protocolo com o CRI. Clube de Futebol da terra com dirigentes honestos e trabalhadores, com provas dadas, de sacrifico em ultrapassar alguns obstáculos que lhes têm deparado pela frente na concretização do seu objectivo principal, renascer o CRI para um patamar superior no futebol, estando também disponíveis para o desenvolvimento do desporto no Concelho e com necessidades de infra-estruturas. O Orlando, praticou futebol e têm uma grande sensibilidade para com o Associativismo, achou que seria o dois em um, ele teria o seu projecto e o CRI teria o seu desenvolvimento.
Marcamos um encontro com o seu Presidente na sede do CRI, onde estivemos presentes, o Presidente Artur, o Orlando mais a esposa e eu, o Orlando falou ao Artur sobre as suas intenções e objectivos do projecto de relvar os campos de futebol, o Artur comprometeu-se a levar o assunto a reunião de Direcção. Mais tarde fui informado que o protocolo foi firmado entre as partes. Por sua vez a Câmara Municipal da Moita, não teve outra hipótese que não fosse aprovar o projecto.
Esta história reflecte de uma forma clara e objectiva, qual a gestão e as politicas de desenvolvimento do executivo Câmara da Moita, de quem tem o poder para decidir fazer melhor ou continuar na mesma, ou ainda ficar estagnado e sem objectivos definidos para o futuro.
O investimento na área do desporto parece não interessar, resume-se o interesse na área da construção civil, com a promiscuidade entre ambos, Câmara e construtores (alguns) tal como temos lido sobre o PDM na imprensa Local e Nacional, onde são relatados negócios com envolvimentos duvidosos.
O Associativismo, por sua vez, sobrevive devido a acções como esta, vai ter um final feliz, o Orlando e esposa vão ter o seu projecto, o CRI vai ter uma infra-estrutura (campo de futebol de 7 relvado) que representa um sonho desde á muitos anos e por fim no dia 28 de Agosto este espaço vai ser inaugurado e os doutores da Câmara Municipal da Moita vão aparecer de fato e gravata para cortar a fita, sem nada terem feito para que este projecto se concretize.

Parabéns Orlando.
Parabéns CRI.

Fernando Sequeira
Dirigente Associativo
Membro da Concelhia do Bloco Esquerda da Moita

9.8.2010 - 0:41

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.