Conta Loios

cultura

Barreiro – Vai ser exposto no Espaço Memória
Espólio artístico de Américo Marinho

Barreiro – Vai ser exposto no Espaço Memória <br />
Espólio artístico de Américo Marinho. “Um grande pintor europeu e um desenhador entre os maiores”.

A minuta de ‘doação do espólio artístico de Américo Marinho’ foi aprovada por unanimidade, ontem, na reunião da Câmara Municipal do Barreiro.
João Pintassilgo, vice presidente da Câmara Municipal do Barreiro, sublinhou o – “orgulho para o Barreiro” por receber o espólio artístico do barreirense Américo Marinho.

Sara Ferreira, vereadora responsável pela área cultural, na reunião da Câmara Municipal do Barreiro, apresentou a minuta de ‘doação do espólio artístico de Américo Marinho’.
A autarca referiu que o espólio artístico de Américo Marinho vai ficar exposto no «Espaço Memória».

Avaliar o porquê da aceitação do espólio

Pedro Estrela, CDU, teceu considerações e referiu que seria importante estarem anexar mais informação para se poder avaliar o porquê da aceitação do espólio de Américo Marinho.

Orgulho para o Barreiro

João Pintassilgo, vice presidente da Câmara Municipal do Barreiro, sublinhou o – “orgulho para o Barreiro” por receber o espólio artiistico do barreirense Américo Marinho.
A proposta foi aprovada por unanimidade.

Um dos nomes mais prestigiados do Barreiro nas artes plásticas

O Mestre Américo Marinho galardoado com a condecoração “Barreiro Reconhecido”, na área da cultura, é um dos nomes mais prestigiados do Barreiro nas artes plásticas, cuja obra é de um elevado valor estético e que marcou uma época.
O seu amor por Alburrica, pelas cores do Tejo e do Barreiro é indissociável da sua obra artistica.
Américo Marinho nasceu, no Barreiro, em 28 de Janeiro de 1913 e, desde cedo, se sentiu atraído pelas artes.
Aluno exemplar, concluiu com distinção os sete anos do curso da Escola de Belas Artes de Lisboa, sendo na época conhecido como o “Três Vintes”, nota que obtinha com regularidade e pelo facto de, no tempo, existir uma marca de tabaco muito popular – “20,20,20”.
Na sua actividade manteve convivido com grandes Mestres, como Carlos Reis ou Columbano.
Passou os últimos anos da sua vida em Santarém, onde veio a falecer, sendo o seu funeral realizado para o Barreiro, sua terra natal, terra que amou desde sempre, nunca esquecendo os recantos telúricos de Alburrica.

Desenhos de Américo Marinho retratam o quotidiano

Américo Marinho, grande amigo do Mestre Augusto Cabrita e de Manuel Cabanas, doou à Câmara Municipal do Barreiro 139 obras com a finalidade de integrarem o acervo do Museu Municipal.
A autarquia possui um conjunto de desenhos de Américo Marinho, feitos "sobre o joelho" que retratam o dia-a-dia do autor - a viagem no barco que liga as duas margens do Tejo, os amigos, a família, em suma, a observação do seu quotidiano. Na produção destes desenhos a técnica empregue é, essencialmente, a grafite sobre papel.
Recorde-se que a toponímia do concelho do Barreiro registou o seu nome atribuindo o nome de - Rua Américo da Silva Marinho – a uma artéria localizada na Urbanização dos Fidalguinhos.
No Parque da Cidade, foi atribuído o nome de Américo Marinho, ao edifício localizado ao lado do AMAC – Auditório Municipal Augusto Cabrita.

Exposição em 1989 na Galeria Bocage

“Considero o Américo Marinho o meu primeiro mito dessa imensa e fabulosa galeria que é o Universo dos Pintores. É também o meu primeiro Mestre.
Américo Marinho tinha ( e tem) a magia dos dedos – que são esse prolongamento de uma rara maneira de Olhar” –estas palavras escritas por Augusto Cabrita, num testemunho prestado a propósito de uma exposição realizada por Mestre Augusto Marinho, naquele que era o espaço nobre e de excelência para os artistas, no ano de 1989 – a Galeria Bocage.
“ Quantos e quantos retratos, inumeráveis, ele fez com o rigor e precisão do seu lápis a amigos e pessoas que, pela sua máscara, lhe interessavam” – escreveu Manuel Cabanas, como testemunho da mesma exposição.
Recorde-se que Américo Marinho foi considerado pela critica nacional e internacional como sendo “um grande pintor europeu e um desenhador entre os maiores”.

O espólio para a sua terra

A minuta de ‘doação do espólio artístico de Américo Marinho’ aprovada por unanimidade, ontem, na reunião da Câmara Municipal do Barreiro, vai consagrar o desejo da família de Américo Marinho de doar o espólio do artista à sua terra natal.

05.09.2019 - 15:03

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.