cultura

BARREIRO - AUGUSTO CABRITA, o olhar encantado
Iniciativa da Cinemateca Portuguesa na Biblioteca de Marvila em Lisboa

BARREIRO - AUGUSTO CABRITA, o olhar encantado <br>
Iniciativa da Cinemateca Portuguesa na Biblioteca de Marvila em Lisboa Integrado na retrospetiva FILMar, organizada pela Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema no âmbito do programa EEA Grants 2020-2024, são apresentadas três sessões de curtas e longas-metragens onde os filmes realizados por Augusto Cabrita, a memória da indústria da estiva do porto de Lisboa, e a presença de Amália Rodrigues, constituem momentos de diálogo com a exposição 𝘼𝙐𝙂𝙐𝙎𝙏𝙊 𝘾𝘼𝘽𝙍𝙄𝙏𝘼, 𝙤 𝙤𝙡𝙝𝙖𝙧 𝙚𝙣𝙘𝙖𝙣𝙩𝙖𝙙𝙤.

Vão ser apresentados filmes de Augusto Cabrita, Carlos Vilardebó, Jean Leduc, Manuel Guimarães, Maurice Mariaud e Paulo Brito Aranha, realizados entre 1924 e 1971.

𝟭𝟴 𝗱𝗲 𝗳𝗲𝘃𝗲𝗿𝗲𝗶𝗿𝗼
– “Gaivota” (Carlos Vilardebó, 1961)
– “Amália canta: ouça lá oh senhor vinho! de Alfredo Janes” (Augusto Cabrita, 1971)
– “O fado” (Maurice Mariaud, 1924)
– “Des portugais” (Jean Leduc, 1970)

𝟭𝟳 𝗱𝗲 𝗺𝗮𝗿ç𝗼
– “O mar transporta a cidade” (Augusto Cabrita, 1971
– “Os caminhos do sol” (Augusto Cabrita e Carlos Vilardebó, 1966
– “Docas de Lisboa” e “Tráfego e estiva” (Manuel Guimarães, 1967

𝟭𝟰 𝗱𝗲 𝗮𝗯𝗿𝗶𝗹
– “Porto de Lisboa” (Paulo Brito Aranha, 1934
– “Vidas sem rumo” (Manuel Guimarães, 1958

. As sessões acontecem sempre às 17h00, seguindo-se uma apresentação.
. Atividade sugerida para pessoas com mais de 12 anos.

. Exposição com entrada livre, no horário de funcionamento da biblioteca

𝘍𝘰𝘵𝘰𝘨𝘳𝘢𝘧𝘪𝘢: © 𝘈𝘶𝘨𝘶𝘴𝘵𝘰 𝘊𝘢𝘣𝘳𝘪𝘵𝘢 | 𝘎𝘦𝘯𝘵𝘪𝘭𝘮𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘤𝘦𝘥𝘪𝘥𝘢 𝘱𝘰𝘳 𝘊𝘪𝘯𝘦𝘮𝘢𝘵𝘦𝘤𝘢 𝘗𝘰𝘳𝘵𝘶𝘨𝘶𝘦𝘴𝘢 – 𝘔𝘶𝘴𝘦𝘶 𝘥𝘰 𝘊𝘪𝘯𝘦𝘮𝘢, 𝘤𝘰𝘮 𝘢𝘶𝘵𝘰𝘳𝘪𝘻𝘢çã𝘰 𝘥𝘰𝘴 𝘩𝘦𝘳𝘥𝘦𝘪𝘳𝘰𝘴.

17.02.2024 - 18:15

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2024 Todos os direitos reservados.