Conta Loios

autarquias

Setúbal - Gestão de Resíduos Urbanos para 2021
Tarifário mantém inalterados os valores definidos em 2020.

Setúbal - Gestão de Resíduos Urbanos para 2021<br />
Tarifário mantém inalterados os valores definidos em 2020. A Câmara Municipal de Setúbal aprovou hoje, em reunião pública, o Tarifário de Gestão dos Resíduos Urbanos do Município de Setúbal para 2021, que mantém inalterados os valores definidos em 2020.

O Tarifário de Gestão dos Resíduos Urbanos do Município de Setúbal para 2021 assegura a manutenção de um sistema tarifário indexado ao consumo de água e mantém os valores da tarifa de disponibilidade.

A tarifa de disponibilidade para utilizadores domésticos é de 1,65 euros por mês enquanto para utilizadores não-domésticos é de 8 euros mensais.

O documento prevê um nível único para a tarifa de disponibilidade e escalão único para a tarifa variável, por tipo de utilizador, a qual mantém o valor de 2020.

Saliente-se que continua a existir uma tarifa social, no caso dos utilizadores domésticos com uma isenção do pagamento da tarifa de disponibilidade e quanto às pessoas coletivas de declarada utilidade pública com uma redução das tarifas de disponibilidade e variável para valores iguais aos praticados para os utilizadores domésticos.

A autarquia, no âmbito da obrigatoriedade de adaptação do sistema tarifário à estrutura prevista do Regulamento Tarifário do Serviço de Gestão de Resíduos, aprovado pela ERSAR – Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos, procedeu a uma revisão tarifária em 2014 com o objetivo de assegurar, de forma faseada, a sustentabilidade económico-financeira do setor.

A manutenção do Tarifário de Gestão dos Resíduos Urbanos do Município de Setúbal para 2021 nos mesmos valores de 2020 resulta de “estar já garantida a recuperação dos custos do sistema”, sendo que “os resultados previsionais relativos a 2020 permitem antever uma taxa de cobertura de gastos totais implícitos de 100 por cento”.

O processo de recuperação financeira no setor municipal dos resíduos resulta de “alterações das componentes de disponibilidade e variável do tarifário” assim como de “medidas implementadas ao longo dos últimos anos”, que permitiram “melhorar o desempenho do sistema”.

Estes resultados, conclui a deliberação camarária, “confirmam a proposta plurianual apresentada em 2014 para a recuperação do défice tarifário então existente, no período entre 2015 e 2018, deixando de haver necessidade de recorrer à subsidiação por outras receitas municipais”.

21.10.2020 - 21:34

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.