Conta Loios

autarquias

Ex- Presidente da CM Setúbal, Carlos Sousa
Constituído arguido pelo Ministério Público

Ex- Presidente da CM Setúbal, Carlos Sousa<br>
Constituído arguido pelo Ministério Público. Os restantes vereadores poderão vir a ser constituídos arguidos

Carlos Sousa, ex- Presidente da Câmara Municipal de Setúbal, segundo revela o semanário “Sol” foi , esta manhã, constituído arguido pelo Ministério Público, no inquérito-crime que está a investigar as situações de reforma compulsiva envolvendo funcionários da Câmara Municipal de Setúbal.

A notícia publicada na edição online do semanário “Sol”, refere que para além de Carlos Sousa, foram constituídas arguidas duas funcionárias da Câmara Municipal de Setúbal : Conceição Justo e Cristina Monteiro.
O inquérito-crime teve origem num relatório da Inspecção-Geral da Administração do Território (IGAT), no qual é denunciada a existência de “um alegado conluio entre os responsáveis da câmara e trabalhadores do município, com o objectivo de levar à aposentação compulsiva destes trabalhadores.”
Recorde-se que segundo o Relatório da IGAT, cerca de 60 funcionários, todos com mais de 60 anos, sem condições para se reformarem, faltaram vários dias seguidos ao trabalho, motivando a abertura de processos disciplinares, cujas conclusões determinaram uma mesma e única medida: reforma compulsiva.

Restantes vereadores poderão ser constituídos arguidos.

Os referidos trabalhadores acabaram por se aposentar, com a reforma completa, embora não tendo atingido a idade prevista por lei.
As propostas de reforma compulsiva foram aprovadas, por unanimidade, pelo Executivo e refere o “Sol” que em consequência desta aprovação, os restantes vereadores, que aprovaram a proposta, poderão vir a ser igualmente constituídos arguidos.

21.3.2007 - 17:26

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.