Conta Loios

postais

Vítor Silveira, da «Plataforma Cívica Aeroporto B6 – Montijo Não»
«Tudo o que lá está vai ser destruído e construído de novo»

Vítor Silveira, da «Plataforma Cívica Aeroporto B6 – Montijo Não»<br />
«Tudo o que lá está vai ser destruído e construído de novo»Os custos do novo aeroporto na BA6 estão calculados em 3 mil milhões, enquanto os custos de um novo aeroporto de raiz, no Campo de Tiro de Alcochete, estão calculados em 4 mil milhões de euros, salientou Vítor Silveira, especialista de aviação, membro da «Plataforma Cívica Aeroporto B6 – Montijo Não»

Vítor Silveira, membro da «Plataforma Cívica Aeroporto B6 – Montijo Não», ontem na Baixa da Banheira, sublinhou que o aeroporto na Base Aérea do Montijo – “implica que será um aeroporto construído numa zona que não tem condições para tal”.
Recordou os estudos do Laboratório Nacional de Engenharia Civil que mereceu a aprovação da sociedade civil apoio os quais resultaram na tomada de decisão da mudança da localização do novo aeroporto de Lisboa, da OTA para o Campo de Tiro de Alcochete.
Salientou que foi com a vinda da troika, que o governo PSD, concluiu que “não há dinheiro para fazer o aeroporto”.

Fez-se crer que esta é uma boa solução

Vítor Silveira, que é um técnico da aviação, referiu que perante as “dificuldades de operação” do aeroporto da Portela, em Lisboa, optou-se pela solução «Portela +1», assim apontou-se a Base Aérea do Montijo, como sendo uma boa solução económica.
“Fez-se crer que esta é uma boa solução”, disse.

Tudo o que lá está vai ser destruído

Neste contesto salientou que tudo – “o que lá está” na Base Aérea do Montijo – “não serve rigorosamente para nada”.
“Tudo o que lá está vai ser destruído e construído de novo” afirmou.
Sublinhou que a pista da BA6 não tem condições para os aviões operarem – “tem que ser feita uma pista nova e alargada” e “vai ser prolongada para a zona de sapal”.
Referiu que os custos do novo aeroporto na BA6 estão calculados em 3 mil milhões de euros, e alertou para a necessidade de serem criados acessos através da A12 e que tal implica a expropriação de terrenos.
Sublinhou que é uma falácia afirmar que o aeroporto na BA6 vai criar emprego, se for construído o aeroporto com a densidade que se prevê, pode criar 350 a 500 postos de trabalho, será muito poucos ou quase nenhum os empregos indirectos, porque para aqui só vão voar empresas “low cost”.
O novo areporto na BA6, disse, esta é uma solução que diversas entidades estão contra :“Porque insistem nela?”, interrogou.

Cidade aeroportuária

Vítor Silveira, sublinhou que se a opção fosse pela construção de um novo aeroporto de raiz, no Campo de Tiro de Alcochete, os custos estão calculados em 4 mil milhões de euros.
Este seria um projecto que podia contribuir para criar postos de trabalho, desenvolver a cidade aeroportuária, contribuir para o desenvolvimento económico da Península de Setúbal.
Este é um projecto estudado e sustentado pelo LNEC.
Vítor Silveira, que esta decisão do governo, demonstra que este é um governo forte para as pessoas, para cortes, mas, “quando lida com interesses instalados, aceita tudo”.

VER FOTOS

https://www.facebook.com/pg/jornalrostos/photos/?tab=album&album_id=10155711046657681 />

30.09.2018 - 13:29

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.