Conta Loios

postais

Na Galeria de Artes do Forum Barreiro
Exposição «Fim de Linha» de Isabel Braga
A beleza de um olhar…que é um «libelo acusatório»

Na Galeria de Artes do Forum Barreiro<br />
Exposição «Fim de Linha» de Isabel Braga<br />
A beleza de um olhar…que é um «libelo acusatório»Na Galeria de Artes do Forum Barreiro, até ao próximo dia 2 de Junho, pode ser visitada a exposição de fotografia - «Fim de Linha», de Isabel Braga.

Uma exposição que é um «libelo acusatório», feito através do olhar de uma objectiva que tem por trás de si, um olhar que motiva pensamento e emoção.

O conjunto de fotografias de Isabel Braga, quer do Barreiro, quer de outros lugares de Portugal, ou de olhares de «zoom», sobre as inscrições ferroviárias no território e na vida, pode considerar-se que reflectem um daqueles momentos da vida quando sentimos que a fotografia, como qualquer arte, para além da sua dimensão estética, transportam sempre dentro de si o «filtro» do pensamento, as ideias, os olhares, os sentimentos, as percepções, do real que se transforma emm arte, que não é inócua mas que obriga a interpretar, pensar e sentir. E, isto é o belo da arte e do fazer arte.

Esta exposição de Isabel Braga, tem dentro de si um fio condutor, uma interpretação, feita não meramente para critica, mas para fazer pensar.
Uma exposição que é um «libelo acusatório», feito através do olhar de uma objectiva que tem por trás de si, um olhar que motiva pensamento e emoção.
Ora não fosse, uma exposição feita, como diz, Isabel Braga – “Em memória do meu pai, ferroviário durante quase toda a sua vida”.

Nesta exposição estão patentes fotografias muito fortes. Tocam os nervos. Tocam as memórias. Tocam a história.
São fotografias, no seu conjunto, e cada uma delas por si, belas pela dimensão temporal e pela dimensão estética. A estética é a emoção que faz pensar.
São fotografias que transportam dentro de si este pensamento da autora, que está patente na galeria de Artes do Forum do Barreiro – “Aos olhos vistos temos vindo a assistir á degradação da famosa CP. Desleixo, vandalismo, descuido, enfim.
«Fim de Linha» pretende demonstrar o estado lamentável a que uma companhia ferroviária sumptuosa como a CP chegou. Um dia, todos nós chegaremos ao fim da linha mas a CP, a meu ver,chegou ao fim muito precocemente.”

Esta exposição só por si, era, sem dúvida um bom leit motiv, para uma conversa sobre Portugal, a forma como sucessivos governos, optaram por dar prioridade à via rodoviária como referência de mobilidade, e, descuraram, desprezaram mesmo a via ferroviária. Destruindo.
Esta exposição de Isabel Braga é, sem dúvida, um libelo acusatório a um país e suas escolhas.

Gostei, pela sua dimensão estética e por abrir caminhos a pensar, um pouco do que fomos, e, talvez, ainda possamos estar a tempo de voltar a ser, um país que pela sua dimensão a ferrovia, é, tem que ser estruturante em duas vertentes – na sua ligação à Ibéria e à europa, e na criação de proximidade territoriais, do interior com as zonas de maior dimensão urbana.

António Sousa Pereira

VER FOTOS

https://www.facebook.com/pg/jornalrostos/photos/?tab=album&album_id=10156178933547681

28.05.2019 - 19:07

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.