Conta Loios

postais

Barreiro – Cartão Cheque Cultura
Aprovado com 5 abstenções da CDU e PSD e 4 a favor do PS

Barreiro – Cartão Cheque Cultura<br>
Aprovado com 5 abstenções da CDU e PSD e 4 a favor do PS . CDU - é uma «operação de marketing» e «não tem nada a ver com cultura»

. PS - «fazer com que mais pessoas tenham acesso à cultura».

Após o período de discussão pública, que não contou com nenhum contributo dos cidadãos barreirenses. Ontem na reunião da Câmara Municipal do Barreiro foi aprovada a proposta da versão final do projecto de Regulamento do Cartão Cheque Cultura. Os vereadores socialistas votaram a favor, os vereadores da CDU e PSD optaram pela abstenção.

Sofia Martins, CDU, referiu que este «micro regulamento» é uma «operação de marketing» e «não tem nada a ver com cultura», porque «de cultura não tem absolutamente nada».
Referiu que este cartão é uma opção de criar uma linha de descontos de 2 euros e considerou que é deselegante tratar as pessoas com esta forma de ilusionismo - «podia ser uma operação de supermercado».
«Isto não favorece a prática politica”, disse.

Visa conseguir fidelizar públicos.

Sara Ferreira, PS, referiu que existem pontos de vista diferentes entre o PS e a CDU, e considerou que este projecto de Cartão cheque cultura é um formato que permite divulgar, promover e visa conseguir fidelizar públicos.
Salientou que é uma ferramenta interessante que pode atrair mais pessoas – “fazer com que mais pessoas tenham acesso à cultura”.
“Nós vamos experimentar. Vamos montar a aplicação neste cartão cheque cultura”, disse.

Reduzir a politica cultural a um cheque é ser populista.

Rui Lopo, CDU, referiu que o projecto apresentado está “pouco estruturado”, resultando de uma obrigação de apresentar a medida – “isto é pobre”.
Salientou que esta proposta, num tempo que a Câmara tem outras condições do ponto de vista financeiro de promover uma politica de desenvolvimento cultural, quando reduz a politica cultural a um cheque é ser populista.

É um instrumento, não é nenhuma politica cultural

Rui Braga, PS, sublinhou que a visão cultural da autarquia não começa, nem acaba num cheque cultural.
Este é um instrumento “não é nenhuma politica cultural”, sublinhou o autarca.
Salientou que reduzir a politica cultural e a estratégia cultural ao cheque da cultural, isso sim é que é pobre, afirmou Rui Braga.

A proposta contou com a abstenção dos eleitos da CDU e PSD, a votação favorável do PS. Sendo aprovada..
Recorde-se que no período de discussão pública, este projecto não contou com nenhum contributo dos cidadãos barreirenses.

16.01.2020 - 12:44

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.