Conta Loios

postais

Maria João Salvador do Núcleo Re-food Barreiro
Apoiamos para cima de 670 pessoas com carências alimentares
. Há pobreza envergonhada

Maria João Salvador do Núcleo Re-food Barreiro<br />
Apoiamos para cima de 670 pessoas com carências alimentares<br />
. Há pobreza envergonhada . Cerca de 1/3 dos todos os alimentos que são produzidos vão para o lixo e há muita gente com fome.

“Ninguém está livre de viver dificuldades. Há muitas famílias que nos chegam porque tinham a vida organizada e de repente ambos perderam o emprego e ficaram numa situação mais vulnerável.”, referiu Maria João Salvador, no decorrer da conversa, realizada na sessão da SFAL, de «Rostos ao Vivo».

Maria João Salvador, representante do Núcleo Re-food do Barreiro, foi uma das participações, no «Rostos ao Vivo» que decorreu na SFAL, no Lavradio.
O Movimento Re-food é de âmbito nacional, tendo diversos núcleos espalhados pelo território nacional.

Barreiro conta com cerca de 200 voluntários

O Núcleo do Barreiro existe desde 2020, começou com um pequeno grupo de cidadãos, os pioneiros que organizaram uma reunião, realizada em Março de 2019, para apresentar o projecto, fruto dessa reunião nasceu a equipa de gestão, que iniciou o seu trabalho – “para dar vida ao projecto, dar vida a esta ideia e concretizar a existência de um núcleo Re-food no Barreiro”, recordou Maria João Salvador.
O Núcleo Re-food foi inaugurado em Março de 2020, funcionando num espaço cedido no Parque Empresarial da Baía do Tejo, actualmente conta com cerca de 200 voluntários.
“Este é um movimento 100% voluntário. Nada do que fazemos era possível se não fossem os voluntários. A envolvência dos voluntários é importante, têm que ser dinâmico, estar motivados, ter sentido da responsabilidade, porque as actividades de todos nós estão relacionadas. Parte muito do apoio dos voluntários o apoio que depois nos chega da comunidade”, sublinha Maria João Salvador, acrescentando a importância e o papel dos parceiros na dinâmica do Núcleo.

Lutar contra o desperdício alimentar

“O Movimento Re-food surgiu para dar resposta, uma pequena resposta, a um problema que, infelizmente, não é um problema local, é um problema mundial, que é o desperdício alimentar.
Hoje sabemos que cerca de 1/3 dos todos os alimentos que são produzidos vão para o lixo e há muita gente com fome.
Portanto o objectivo principal da Re-food é lutar contra o desperdício alimentar e, a nossa missão, é resgatar alimentos em bom estado, que vamos buscar aos parceiros, restaurantes, supermercados, e redistribuir essa comida de forma digna, de forma rápida e localmente pelas pessoas que precisam”, salientou Maria João Salvador.

Hoje em dia apoiamos 223 famílias

No decorrer da nossa conversa, a representante do Re-food, sublinhou que, actualmente, há muitas pessoas com carência alimentar no Barreiro.
“Infelizmente há, posso dizer-lhe que quando começámos em 2020 apoiávamos cerca de 30 famílias, hoje em dia apoiamos 223 famílias, para cima de 670 pessoas”, disse.
As pessoas contactam a Re-food ou porque ouviram falar, ou porque foram indicadas por alguma IPSS, que não tem como dar apoio e – “pede-nos apoio, nem que seja temporário, ou complementar. As pessoas chegam até nós pelas mais diversas formas, alguma temporariamente”.

Ninguém está livre de viver dificuldades

Maria João Salvador refere que as famílias que solicitam apoio à Re-food são dos mais diferentes níveis sociais.
“Ninguém está livre de viver dificuldades. Há muitas famílias que nos chegam porque tinham a vida organizada e de repente ambos perderam o emprego e ficaram numa situação mais vulnerável.
A situação que mais satisfação nos dá é quando temos um telefonema de uma família que nos diz: muito obrigado pelo vosso apoio, mas já consegui emprego, ou já me consegui organizar e já não preciso”, sublinha.

Há também a pobreza envergonhada

Como é que vivem psicologicamente o drama das famílias?
“Não é fácil, porque inevitavelmente acabamos por nos envolver e vermos pessoas que estão ali, muitas delas constrangidas, porque há também a pobreza envergonhada, isto acaba por ser muito duro”.

Todos os dias nos chegam novos pedidos de ajuda

Sente que a situação de pobreza no Barreiro é dramática, ou não? – perguntámos.
“Temos sentido que as coisas estão muito complicadas, porque todos os dias nos chegam novos pedidos de ajuda”

Contribuir para uma cidade mais solidária

“Sermos voluntários num movimento deste género para além de estarmos a contribuir para uma cidade mais solidária, mais humanitária, mais sustentável, e ajudarmos pessoas que são iguais a nós e estão a passar momentos menos bons, dá uma satisfação pessoal muito grande, faz-nos crescer e enriquece-nos muito como pessoas. Tenho aprendido muito desde que estou na Re-food.”, afirmou Maria João Salvador

Ensaio geral solidário

No Teatro Camões, em Lisboa, numa iniciativa da Companhia Nacional de Bailado, vai ser disponibilizada parte da receita para o Re-food.
Em troca de um donativo de 12 euros, oferecemos um convite para assistir ao ensaio geral solidário, uma peça coreografada por Olga Roriz – “Deste mundo e do outro” – que vai estar em cena dia 22 de Junho.
Fica o registo. Colabore.

S.P.

VER ROSTOS AO VIVO INTEGRAL AQUI
https://www.facebook.com/BxBTVOn/videos/737784810745158

11.06.2022 - 09:52

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2022 Todos os direitos reservados.