Conta Loios

postais

Sara Ferreira, Vereadora da Câmara Municipal do Barreiro
Não deixar que “o papel do Barreiro e dos barreirenses seja desvanecido, seja esquecido”

Sara Ferreira, Vereadora da Câmara Municipal do Barreiro<br />
Não deixar que “o papel do Barreiro e dos barreirenses seja desvanecido, seja esquecido” A Sessão de Abertura do Colóquio sob o tema “Fontes para a História Social de Portugal”, realizado no âmbito das Jornadas Europeias do Património, que, hoje à tarde, decorreu no Museu Industrial da Baía do Tejo, contou com a participação de Jorge Quintas, Secretário Geral da Fundação Amélia de Mello, e, Sara Ferreira, Vereadora da Câmara Municipal do Barreiro, responsável pelas áreas do Património e Cultura.
A autarca defendeu que “o Barreiro deve continuar a consolidar e a aumentar este projecto da cidade dos arquivos”.

Jorge Quintas, Secretário Geral da Fundação Amélia de Mello, que moderou o Colóquio, abriu a sessão, recordando que o evento se integrava nas Jornadas Europeias do Património e referindo a metodologia do colóquio, com intervenções, debate e troca de opiniões, que teria inicio após a sessão de abertura, passando a palavra para Sara Ferreira.

Barreiro teve importância na construção social do século XX

A responsável pela área da Cultura e Património do município, começou por sublinhar a importância que a Câmara Municipal do Barreiro atribui ao projecto «Cidade dos Arquivos», referindo que os arquivos existentes no território da Baía do Tejo mostram a história do século XX, na parte social e económica.
Disse, que é muito bom recebermos este Colóquio das Jornadas Europeias do Património, aqui no Barreiro, “precisamente para percebermos a importância que o Barreiro teve na construção social do século XX”, e, a “importância social que teve para o desenvolvimento de Portugal”

Baía do Tejo que não é só um território industrial é também um território do conhecimento

Referiu que não devemos deixar que o nosso papel, “o papel do Barreiro e dos barreirenses seja desvanecido, seja esquecido”
Salientou que são estas iniciativas que contribuem para recordar salientar essa importância do Barreiro.
Defendeu que “o Barreiro deve continuar a consolidar e a aumentar este projecto da cidade dos arquivos, que é realmente importante para a dinamização do território da Baía do Tejo, que não é só um território industrial, mas é também um território do conhecimento”, e, “um território de cultura”.

O Colóquio sob o tema “Fontes para a História Social de Portugal” foi uma iniciativa promovida em conjunto pelo Arquivo dos Portos de Lisboa, Setúbal e Sesimbra, pelo Arquivo Ephemera, pela Fundação Amélia de Mello, pelo Arquivo da Baía do Tejo e pelo Arquivo da Câmara Municipal do Barreiro.
O colóquio terá como oradores Álvaro Ferreira da Silva, da Nova School of Business and Economics; José Pacheco Pereira da Ephemera; Teresa Veiga de Macedo da WMF – World Monuments Fund; e, também a participação de Ana Alves Pereira e Paula Meireles em representação da BAD – Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas, Profissionais da Informação e Documentação.

23.09.2022 - 22:43

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2022 Todos os direitos reservados.