Conta Loios

entrevista

Curso Superior em Construção Civil no Barreiro
Quadro intermédio é uma necessidade do mercado
. Ensino é pós-laboral

Curso Superior em Construção Civil no Barreiro<br>
Quadro intermédio é uma necessidade do mercado<br>
. Ensino é pós-laboral . Grande obras de construção civil em todo o mundo são feitas com técnicos portugueses

Arranca este ano lectivo na Escola Superior de Tecnologia do Barreiro um Curso dirigido a quadros médios, que permite assinar, obras ao nível da construção civil, de alvarás até à classe 4, na ordem de 1 milhão e 300 mil euros.

“Nós tivemos contactos com empresas do distrito de Setúbal que, neste momento, já nos dizem, nós querem já os estagiários”, sublinha Susana Lucas, Engenheira Civil, Coordenadora do Curso Médio em Construção Civil.

“Nós tivemos contactos com empresas do distrito de Setúbal que, neste momento, já nos dizem, nós querem já os estagiários”, sublinha Susana Lucas, Engenheira Civil, Coordenadora do Curso Médio em Construção Civil.
“Não é um Curso Superior, é dirigido a quadros médios, que proporciona habilitação que permite assinar, ao nível da construção civil, alvarás até à classe 4, que corresponde a obras que podem atingir valores na ordem de 1 milhão e 300 mil euros”, salienta Susana Lucas, Engenheira Civil, Coordenadora do Curso Superior em Construção Civil, que arranca este ano lectivo na Escola Superior de Tecnologia do Barreiro –.
“Isto surge de uma necessidade do mercado. Nós tivemos interacção com a Associação de Agentes Técnicos e com o Sindicato de Agentes Técnicos, bem como empresas da região, que ficaram muito interessados em ter estes profissionais no mercado.”, refere Susana Lucas.

O Quadro intermédio é uma necessidade do mercado

Recorda da sua experiência profissional, no terreno, nas empresas de construção civil, verificou que existem muitos trabalhos que não é necessário ser engenheiro para os concretizar, deu como exemplo, questões de controle orçamental, qualidade e ambiental, áreas que um quadro intermédio, com algumas competências adquiridas em termos de formação, conseguem perfeitamente concretizar.
“Na construção civil existem os operários e existem os engenheiros, falta um Quadro intermédio que faça a ligação, entre estas duas realidades. Nós considerámos que esta é uma necessidade do mercado”, sublinha Susana Lucas.

Estas pessoas são necessárias no mercado

A Coordenadora do Curso Médio em Construção Civil, refere que nos últimos dez anos – “o mercado da construção civil esteve muito tempo baixo, neste momento as próprias empresas reestruturaram-se, estão com novas necessidades, com necessidade de pessoas mais adaptáveis o que permite que estes profissionais entrem”.
“Nós tivemos contactos com empresas do distrito de Setúbal que, neste momento, já nos dizem, nós querem já os estagiários”, sublinha
Refere que os contactos com as empresas permite avaliar como estas pessoas são necessárias no mercado e fazem falta às empresas.

Ensino é pós-laboral

Susana Lucas, recorda que para os potenciais interessados em frequentar este Curso Médio, existe uma “grande vantagem”, porque “não precisam estudar tanto, como nós os engenheiros”.
Para inscrição no Curso Médio em Construção Civil é necessário ter 18 anos, o 12º ano e uma disciplina de Matemática, ou pode fazer ingresso através do acesso pelos «Maiores de 23».
O Curso já conta com inscritos da 1ª fase e a segunda fase de candidaturas foi concluída no dia 19 de outubro.
“A nossa vantagem em relação a outros Institutos, ou outras instituições do Ensino Superior é que o ensino é pós-laboral, além disso as aulas são gravadas e os alunos podem assistir em directo, em casa, ou ver posteriormente.
Sabemos que muitos dos interessados são profissionais, que não têm o enquadramento técnico, têm a sua vida profissional e pessoal, por essa razão têm interesse num curso que lhe facilite os horários, de acordo com as suas disponibilidades. No semestre passado tivemos unidades curriculares que funcionaram on line e funcionaram muito bem, foi muito interessante, com alunos a trabalhar separadamente e em simultâneo. É uma nova aprendizagem para todos, permite interagir e novas formas de ensino,” salienta Susana Lucas.

Somos mesmo muito bons na área da construção civil.

“A construção civil está numa fase de novas oportunidades, não só aquela de grandes obras. Estes quadros médios são precisos e muito, as empresas andam a pedir, mas agora é preciso esperar, é preciso formar primeiro”, refere.
“A construção Civil é uma área importante, o nosso país, nesta área a nível mundial somos dos melhores. Não existe país nenhum que não identifique uma pessoa que saia de uma instituição de ensino superior portuguesa. Somos mesmo muito bons na área da construção civil. Grande obras em todo o mundo são feitas com técnicos portugueses. Coisas fantásticas, mesmo”, refere a finalizar o nosso diálogo on line, Suasana Lucas da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro.

S.P.

20.10.2020 - 23:11

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.