artes

BARREIRO / SETÚBAL - «Pinóquio – O Musical» pelo GATEM – Espelho Mágico
Uma peça de Teatro marcada pelo ritmo, beleza e expressividade

BARREIRO / SETÚBAL - «Pinóquio – O Musical» pelo GATEM – Espelho Mágico<br>
Uma peça de Teatro marcada pelo ritmo, beleza e expressividade Em Abril, no Salão da SFAL – Sociedade Filarmónica Agrícola Lavradiense, tive o prazer de assistir ao espectáculo de Teatro «Pinóquio – O Musical», pelo GATEM – Espelho Mágico. Uma peça de Teatro marcada pelo ritmo, beleza e expressividade.

Mas, quero salientar que, para além do prazer pessoal que tive de viver intensamente aquele espectáculo marcado de musicalidade, cor, ritmo e paixão, vivi, um momento da minha vida que, na verdade, vou guardar para sempre, aqui, num cantinho dentro de mim, aquele, onde guardo as coisas belas da vida.
Nessa tarde, inesquecível pelo brilhantismo do que aconteceu mo palco tive, também, o prazer de ter ao meu lado, a assistir ao espectáculo, a minha neta Alice de 3 anos e meio.
Com ela. pela primeira vez partilhei a emoção de sentir o pulsar do coração ao ritmo de uma peça de teatro. A Alice vibrou. Viveu tudo com paixão. Aplaudia. Delirava. Foi lindo.

E, na realidade, se mais nenhuma razão existisse só este facto seria motivação para escrever um texto sobre esta peça do GATEM.
Claro, não apenas pelo facto de a Alice, ter assistido ao espectáculo, mas sim, isso sim, pelo facto de ela do principio ao fim viver a peça, a aplaudir, a emocionar-se e estar sempre com os olhos postos em tudo o que se passava e vivia no palco – ela e uma amiga que estava ao seu lado - ao ponto de, em certo momento da peça voltar-se para mim e comentar, com emoção e um brilho nos olhos: “Avô, o Pinóquio está na preso”.

Mas, este facto que relato, não é por mero acaso, registo-o sim, por isso, apenas por isso, que ele permite de forma natural, sem rodriguinhos, uma coisa central no teatro – ou seja, o modo como o espectador vive a peça.
Por essa razão, é essencial dizer que, uma peça que cativa uma criança de forma tão intensa e brilhante, como este musical do Pinóquio, só tem uma palavra para a classificar – excelência.
É, sem dúvida, um espectáculo para “toda a família”, porque é vivido com paixão pelos netos, filhos. assim como pelos seus pais e avós.
«Pinóquio – O Musical» é um trabalho que, pela sua plasticidade, pela energia dos actores e actrizes, cativa de forma admirável o espectador e coloca o espectador a viver com emoção os contextos.
Uma peça musical encenada com sensibilidade. Um peça com ritimo e musicalidade. Uma peça onde os intérpretes vivem os personagens de forma intensa, com uma perfeita dicção, que não ofuscam o texto, antes pelo contrário dão-lhe expressão dramática.

Uma peça com uma cenografia, figurinos, estudados de forma equilibrada, com com beleza estética, tudo devidamente enquadrado, quer no espaço, quer no tempo. Uma peça que vai nascendo no palco com naturalidade, simplicidade e beleza.
Sim beleza, porque a força de um musical reside no belo, na criatividade, gerando contextos que envolvem os espectadores na sentir e partilhar as acções.
Aquela abertura, circense , no começo do espectáculo, marca todo o ritmo e permite sentir essa motivação, permanente de ligar os actores aos espectadores, motivando os espectadores a participar e a ficarem empolgados pela força da música, pela energia do colorido e pelo ritmo dos actores, todo um conjunto, bem enquadrado e pensado para dar aquela intensidade que enche, quer o palco, quer a sala de forma vibrante. A Alice é um exemplo.

Na verdade, assim como Pinóquio se envolveu em todo aquele contexto de sair do mundo da marionetas do seu criador, para viver o mundo real, onde não faltou o “grilo falante”, a tocar os sentidos e a consciência, também de forma enriquecedora, também, quem viveu este espectáculo teve o prazer de sentir, ali, no palco a força e a beleza de uma peça de teatro, marcada pelo ritmo, pela musicalidade, pela beleza e pela expressividade, numa viagem pelo mundo da imaginação e do imaginário.

A forma como a minha Alice viveu este musical é, para mim, sem dúvida, o exemplo puro e vivo, como é possível com realismo, imaginação e criatividade, a partir de um texto de literatura infantil fazer nascer um musical de excelência. Um espectáculo belo e sublime.

E, no final, numa breve conversa, ainda tive a alegria de obter uma informação que muito me alegrou o facto de tomar conhecimento que, apesar do GATEM – Espelho Mágico, ao longo dos anos ter a sua área de actuação em Setúbal e Palmela, na actualidade, a grande maioria dos membros do seu elenco, são oriundos dos concelhos do Barreiro e Moita. É notícia.

António Sousa Pereira

Ficha Técnica
GATEM – Espelho Mágico
‘PINÓQUIO’
Adaptação livre de Céu Campos da obra “Pinóquio aventuras de um boneco” de Carlo Collodi.
Encenação: Céu Campos

Música original: António Carlos Coimbra
Poética: Luís Filipe Estrela
Cenografia / Figurinos e Montagem: Céu Campos
Caracterização: Carolina Macedo
Desenho de Luz: Jose Santos
Técnica: Mariana Macedo Dias , Rui Silva e José Santos

Elenco por ordem de entrada em cena: Gepetto - Claudio Pinela , Pinóquio - Jéssica Ricardo , Fada azul - Céu Campos, Grilo falante – David Pereira , Stromboli - João Canhoto , Palhaço Anacleto - Luis Nascimento , Gazeteiros, artistas e palhaços: Mafalda Santos , Diogo Carias , Diogo Leiria , Madalena Freire Pereira , Cherma Costa e Inês Pavão.

VER FOTOS
https://www.facebook.com/media/set/?set=a.672917554842062&type=3

14.05.2023 - 20:05

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2024 Todos os direitos reservados.