Conta Loios

bastidores

Bloco de Esquerda reuniu com Direção da Academia de Música de Almada
Vai pressionar Governo e denunciar situação da Academia a nível parlamentar e autárquico.

Bloco de Esquerda reuniu com  Direção da Academia de Música de Almada <br />
Vai pressionar Governo e denunciar situação da Academia a nível parlamentar e autárquico.A Deputada Mariana Aiveca e uma delegação do Bloco de Esquerda estiveram ontem, dia 20 de Janeiro, reunidos com a Direção da Academia de Música de Almada (AMA).

O Bloco de Esquerda de Almada e a Coordenadora Distrital de Setúbal expressaram à Academia de Almada, professores, alunos e pais, toda a solidariedade perante esta situação inaceitável e o compromisso de continuar a pressionar o Governo e denunciar esta situação a nível parlamentar e autárquico.

A Deputada Mariana Aiveca e uma delegação do Bloco de Esquerda estiveram ontem, dia 20 de Janeiro, reunidos com a Direção da Academia de Música de Almada (AMA). A Academia de Almada é um dos 15 estabelecimentos de ensino artístico a quem o Ministério da Educação deve cerca de 3 milhões de euros. No distrito de Setúbal estão também nesta situação o Conservatório de Palmela, o Conservatório de Setúbal e a Academia Luísa Todi.

Tal como as restantes, a AMA é uma escola de ensino especializado da música com paralelismo pedagógico para os cursos básico e secundário. Isto significa que o Estado paga a esta escola para cobrir uma oferta de ensino que não existe na rede pública de educação.

Apesar dos atrasos nas transferências serem habituais, a falta de pagamento que se verificou este ano relativamente à primeira tranche de 190 mil euros já causou problemas muito graves para docentes e alunos da Academia. Os 190 alunos do ensino articulado encontram-se neste momento com as aulas suspensas porque as escola não tem dinheiro para pagar aos professores. Por sua vez, os professores têm dois meses de salário e o subsídio de Natal em atraso e os dirigentes da Academia acabam por ter se endividar para manter níveis mínimos de funcionamento.

É preciso não esquecer que estas escolas de ensino articulado prestam um serviço público para o qual foram contratadas pelo Estado e que é o Estado que está em falta para com estes alunos e professores. Os alunos de ensino básico e secundário que frequentam o ensino da musica articulado precisam destas avaliações para concluírem os seus graus de ensino. Os professorem e funcionários que aqui trabalham são necessários e trabalham todos os meses, mas nem em todos os meses recebem salário para pagar as suas rendas e compromissos financeiros.

O Bloco de Esquerda de Almada e a Coordenadora Distrital de Setúbal expressaram à Academia de Almada, professores, alunos e pais, toda a solidariedade perante esta situação inaceitável e o compromisso de continuar a pressionar o Governo e denunciar esta situação a nível parlamentar e autárquico.

A delegação do Bloco foi composta por Joana Mortágua, da Coordenadora Distrital, pelos autarcas Carlos Guedes, Pedro Oliveira e Nuno Moreira, e ainda pelos dirigentes concelhos Luis Filipe Pereira, Helena Nunes e Almerinda Bento. Esta delegação foi recebida pelos Professores e dirigentes da AMA Fernando Pavão, Susana Batoca e Sílvia Sobral.

Fonte - BE

21.01.2015 - 21:10

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.