Conta Loios

bastidores

Autarcas da Assembleia Municipal do Partido Socialista
Acusam a CDU de estar indisponível para dar oportunidades aos concelho da Moita

Autarcas da Assembleia Municipal do Partido  Socialista <br />
Acusam a CDU de  estar indisponível para dar oportunidades aos concelho da Moita A construção do aeroporto complementar na BA6 Montijo é também a única que se apresenta como financeiramente comportável. A construção de um aeroporto único teria um custo que o país não tem neste momento condições para suportar.

Para o PS Moita não basta, porém, que a solução adotada seja exequível em tempo útil para dar resposta às necessidades do país e adequada às condições económico-financeiras. O desenvolvimento não se pode fazer a qualquer custo.

Nota à Imprensa
Autarcas da Assembleia Municipal do Partido Socialista acusam a CDU de estar indisponível para dar oportunidades aos concelho da Moita

Realizou-se, na passada segunda feira, uma reunião extraordinária da Assembleia Municipal da Moita, com o objetivo de abordar o Estudo de Impacto Ambiental sobre o novo aeroporto, no Montijo.

Em discordância com as posições manipuladoras dos autarcas da CDU Moita, corroboradas pelo PSD mais comunista que se conhece, o da Moita, e perante o desnorte nacional deste Partido, os autarcas socialistas recusaram a posição escrita apresentada e apresentaram um declaração de voto que se transcreve.

Os eleitos apresentaram ainda, de forma pormenorizada , a sua posição sobre o assunto - em documento que se junta - e que fizeram, hoje, chegar, via email, à Agência Portuguesa do Ambiente, no âmbito do processo de auscultação pública.

18 de setembro de 2019


DECLARAÇÃO DE VOTO de VENCIDO

A realidade do esgotamento da capacidade aeroportuária na cidade de Lisboa é hoje indisputável. Em face do aumento de tráfego aeroportuário que se verificou nos últimos anos, o Aeroporto Humberto Delgado não é hoje capaz de dar resposta à procura. A situação atual é prejudicial ao crescimento económico do país, pelo que se impõe a necessidade de lhe dar uma resposta adequada. E para o PS Moita, a solução a adotar tem de cumprir três requisitos essenciais: a urgência, as condições económico-financeiras e a minimização e compensação dos impactes. Só uma solução que cumpra estes três requisitos defende efetivamente o interesse público.

Face à urgência de encontrar uma resposta para a saturação do Aeroporto Humberto Delgado, a opção pela construção de um aeroporto complementar é a única que permite cumprir este requisito, dado que a construção de um aeroporto único demoraria mais de uma década a concluir, com enormes prejuízos para o país. Essa não é uma solução realista. Assim, e tendo sido estudadas várias hipóteses para a construção de um aeroporto complementar, a BA6 Montijo apresenta-se como a única hipótese viável, porque é a única compatível com o Aeroporto Humberto Delgado.
A construção do aeroporto complementar na BA6 Montijo é também a única que se apresenta como financeiramente comportável. A construção de um aeroporto único teria um custo que o país não tem neste momento condições para suportar. Para além do custo da infraestrutura aeroportuária, a opção pelo Campo de Tiro de Alcochete implicaria sempre a construção de um conjunto significativo de acessibilidades, sem as quais o aeroporto não teria viabilidade económica, dada a distância dessa localização a Lisboa. Pelos elevados custos com acessibilidades e ainda com a sua desmilitarização também não existem condições económicas e financeiras para a construção inicial de um aeroporto no Campo de Tiro de Alcochete.

Para o PS Moita não basta, porém, que a solução adotada seja exequível em tempo útil para dar resposta às necessidades do país e adequada às condições económico-financeiras. O desenvolvimento não se pode fazer a qualquer custo. É decisivo pois que esta opção não comporte impactes negativos que sejam irreversíveis, não minimizáveis ou compensáveis. E a avaliação do Estudo de Impacte Ambiental é de que a construção do aeroporto na BA6 do Montijo cumpre esta imprescindível condição. Assim, é uma exigência do PS Moita a adoção de medidas minimizadoras dos impactes negativos identificados e de medidas compensatórias que contribuam para garantir que o concelho da Moita é valorizado, como todas aquelas que expusemos durante a discussão do tema, nesta reunião de Assembleia Municipal.
Esta é a posição que efetivamente defende as populações e acautela os interesses do nosso Concelho e não a posição irredutível da CDU, que sendo contra, se tem mostrado indisponível para reivindicar as medidas que efetivamente fariam a diferença na vida das pessoas.

Para o PS Moita a construção do aeroporto na BA6 do Montijo tem todas as condições para ser um motor de desenvolvimento para a região e em particular para o concelho da Moita, e a construção de um novo aeroporto na Península de Setúbal abre uma janela de oportunidade que, aliada a uma estratégia de desenvolvimento, nos pode fazer sair do ciclo de estagnação económica em que vivemos há demasiado tempo. Para o Partido Socialista não aproveitar a construção de uma infraestrutura com estas caraterísticas para atrair para o concelho da Moita a inovação e o investimento que este necessita para finalmente se desenvolver seria um enorme erro. O concelho da Moita tem um imenso potencial de crescimento, e aproveitar as oportunidades deste projeto é dar um passo decisivo para cumprir esse potencial, pelo que não acompanhamos a posição colocada a votação.

16 de setembro de 2019

19.09.2019 - 14:05

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.