Conta Loios

bastidores

Comissão Concelhia da Moita do Partido Comunista Português
Critica a decisão dos Transportes Sul do Tejo

Comissão Concelhia da Moita do Partido Comunista Português <br />
Critica a decisão dos Transportes Sul do Tejo Os recentes acontecimentos, com a decisão de corte de carreiras por parte dos TST, só foram travados e revertidos graças à luta e contestação dos utentes e das autarquias CDU.

COMUNICADO
PCP Moita critica a decisão dos Transportes Sul do Tejo

A Comissão Concelhia da Moita do Partido Comunista Português critica veementemente a decisão unilateral dos TST de supressão e alteração de carreiras, e em particular a carreira 333.

O novo quadro legislativo, que entrega à AML e aos municípios a responsabilidade de gestão dos transportes rodoviários de passageiros no seu território e, acima de tudo, a implementação do novo passe social, abriram campo a uma nova fase na política de transportes onde se verifica um aumento significativo do número de passageiros transportados, em total contraste o decréscimo que se vinha a verificar ao longo de muitos anos de desinvestimento e aumento de preços.

Esta nova realidade é incompatível com atitudes unilaterais de uma empresa privada de capitais transnacionais, demonstrando mais uma vez a necessidade de o serviço público de transportes ser prestado por empresas públicas.

O PCP tem ao longo das últimas décadas um trabalho inegável na defesa do serviço público de transportes, na defesa e reforço das empresas púbicas de transportes, na exigência do fim das concessões a privados, na proposta de investimentos em novas estruturas e reforço de meios, sempre tendo em vista a melhoria da oferta e da qualidade de serviço prestado às populações.

Os recentes acontecimentos, com a decisão de corte de carreiras por parte dos TST, só foram travados e revertidos graças à luta e contestação dos utentes e das autarquias CDU. Os passos que tem sido dados por parte da empresa, não correspondem à real necessidade dos utentes, que deveria ir no aumento da oferta e não na redução da oferta.

Foi o PCP que propôs este novo modelo de um passe social intermodal, para todos os operadores, todas as carreiras, toda a área metropolitana e, como sempre, o PCP estará ao lado da população na defesa do seu direito aum serviço público de transportes de qualidade. Estaremos atentos porque uma situação destas não se pode repetir, para que não se volte para trás, porque avançar é preciso!

Secretariado da Comissão Concelhia da Moita do PCP,
Alhos Vedros,
07/01/2020

07.01.2020 - 20:55

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.