Conta Loios

bastidores

Palmela - Faurécia empresa do Parque da Autoeuropa
prepara-se para despedir uma centena de trabalhadores temporários

Palmela - Faurécia empresa do Parque da Autoeuropa <br />
prepara-se para despedir uma centena de trabalhadores temporários A Faurécia, empresa do Parque da Autoeuropa após reunião com a Comissão de Trabalhadores, anunciou que face aos índices de produção estimados irá avançar para a rescisão de contratos de trabalho temporários com 100 trabalhadores, a juntar aos mais de 600 trabalhadores já despedidos no Parque da Autoeuropa.

Esta decisão, demonstra a estratégia até agora adotada pelas grandes empresas, de opção pela via mais fácil e barata de exploração de mão-de-obra nos tempos de crise que vivemos, ao abrigo do lay-off simplificado e ao arrepio dos direitos dos trabalhadores. A onda de despedimentos no distrito de Setúbal vem agravar ainda mais uma situação que já era difícil e poderá significar uma crise de proporções colossais.

O Bloco de Esquerda tem defendido desde o início da crise que a manutenção do emprego, designadamente através da proibição de fazer cessar contratos ou de despedir trabalhadores,deveria ser uma condição obrigatória para a atribuição de qualquer apoio às empresas e propôs que fosse aprovada uma norma geral de proibição do despedimento com efeitos retroativos a 18 de março. Proposta que foi rejeitada pelo Partido Socialista com os votos da direita (PSD, CDS e IL).

O Bloco de Esquerda continua também a bater-se por medidas de urgência na defesa do salário e do seu pagamento integral mesmo em situação de lay-off e de proteção da segurança social e das pensões, garantindo as transferências necessárias do Orçamento do Estado, para que a sustentabilidade da segurança social não seja posta em causa.

A Faurécia é uma empresa francesa com mais de quatro mil funcionários em seis fábricas e dois centros tecnológicos em Portugal e está entre os 10 maiores fornecedores do setor automóvel, possuindo mais de 100 unidades fabris estando presente em 28 países.

Uma empresa com esta dimensão não pode invocar volumes de produção para despedir trabalhadores após um mês de dificuldades de produção. Ao setor privado da economia também se exige um esforço que deve ser conjunto e não apenas suportado pelos trabalhadores e pelo estado social.

A Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Setúbal manifesta a sua solidariedade com todos os trabalhadores da Faurécia e com os seus representantes e o compromisso de que continuará a lutar para que ninguém fique para trás.

Setúbal, 30 de Abril de 2020

30.04.2020 - 14:07

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.