Conta Loios

bastidores

Travessia fluvial Barreiro - Lisboa constantes incumprimentos
Bloco de Esquerda questiona governo sobre supressão de carreiras e horários da Soflusa

Travessia fluvial Barreiro - Lisboa constantes incumprimentos <br />
Bloco de Esquerda questiona governo sobre supressão de carreiras e horários da Soflusa Os barcos da Soflusa servem a população do Barreiro através das ligações fluviais que atravessam o rio Tejo. O papel destes transportes marítimos é essencial no dia-a-dia de milhares de pessoas abrangidas por estas travessias que não dispõem de alternativas viáveis.

Têm existido vários constrangimentos nas referidas travessias, em particular as que dizem respeito à supressão de carreiras verificada na travessia fluvial Barreiro-Lisboa, devido a constantes supressões e incumprimentos diários dos horários. Utilizadores que residem no Barreiro a escassos minutos do terminal fluvial veem-se obrigados a recorrer a viatura própria e a transportes alternativos.
A agravar a situação, desde pelo menos 2016 que o número de embarcações e trabalhadores afetos ao transporte não é suficiente, resultando numa fraca capacidade em suprir a procura. Até à data, não se verificaram melhorias ao nível do serviço, com falta de investimento quer nos quadros de pessoal quer em material circulante.

Apesar do anúncio de 10 milhões de euros por parte do Ministério do Ambiente para a realização de um investimento no plano de renovação das frotas para o ano 2017. Em 2019, o primeiro-ministro António Costa anúncia o lançamento de um concurso para a aquisição de dez novos navios para a Softlusa/Transtejo, num valor de 90 milhões. Adicionalmente, entre 2020 e 2022, a Soflusa estaria autorizada pelo Ministério das Finanças e pelo Ministério do Ambiente e Ação Climática, a destinar dez milhões de euros, no serviço de manutenção e recuperação global dos navios que utiliza para transporte de passageiros entre o Barreiro e Lisboa.
Apesar da alegada intenção de aumentar o investimento, mantêm-se notórias as falhas graves em termos de embarcações disponíveis, quer por falta de adequado plano de manutenção, quer por ausência de um plano de renovação e modernização da frota e do quadro de trabalhadores no médio e longo prazo.

Por estas razões, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda dirigiu ao Governo, através do Ministério do Ambiente, se tem o Governo conhecimento das sucessivas supressões de carreiras e horários das embarcações da Soflusa? E sabendo da premência do reforço das frotas, qual o prazo previsto para a reposição das embarcações?
A Soflusa e o Governo têm que responder a todos utilizadores perante a continuação destas falhas graves de embarcações disponíveis, de manutenção da frota existente, renovação e modernização da frota e do quadro de trabalhadores no médio e longo prazo.


Fonte - Bloco de Esquerda / Distrital Setúbal

30.06.2022 - 15:15

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2022 Todos os direitos reservados.