Conta Loios

colunistas

A realidade virtual e a fantasia do PS Moita
Por Nuno Cavaco
Moita

A realidade virtual e a fantasia do PS Moita<br />
Por Nuno Cavaco <br />
Moita Nos últimos 4 anos o governo e a administração central não fizeram uma única obra digna desse nome no concelho da Moita! Deixando degradar o parque escolar à sua responsabilidade e as condições de trabalho de muitos funcionários públicos.

Temos assistido ao longo dos últimos anos por parte de eleitos e dirigentes do PS Moita a construção de uma narrativa que coloca o concelho da Moita como um dos piores do país. Dizem os senhores que estamos na cauda do distrito, que somos dos mais pobres, que somos dos menos capacitados e que portanto é preciso mudar. Mudança, palavra tão fácil de dizer e que só por si é o equivalente a uma mão cheia de nada. Mas vejamos, nem somos os melhores, nem somos os piores. Não vivemos nem no paraíso, nem vivemos no inferno.

As restantes forças políticas não acompanham o Partido Socialista neste caminho. Bloco de Esquerda, Partido Social Democrata, CDS e PAN muitas vezes, não deixando de apontar as suas diferenças, umas obvias e outras nem tanto, aprovam as opções propostas pela CDU nas autarquias do concelho da Moita. Num sentido totalmente diferente, o PS vota contra abstêm-se em projectos da maior importância para o desenvolvimento do concelho, como foi o caso das Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2020 da Câmara Municipal da Moita, do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano ou até do Plano de Repavimentações, apesar de dizer desavergonhadamente que CDU está a executar aquilo que o PS propõe. Se assim fosse, porque não vota favoravelmente? A única conclusão é que é contra desenvolvimento da nossa terra.

Quem fala tanto de mudança e não muda, convenhamos, não é exemplo a seguir.
Do ponto de vista dos serviços autárquicos prestados à população do concelho da Moita, ou seja, dos serviços da responsabilidade das autarquias, o nosso concelho da Moita não perde para nenhum dos outros na Área Metropolitana de Lisboa, antes pelo contrário. Os equipamentos escolares do 1º ciclo do ensino básico, o abastecimento de água, o saneamento urbano, a limpeza urbana ou a recolha de resíduos sólidos urbanos, são exemplo disso, serviços iguais ou melhores do que os prestados nos restantes concelhos da Área Metropolitana de Lisboa a um custo mais baixo para os munícipes.

O mesmo se pode dizer das obras, eventos e atividades.
Não podemos dizer o mesmo no que toca aos serviços, obras, eventos e atividades prestados pela Administração Central. Os equipamentos escolares do 2 e 3 ciclo não recebem obras significativas há muitos anos no nosso concelho, as forças de segurança, que apesar de serem da total responsabilidade do governo central, têm as suas esquadras e os seus quartéis em edifícios do município apesar de sucessivos governos terem prometido quer o Quartel da GNR da Moita, quer a Esquadra da Polícia para a Baixa da Banheira. Deixo o Centro de Saúde da Baixa da Banheira para o fim, mas refiro a ausência de obras e má manutenção nos restantes Centros de Saúde do Concelho da Moita.
Nos últimos 4 anos o governo e a administração central não fizeram uma única obra digna desse nome no concelho da Moita! Deixando degradar o parque escolar à sua responsabilidade e as condições de trabalho de muitos funcionários públicos.

Não responderam a questões centrais como a habitação e a mobilidade das pessoas. Dou o exemplo da Ponte de Pedra na Baixa da Banheira em que mesmo depois das autarquias sugerirem um trabalho conjunto, o que recebemos foi desprezo, e o caso da habitação, dado que tendo o Instituto da Habitação tutelado pelo governo perto de uma centena de habitações em carteira não as coloca ao serviço da população, apesar de centenas de pedidos e de situações dramáticas a que todos assistimos.
Agora sim, o Centro de Saúde da Baixa da Banheira, que depois de uma luta de dezenas de anos e depois de várias promessas ainda não está feito! E não está feito porque o PS promete muito mais do que faz. Prometeram o Centro de Saúde para 2018. Médicos de família para todos! Não fizeram e ainda culpam a CDU. Não fosse a gestão da CDU nas autarquias do concelho da Moita e o Centro de Saúde da Baixa da Banheira continuaria a ser uma vaga promessa pois a Câmara Municipal cedeu o terreno, pagou alguns projetos, será a dona da obra e ainda fará os arranjos exteriores, mesmo que a saúde seja uma competência exclusiva do governo e que seja financiada com o dinheiro dos nossos impostos que na sua maioria ficam nos cofres geridos pelos sucessivos governos, para serem regularmente entregues a bancos privados falidos.

No que toca à democracia e à construção da mesma, a Junta de Freguesia que presido desenvolve o programa, “Eu conheço e participo!”, que promove a discussão pública das opções a tomar pela autarquia e do respetivo orçamento. Neste âmbito foram realizadas 4 reuniões públicas onde participaram

94 pessoas e 17 instituições, as quais contribuíram com 12 propostas, que foram devidamente enquadradas. Nenhuma foi do PS ou de eleitos do PS. Lamento dizer, mas o PS não apresentou nenhuma proposta, nenhuma solução para nenhum problema desta terra, pois não compareceu a nenhuma das sessões.

A realidade é esta!

Nuno Cavaco
Presidente da Junta de Freguesia da União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira

28.11.2019 - 19:58

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.