Conta Loios

colunistas

A propósito do Natal
Por Jorge Fagundes
Barreiro

A propósito do Natal<br />
Por Jorge Fagundes <br />
Barreiro Na generalidade, o Natal cristão associado ao reencontro de familiares dispersos por muitas e variadas terras continua a ser celebrado, embora o significado tradicional de Família não seja o mesmo de outras eras.
Por isso é que existem hoje, e cada vez mais, muitos Pais e muitas Mães órfãos dos seus próprios filhos!

A partir do século IV o dia 25 de Dezembro passou a ser, oficialmente, a data comemorativa do nascimento de Jesus Cristo.
Até então, por não se saber a data certa desse nascimento, era este celebrado em datas diferentes.
Ao longo dos anos muita evolução se tem verificado nas comemorações natalícias com visível apagamento das suas características de natureza cristã e familiar em benefício de um crescente sentido materialista.

No século XIII S. Francisco de Assis teve a ideia de recrear, ao vivo, o cenário do nascimento de Jesus, com uma manjedoura, os animais, os reis Magos, o Menino, a Virgem Maria e S. José.
Esta recreação deu origem aos Presépios, uma das decorações natalícias presentes em muitas casas.

Mais tarde, na Alemanha, no século XVI, e consta que por iniciativa de Martinho Lutero, surgiu a tradição da árvore de Natal que se veio a espalhar pelos vários continentes.
Associado ao Natal aparece, muito mais tarde, a figura do Pai Natal, julga-se que inspirada em S. Nicolau, bispo nascido na Turquia no século III.

Em 1931, a Coca-Cola, numa campanha publicitária, apresentou o Pai Natal vestido de vermelho e branco, curiosamente (?) as cores daquele refrigerante.
Foi um sucesso a nível mundial que ainda hoje se mantem!

Na generalidade, o Natal cristão associado ao reencontro de familiares dispersos por muitas e variadas terras continua a ser celebrado, embora o significado tradicional de Família não seja o mesmo de outras eras.

Por isso é que existem hoje, e cada vez mais, muitos Pais e muitas Mães órfãos dos seus próprios filhos!
E será mero sinal dos tempos a existência de muito boa (?) gente em cujos calendários só existe o mês de Dezembro – o mês do Natal- para se lembraram que existem famílias carenciadas e muitos seres humanos na condição de sem abrigo?

08.12.2019 - 12:56

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.