Conta Loios

bastidores

JSD do Seixal acusa CDU do Seixal
Mantém uma postura de total incapacidade de aceitar opiniões

JSD do Seixal acusa CDU do Seixal<br>
Mantém uma postura de total incapacidade de aceitar opiniões Pedro Sousa, Presidente da JSD Seixal, na reunião da Assembleia de Freguesia do Seixal, salientou que em «todas as moções apresentadas por outras forças políticas, a CDU, através dos seus eleitos, manteve uma postura de total incapacidade de aceitar opiniões que não as suas, chumbando em bloco todas as propostas apresentadas, muitas vezes sem uma discussão relevante das mesmas, independentemente do tema focado e facilidade de execução das propostas».

Divulgamos o texto da Comissão Politica da Secção do JSD do Seixal :

Presidente da JSD Seixal tece severas críticas à democracia na Assembleia de Freguesia

SEIXAL, 3 de Janeiro de 2011 – No dia 29 de Dezembro de 2010, em Assembleia de Freguesia Ordinária do Seixal, o único eleito do PSD e Presidente da JSD do Seixal, Pedro Sousa, fez um balanço do primeiro ano de mandato como membro eleito, bem como uma reflexão do trabalho desenvolvido pela Assembleia, onde teceu duras críticas à bancada da CDU face ao respeito pelo trabalho da oposição: «Com a conclusão do primeiro ano de mandato, e não obstante o respeito e as boas relações institucionais que mantém com todos os membros da Assembleia e da Junta de Freguesia do Seixal, é com bastante pesar que o PSD faz um balanço de total não cooperação por parte dos eleitos da maioria vigente na persecução de uma melhoria efectiva da qualidade de vida no Seixal».
Pedro Sousa salientou que em «todas as moções apresentadas por outras forças políticas, a CDU, através dos seus eleitos, manteve uma postura de total incapacidade de aceitar opiniões que não as suas, chumbando em bloco todas as propostas apresentadas, muitas vezes sem uma discussão relevante das mesmas, independentemente do tema focado e facilidade de execução das propostas».

Num registo introspectivo, o eleito pelo PSD, referiu que, no decorrer do ano, o PSD apresentou em Assembleia um conjunto de «propostas viáveis, exequíveis» e transversais nos temas abordados, focando desde políticas de ambiente, energéticas, políticas de segurança a políticas de juventude. Sublinhou, ainda, tratarem-se de propostas com «noção real das competências inerentes à mesma» (Assembleia de Freguesia).
O autarca afirmou, durante o seu mandato, ter alertado «para o não funcionamento das comissões estabelecidas», mostrando-se sempre disponível para trabalhar nas mesmas a par com os outros eleitos.
Justificou a aprovação do Orçamento de Freguesia como um acto de legitimação dos programas sufragados, considerando a votação do Orçamento por parte do PSD uma acção tomada com «consciência cívica, espírito crítico e respeito pelos ideais alheios», pois, só assim, «a democracia pode funcionar em pleno».
Pedro Sousa afirmou ter esperança que, não obstante os consecutivos chumbos, «as propostas apresentadas acabem por ser aproveitadas pelo Executivo, à semelhança do que aconteceu em Assembleia Municipal com a proposta do PSD de criar um conjunto de bolsas de estudo que, após reprovação da maioria CDU, foi, mais tarde, posta em prática como ideia própria».
O Presidente recém-eleito da JSD Seixal finalizou a sua intervenção referindo que, apesar das contrariedades, o PSD «compromete-se a não desistir de apresentar e defender as suas ideias, independentemente da premissa de reprovação antes mesmo de serem apresentadas, pois este tipo de atitudes são catalisadoras de um espírito de compromisso que o PSD assume perante o Seixal».

A Comissão Política de Secção

3.1.2011 - 22:13

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.