Conta Loios

livros

Santiago do Cacém - 14.º Prémio de Conto Manuel da Fonseca
“101 Contos-de-Bolso” de Maria Teresa Meireles é a obra vencedora

Santiago do Cacém - 14.º Prémio de Conto Manuel da Fonseca<br />
“101 Contos-de-Bolso” de Maria Teresa Meireles é a obra vencedora “101 Contos-de-Bolso” de Maria Teresa Meireles (pseudónimo Navarro) é a obra vencedora da 14.ª edição do Prémio de Conto Manuel da Fonseca, que recebeu a unanimidade do júri, que reuniu dia 10 de setembro, nesta edição estiveram a concurso 54 obras de autores de língua portuguesa.

Os jurados decidiram atribuir o prémio à obra “101 Contos-de-Bolso”, justificando que “no quadro do interesse crescente pelo microconto, em Portugal, a obra vencedora significa um renascimento desta espécie de narrativa, pela concisa explosão de sentidos, entre terna e boa disposição, sinalizando momentos do nosso quotidiano. Temos aqui uma prosa firme, a espaços lírica, sem excessos de linguagem, qual profilaxia em tempos de consumismo também literário.”

Maria Teresa Meireles é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas (Faculdade de Letras de Lisboa), fez Mestrado em Literatura Medieval Comparada e Doutoramento em Literatura Oral e Tradicional (Universidade Nova de Lisboa (UNL) - Faculdade de Ciências Sociais e Humanas). Foi Consultora para as Palavras Andarilhas de Beja; Diretora da coleção «Redes e Enredos»; Membro do IELT (Instituto de Estudos de Literatura Tradicional), da UNL; Membro do IBBY (International Board on Books for Young People). Manteve, durante um ano, uma crónica semanal - «Dicionário Íntimo» - no jornal «Semmais». Participa em Encontros e Conferências; dinamiza cursos e oficinas nas áreas da Literatura Tradicional e Literatura de Autor. Autora de várias obras, entre elas: «Elementos e Entes Sobrenaturais nos Contos e Lendas»; «A Partilha da Palavra nos Contos Tradicionais»; «Os Dez Mandamentos do Conto». «B.I. da Serpente»; «B.I. dos Sapos e Rãs»; «B.I. de Ratos, Ratinhos, Ratões e Ratazanas»; «Mirabilia» «A Arca dos Contos»; «A Troca: Perdas e Permutas nos Contos Tradicionais»; «Quem isto ouvir e contar em pedra se há de tornar».

A autora já tinha sido distinguida com uma menção honrosa na 12.ª edição e 2.ª menção honrosa na 13.ª edição do Prémio de Conto Manuel da Fonseca. Neste ano de 2022 foi também agraciada com o Prémio Alves Redol.

O júri deliberou, ainda, atribuir duas menções honrosas, também por unanimidade: a primeira, ao original “Histórias de homens e mulheres”, da autoria de Ana Filipa de Sousa Marques (sob o pseudónimo Ana Eme) e, a segunda, à coletânea de contos “Fantasia de Cronos”, da autoria de Lídia Henrique Ferreira Vale (sob o pseudónimo Pedro d’Alba).

Ao criar o Prémio de Conto Manuel da Fonseca, o Município de Santiago do Cacém presta homenagem ao grande escritor santiaguense, figura incontornável da literatura portuguesa, e à sua obra, sobretudo através da forma narrativa do conto, em que o autor revelou toda a sua excelência. E, simultaneamente, contribui para a revelação de novos criadores em língua portuguesa. O Prémio distingue uma coletânea de contos originais, por autor maior de idade, natural de qualquer país que integre a comunidade lusófona.

O primeiro prémio do concurso recebe um valor pecuniário de quatro mil euros e a obra será editada pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém. A cerimónia pública de entrega do Prémio está prevista acontecer dia 15 de outubro, em Santiago do Cacém.

22.09.2022 - 15:09

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2022 Todos os direitos reservados.