Conta Loios

conversas de 2 minutos

Passageiros indignados com acontecimentos diários nas Ligações Barreiro - Lisboa
«Há uma onda crescente de indignação»

Passageiros indignados com acontecimentos diários nas Ligações Barreiro - Lisboa<br>
«Há uma onda crescente de indignação». O que está aqui em causa é a imagem do Barreiro

. Novo passe está a evitar que a situação fique pior

“A edilidade tem que agir mais, a Câmara deve colocar-se ao lado da população, é preciso pressionar para que haja diálogo entre entidades de forma a resolver esta crise”, sublinha Luis Batista, numa conversa com o jornal «Rostos».

Luis Batista, natural do Barreiro, diariamente, viaja entre as duas margens, tem vivido de perto situações dramáticas, numa recente reunião pública da Câmara Municipal do Barreiro, no período de intervenção do público, expressou as suas preocupações com os acontecimentos.
“Isto a continuar, com o agravar de situações, está a ficar explosivo. Podemos vir a ter noticias piores a propósito das situações que se vivem diariamente nas ligações entre o Barreiro e Lisboa”, comentou ao jornal «Rostos».

Situação contribui para denegrir quem vive no Barreiro

“Há uma onda crescente de indignação. Escutam-se ameaças.”, refere Luis Batista.
Recorda que um destes dias alguém comentava: “na minha terra isto resolve-se de outra maneira, nota-se que as pessoas estão a ficar iradas com tudo isto, porque sentem que há desrespeito pelos passageiros”.
“O que está aqui em causa é a imagem do Barreiro. Esta situação só está a contribuir para denegrir quem vive no Barreiro. Há pessoas que começam a ter os seus empregos em causa. Há jovens que estão a ficar desempregados. São 32 mil trabalhadores que estão diariamente dependentes da SOFLUSA.”, salienta Luis Batista.

O novo passe permite alternativas

“O novo passe de 20 euros, está a evitar que a situação fique pior. Se ainda existisse o passe antigo isto já tinha atingido a violência. O novo passe permite alternativas e que haja alguma mobilidade”, refere.
“A edilidade tem que agir mais, a Câmara deve colocar-se ao lado da população, é preciso pressionar para que haja diálogo entre entidades de forma a resolver esta crise”, sublinha Luis Batista.

Precisamos de paz na nossa vida diária

No decorrer da nossa conversa recorda diversas situações que geram descontentamentos, de tal forma que já se registaram invasões pontões, intervenções da Policia Maritima, que não tem condições para resolver as situações.
Recorda o dia que o Mestre do barco disse: “O barco só sai quando estiver tudo sentado” e que de imediato os passageiros levantaram-se – “era um protesto”.
Luis Batista está indignado, sublinha que ele é uma voz, entre muitas vozes, que desejam que tudo isto termine – “precisamos de paz na nossa vida diária”.

18.07.2019 - 20:42

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.