Conta Loios

as empresas

Travessia fluvial do Tejo não exige validação de título de transporte
A partir de 2a feira e tem novos horários

Travessia fluvial do Tejo não exige validação de título de transporte <br />
A partir de 2a feira e tem novos horários A partir de segunda-feira, 23 de março de 2020, nas viagens realizadas em qualquer uma das cinco ligações fluviais da TTSL – Transtejo Soflusa não é exigida validação de título de transporte.

A partir de 23 de março, deixa de ser obrigatória a validação do título de transporte e o passageiro tem, apenas, de empurrar o torniquete, com o corpo, para poder entrar na sala de embarque.

A partir de segunda-feira, 23 de março de 2020, nas viagens realizadas em qualquer uma das cinco ligações fluviais da TTSL – Transtejo Soflusa não é exigida validação de título de transporte.

Com o objetivo de limitar, ao máximo, o contacto de cada passageiro com equipamentos e superfícies, existentes ao longo de toda a sua experiência de viagem, a TTSL avançou com o desbloqueio dos torniquetes de acesso ao embarque, em todos os terminais e estações fluviais.

A partir de 23 de março, deixa de ser obrigatória a validação do título de transporte e o passageiro tem, apenas, de empurrar o torniquete, com o corpo, para poder entrar na sala de embarque.

Não obstante ter assegurado a desinfeção de todos os terminais, estações e frota, através da aplicação especializada do Microbe Shield Z-71, da Zoono, a operadora responsável pelo transporte público fluvial do Tejo, decidiu reforçar o seu Plano Contingência: COVID-19, com mais esta medida.

No mesmo dia, 23 de março, também entram em vigor novos horários, em todas as ligações fluviais, resultantes do ajuste da oferta ao atual estado de emergência do país.

Os novos horários, disponíveis em Notícias ttsl.pt, foram definidos tendo em conta o cumprimento do limite de passageiros transportados em cada viagem: 1/3 da lotação do navio.
Uma medida que visa garantir a indispensável distância social de segurança entre passageiros e tripulações.


Estas duas novas medidas vêm juntar-se ao conjunto de várias outras, tomadas pela TTSL, desde 5 de março até hoje – 20 de março -, em prol dos seus passageiros, trabalhadores e colaboradores, no âmbito da prevenção, proteção e combate ao coronavírus:

• Criação e ativação do Plano de Contingência;
• Criação de áreas de isolamento equipadas com os respetivos kits de proteção;
• Distribuição de solução gel desinfetante, por navio e por bilheteira;
• Distribuição de kits de proteção às tripulações, aos agentes comerciais bem como aos vigilantes;

• Disponibilização de conteúdos oficiais sobre a COVID-19, nas plataformas internas e nos postos de trabalho, a fim de divulgar corretamente as medidas de prevenção e proteção junto dos trabalhadores TTSL;

• Reforço da limpeza e desinfeção de superfícies no interior dos navios com maior frequência de contacto, como sejam varões e corrimãos, realizada em vários momentos do dia, entre as 7:00 e as 20:00 horas (intervenção extra);

• Intensificação dos procedimentos de limpeza e desinfeção diários dos espaços dos terminais e estações fluviais, dando especial atenção às superfícies e equipamentos de maior utilização (obliteradores, torniquetes, máquinas automáticas de venda de títulos);

• Reforço da informação ao cliente sobre a COVID-19, a partir de 12 de março, com vista a promover a prevenção do contágio e transmissão da doença. Designadamente, através de mensagens nos painéis digitais existentes nos terminais e estações fluviais, de avisos afixados nos terminais e frota, bem como avisos online ativados no site institucional e na App TTSL;
• Encerramento das instalações sanitárias (WC) existentes nos navios, a partir de 14 de março;

• Encerramento dos Espaços Cliente, existentes nos terminais fluviais do Cais do Sodré e do Terreiro do Paço, passando a fazer-se apenas apoio por correio eletrónico (a partir de 16 de março);

• Encerramentos dos bares a bordo dos navios, a partir de 16 de março;
• Início do regime de teletrabalho, destinado aos trabalhadores não operacionais, a partir de 16 de março;

• Realização de ações especiais de desinfeção, entre 16 de 18 de março, para reduzir o risco de contaminação e contágio da COVID-19, nos vários espaços e locais do transporte público fluvial, nas quais foi aplicado o produto Microbe Shield Z-71, da Zoono.
Ver notícia online

• Encerramento das bilheteiras presenciais e suspensão das atividades de fiscalização, a partir de 17 de março;

• Início, a 17 de março, de novo procedimento a bordo, com o objetivo de promover o cumprimento da medida de distância social de segurança: Ao início de cada viagem, o Mestre veicula, através do sistema de áudio do navio, uma mensagem de segurança, apelando aos passageiros para que, no momento do desembarque, mantenham uma distância mínima de segurança, de 1 metro, relativamente aos outros passageiros e aos marinheiros;

Sobre eventuais registos do surto de Covid-19 no serviço de transporte público fluvial, damos nota que, até agora, não se registou qualquer caso suspeito relacionado com passageiros nem foi reportado qualquer caso suspeito relacionado com trabalhadores da TTSL – Transtejo Soflusa.

Contudo, a TTSL mantém-se atenta, de modo a garantir o pronto cumprimento das diretrizes emanadas pelas autoridades competentes bem como a aplicação de novas medidas que venham a ser definidas, em resposta a um agravamento do cenário da área metropolitana de Lisboa.

20.03.2020 - 18:01

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.