Conta Loios

as empresas

Desconfinamento do transporte público fluvial do Tejo
Transtejo Soflusa introduz novas medidas no seu Plano de Contingência COVID-19.

Desconfinamento do transporte público fluvial do Tejo<br />
Transtejo Soflusa introduz novas medidas no seu Plano de Contingência COVID-19. Disponibilização de Equipamentos de Proteção Individual nos Terminais fluviais do Barreiro, de Cacilhas, do Cais do Sodré e do Terreiro do Paço, durante a semana de 4 a 8 de maio, de forma a garantir aos passageiros acesso facilitado a máscaras qualificadas e certificadas (cirúrgicas descartáveis e laváveis/reutilizáveis), a soluções antissépticas de base alcoólica e luvas, em máquinas de vending.

As condições de utilização do transporte público fluvial, a vigorar a partir de 3 de maio, foram definidas tendo em conta as orientações do Conselho de Ministros, hoje conhecidas.

Eis as novas medidas TTSL – Transtejo Soflusa para o Estado de Calamidade, em tempo de pandemia COVID-19:

- Reabertura de bilheteiras, no dia 30 de abril;


- Reposição da obrigatoriedade de validação de todos os títulos de transporte e consequente bloqueio do sistema de torniquetes (abertura mediante efetiva e correta validação), a partir de 3 de maio;

- Aumento do limite de passageiros transportados em cada viagem, de 1/3 para 2/3 de passageiros da lotação de cada navio, em todas as ligações fluviais, a partir de 3 de maio;

- Campanha de sensibilização sobre a necessidade de possuir título de transporte válido, de validar o título de transporte e de cumprir com a distância física de segurança, levada a cabo pelas equipas de fiscalização TTSL junto dos passageiros, nos principais terminais fluviais, a partir de 4 de maio;

- Informação sobre o uso obrigatório de máscaras de proteção nos transportes públicos, através dos vários canais de informação e contacto com os passageiros, com reforço da sensibilização para a importância da etiqueta respiratória e das medidas de higiene pessoal, com especial destaque para a higienização das mãos;

- Reforço sistemático da sensibilização sobre a importância do cumprimento da distância física e social de segurança (entre passageiros e entre passageiros e tripulações), desde meados de abril, quer através de mensagens online (site e App), quer através de mensagens de proximidade veiculadas em suporte papel, em suporte digital e em suporte áudio, nos navios, terminais e estações fluviais;

- Disponibilização de Equipamentos de Proteção Individual nos Terminais fluviais do Barreiro, de Cacilhas, do Cais do Sodré e do Terreiro do Paço, durante a semana de 4 a 8 de maio, de forma a garantir aos passageiros acesso facilitado a máscaras qualificadas e certificadas (cirúrgicas descartáveis e laváveis/reutilizáveis), a soluções antissépticas de base alcoólica e luvas, em máquinas de vending.

A par destas novas medidas, mantêm-se ativas medidas já aplicadas durante o Estado de Emergência, a fim de ser assegurada a consistência e eficácia do plano, nomeadamente:

- Difusão de mensagem sobre distância social de segurança dentro dos terminais e estações fluviais e dentro dos navios, no início de cada viagem;

- Perímetro de segurança sinalizado no pavimento de todos os navios, junto a cada portaló;

- Reforço da limpeza e desinfeção de superfícies no interior dos navios com maior frequência de contacto, como sejam varões e corrimãos, realizada em vários momentos do dia, entre as 7:00 e as 20:00 horas (intervenção extra);

- Intensificação dos procedimentos de limpeza e desinfeção diários, semanais e mensais, dos espaços dos terminais e estações fluviais, dando especial atenção às superfícies e equipamentos de maior utilização (obliteradores, torniquetes, máquinas automáticas de venda de títulos);

- Realização de ações especiais de desinfeção, mensalmente, para reduzir o risco de contaminação e contágio da COVID-19, nos vários espaços e locais do transporte público fluvial;

- Encerramento das instalações sanitárias (WC) existentes nos navios;

- Encerramento dos Espaços Cliente, existentes nos terminais fluviais do Cais do Sodré e do Terreiro do Paço, mantendo-se o apoio por correio eletrónico;
- Encerramentos dos bares a bordo dos navios.

Esclarecemos, ainda, em matéria de eventuais aglomerações de passageiros que a lotação dos nossos navios é rigorosamente controlada através de contagem de passageiros, efetuada sempre que transpõem o torniquete para acesso à sala de embarque.

Não obstante este rigor, a contenção de aglomerados de pessoas, tal como o cumprimento da distância física de segurança, tem de ser uma obrigação conjunta, dos passageiros e da empresa.

O transporte fluvial é um modo de transporte de grande capacidade, pelo que apenas com a colaboração e cuidado dos seus utilizadores é possível uma contenção efetiva.
Em situações limite, que desejamos que não ocorram, a empresa poderá ser obrigada a socorrer-se de apoio policial.

02.05.2020 - 13:11

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.