Conta Loios

as empresas

EDP antecipa fecho das centrais a carvão na Península Ibérica

EDP antecipa fecho das centrais a carvão na Península Ibérica A EDP vai antecipar o encerramento das centrais a carvão na Península Ibérica, estando a preparar os respetivos pedidos para a Central de Sines e para a unidade 3 de Soto de Ribera, em Espanha. Em Aboño está em curso um projeto de conversão da central, que prevê a substituição do carvão por gases siderúrgicos nos próximos anos.

No caso da Central de Sines, foi entregue à Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG) esta terça-feira, 14 de julho, uma declaração de renúncia à licença de produção para que possa encerrar a sua atividade em janeiro de 2021. A decisão – enquadrada na estratégia de descarbonização do grupo EDP – foi tomada num contexto em que a produção de energia depende cada vez mais de fontes renováveis. Além disso, com o crescente aumento dos custos da produção a carvão, aliado a um agravamento da carga fiscal, e com a maior competitividade do gás natural, as perspetivas de viabilidade das centrais a carvão diminuíram drasticamente.

A EDP está agora a avaliar o desenvolvimento de um projeto de produção de hidrogénio verde em Sines, em consórcio com outras empresas. “A decisão de antecipar o encerramento de centrais a carvão na Península Ibérica é assim uma consequência natural do processo de transição energética, estando alinhada com as metas europeias de neutralidade carbónica e com a vontade política de antecipar esses prazos”, explica Miguel Stilwell d’Andrade, presidente executivo interino da EDP.

14.07.2020 - 09:02

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.