Conta Loios

as empresas

Comissão Sindical do SITE Sul defende que nas negociações na VW Autoeuropa
Administração deve corresponder às justas reivindicações dos trabalhadores

Comissão Sindical do SITE Sul defende que nas negociações na VW Autoeuropa <br />
Administração deve corresponder às justas reivindicações dos trabalhadores No imediato, as negociações na VW Autoeuropa devem ser retomadas, no sentido de a administração corresponder às justas reivindicações dos trabalhadores, nomeadamente o aumento do salário em 2021, com retroativos a Janeiro, defende a Comissão Sindical do SITE Sul na empresa.

A Comissão Sindical reuniu-se no dia 27 e emitiu um comunicado sobre as suas principais conclusões.

Na avaliação do resultado do referendo ao pré-acordo, realizado nos dias 20 e 21, salienta-se que os trabalhadores mostraram de forma clara a rejeição das propostas da administração, principalmente para que o aumento real do salário em 2021 fosse substituído pelo pagamento de um prémio.

A forma como os trabalhadores da VW Autoeuropa expressaram os seus objetivos foi clara e as negociações devem prosseguir!

Ritmos de trabalho intensos
não é a solução!

A Comissão Sindical reitera que as automações e robotizações das linhas devem servir para criar melhores condições de trabalho, aliviar os ritmos e cargas de trabalho e reduzir progressivamente o horário de trabalho para 35 horas semanais, e não exatamente o contrário, como se verifica.

Os ritmos e cargas de trabalho continuam intensos, apesar das automações feitas em diversas zonas da fábrica. A situação acentua-se quando se aproximam paragens de produção programadas, como é o caso da próxima semana.

Os robots deveriam ser colocados nas estações sinalizadas a vermelho, para evitar doenças profissionais e problemas ergonómicos e para facilitar a produção. É nessas estações que deveriam ser colocados, em vez de eliminarem postos de trabalho.

A par desta situação, o «mix» praticado nas linhas de produção (com mais incidência na Montagem) em nada contribui para a solução, mas sim para o agravamento e aumento de casos de trabalhadores com doenças profissionais e lesões derivadas do trabalho. Como é conhecido, este flagelo já atinge mais de 700 trabalhadores na produção, vítimas destas más práticas da empresa.

Nalguns casos, trabalhadores com muitos anos de serviço vêem-se numa situação difícil, sem um posto de trabalho digno e compatível com as limitações físicas, provocadas pelo esforço intenso exigido para atingir os objectivos impostos pela administração.

Fonte - FIequimetal

31.05.2021 - 00:49

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2021 Todos os direitos reservados.