as empresas

BARREIRO - ADP Fertilizantes, empresa do Grupo Fertiberia
Inaugurou o seu primeiro parque solar para autoconsumo

BARREIRO - ADP Fertilizantes, empresa do Grupo Fertiberia<br />
Inaugurou o seu primeiro parque solar para autoconsumo O parque solar para autoconsumo resulta de um parceria com a EDP e visa o desenvolvimento de uma instalação fotovoltaica de 1,3 MW, numa área de 15.000 metros quadrados, na fábrica do Lavradio da ADP Fertilizantes.
A central cobre 20% do consumo da unidade fabril, reduz a fatura energética e evita a emissão de 390 toneladas de CO2 por ano.

O Grupo Fertiberia - líder europeu na conceção, produção e distribuição de soluções de nutrição vegetal - está a fazer progressos para reduzir as suas emissões para zero até 2035. A empresa está a promover o desenvolvimento de um conjunto de parques solares no perímetro dos seus centros industriais para cobrir parte do seu consumo de eletricidade. Com este objetivo em mente, já deu o primeiro passo nas instalações da ADP Fertilizantes, no concelho do Lavradio, onde acaba de inaugurar uma central fotovoltaica que será capaz de gerar 20% do consumo deste centro industrial com fontes totalmente renováveis.

Esta instalação ocupa uma superfície de 15.000 metros quadrados e dispõe de 2.378 painéis, com uma potência total de 1,3 MW. Para a construção e exploração da central, a ADP Fertilizantes confiou no líder energético português EDP. Graças a esta colaboração, o parque solar foi equipado com os componentes mais eficientes do mercado, de modo a garantir o máximo rendimento energético.
A central de autoconsumo da ADP Fertilizantes evita a emissão de 390 toneladas de CO2 por ano, reduz a fatura de eletricidade em 23% e torna os custos energéticos da fábrica mais previsíveis a longo prazo.

O Grupo Fertiberia é a primeira empresa do setor da nutrição vegetal a comprometer-se a descarbonizar totalmente as suas operações durante a próxima década, através do plano Net Zero. A empresa tem 14 fábricas em Espanha, Portugal e França, 1.600 funcionários e uma rede logística que abrange cerca de 1.000 clientes em 80 países. O primeiro pilar para atingir a meta de emissões zero em todo o seu tecido industrial é liderar o desenvolvimento de hidrogénio e amoníaco verde na Europa (produzido a partir de energias renováveis), o que permite produzir fertilizantes com baixo teor de carbono, que por sua vez contribuem para descarbonizar o sector agrícola.

A empresa já colocou em funcionamento a primeira fábrica europeia de amoníaco e de adubos verdes em grande escala, em Puertollano, onde produz adubos 100% sustentáveis a partir de hidrogénio verde. Trata-se da linha Impact Zero, os primeiros adubos do mundo produzidos a partir de hidrogénio renovável, que também são produzidos na fábrica de Alverca, em Portugal.
O Grupo tem ainda planos para o restantes centros de produção, que participam nos maiores consórcios associados ao desenvolvimento do hidrogénio verde na Península Ibérica, e está a desenvolver dois novos projetos de construção na Suécia e na Noruega.

Paralelamente ao hidrogénio verde, a empresa está a analisar todas as opções para aumentar a eficiência e o consumo de energia a partir de fontes 100% renováveis em todas as suas instalações. "Vamos otimizar a superfície dos nossos centros industriais para aumentar as nossas capacidades de autoconsumo", afirma Javier Goñi, CEO do Grupo Fertiberia. A fábrica da ADP Fertilizantes foi o primeiro investimento nesta linha e "é um projeto com um valor especial, uma vez que permite gerar uma experiência que pode ser transferida para o resto das instalações da empresa e alcançar soluções mais eficazes", diz João Paulo Cabral, CEO da ADP Fertilizantes.

Fonte - ADP

07.06.2023 - 16:43

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2024 Todos os direitos reservados.