Conta Loios

as empresas

Sector da Construção de Setúbal debate com empresários
Setúbal no “centro daquilo que será o desenvolvimento do País nos próximos anos”

Sector da Construção de Setúbal debate com empresários <br>
Setúbal no “centro daquilo que será o desenvolvimento do País nos próximos anos” . Setúbal como cidade de referência do desenvolvimento turístico de toda a zona envolvente – Sesimbra, Palmela e Tróia

A reestruturação dos serviços de urbanismo da Câmara Municipal foi elogiada, ontem à noite, por empresários, num jantar-debate sobre o sector da construção no Concelho, iniciativa que juntou, na Estalagem do Sado, centena e meia de pessoas.

A presidente da Câmara Municipal sublinhou no encontro, promovido pela Associação de Empresas de Construção, Obras Públicas e Serviços (AECOPS) e pela Autarquia, que a reorganização daquele serviço é uma aposta que “está a dar bons frutos” e que é para levar até ao fim no âmbito da modernização e simplificação da gestão urbanística.

A reestruturação não passou despercebida aos empresários

Para isso, adiantou Maria das Dores Meira, estão a ser percorridas etapas como a identificação dos interlocutores e a facilidade no atendimento, coordenação e articulação dos serviços, via verde para projectos de interesse municipal e monitorização dos processos através do controlo do tempo de apreciação.
A reestruturação não passou despercebida aos empresários. “O Departamento de Urbanismo da Câmara está bastante melhor”, afirmou o presidente da delegação de Setúbal da AECOPS, Carlos Costa.
A aposta na modernização e simplificação da gestão urbanística é uma das medidas que Maria das Dores Meira enumerou de contributo para o desenvolvimento do Concelho. Os outros três pilares são uma estratégia de desenvolvimento integrado, um processo de planeamento rigoroso e articulado e uma politica de parcerias para a implementação dos projectos de desenvolvimento.

Setúbal como cidade de referência do desenvolvimento turístico

Esta estratégia que a Autarquia está a implementar baseia-se, por exemplo, em afirmar Setúbal como cidade de referência do desenvolvimento turístico de toda a zona envolvente – Sesimbra, Palmela e Tróia – e em assegurar um desenvolvimento sustentável das actividades económicas em face do potencial paisagístico e natural do Estuário do Sado e do Parque Natural da Arrábida.
“Nós temos tudo aquilo que Tróia não tem. Serra, museus, bibliotecas, peixe, gastronomia. Além disso, tal como Tróia, também temos sol e praia”, frisou Maria das Dores Meira.
A edil acentuou a necessidade de privilegiar parcerias com entidades públicas ou promotores privados para implementação de projectos de desenvolvimento, dando como exemplos alguns já elaborados e outros em preparação, como são os casos do Plano Estratégico de Setúbal Nascente e da candidatura às Redes Urbanas Para a Competitividade e Inovação.
A nível privado, Maria das Dores destacou os estudos urbanísticos desenvolvidos, como os da Quinta de Santo António, o projecto turístico da Herdade da Cabreira, em Azeitão, o pólo comercial de Monte Belo e o Parque Tecnológico da Estefanilha.

Setúbal no “centro daquilo que será o desenvolvimento do País nos próximos anos”

O responsável máximo da AECOPS, Ricardo Gomes, corroborando a autarca, salientou o facto de o distrito de Setúbal estar no “centro daquilo que será o desenvolvimento do País nos próximos anos” e lembrou que a área da construção “está a sair daquela que foi a maior crise de sempre no sector, que durou seis anos”.
Entre os vários exemplos que vêm dar novo alento ao sector da construção contam-se os processos de concurso de infra-estruturas públicas – concessões rodoviárias ao sul do Tejo –, “determinantes para o desenvolvimento do sector no País”, assegurou Ricardo Gomes. Os projectos de turismo residencial têm, também, especial importância, uma vez que alguns dos mais emblemáticos do País se localizam no distrito de Setúbal.
A instalação do novo aeroporto em Alcochete e da Plataforma Logística do Poceirão são outros projectos que vêm mexer com o sector no Concelho.

O distrito “vive um momento histórico”

Com estas perspectivas de desenvolvimento, o distrito “vive um momento histórico”, afirmou a governadora civil, Eurídice Pereira. “Em 33 anos de democracia, o distrito esteve quase sempre associado a um cenário depressivo. Esta é uma inversão da tendência de fatalidade associada à região.”
O encontro contou, ainda, com as participações de empresários, dos vereadores Eusébio Candeias, Ilídio Ferreira e Catarino Costa, e do presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, Fonseca Ferreira, entre outros.

14.2.2008 - 15:38

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.