Conta Loios

personalidades

Setúbal recorda o poeta da Arrábida
90º Aniversário Sebastião da Gama

Setúbal recorda o poeta da Arrábida<br>
90º Aniversário Sebastião da Gama Uma sessão evocativa com deposição de flores na estátua de Sebastião da Gama, em Vila Nogueira de Azeitão, a realizar a hoje dia 10 de abril, de manhã, assinalando o dia em que o poeta completaria 90 anos.

A cerimónia, com início às 09h30, é a primeira iniciativa de um programa comemorativo do 90.º aniversário de Sebastião da Gama, promovido pela Câmara Municipal de Setúbal.

No dia 12, às 15h00, realiza-se um passeio na Serra da Arrábida aos locais que serviram de inspiração literária ao homenageado, com declamação de poemas por Alexandrina Pereira. As inscrições devem ser feitas no Museu Sebastião da Gama, em Vila Nogueira, diretamente ou pelo telefone 212 188 399 ou e-mail museusebastiaodagama@mun-setubal.pt.

À noite há mais duas iniciativas, a primeira das quais, às 21h00, é a inauguração, no Museu Sebastião da Gama, da exposição “Outros Poemas de Sebastião da Gama”. A atividade, que inclui leitura de poemas inéditos, é organizada pela Associação Cultural Sebastião da Gama em parceria com a Autarquia.

O outro evento de dia 12 é um concerto do coro municipal Afina Setúbal e do Coral Infantil de Setúbal, às 21h30, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Fonte - CMS

BIOGRAFIA
SEBASTIÃO DA GAMA

Sebastião Artur Cardoso da Gama nasceu em 10 de abril de 1924, em Vila Nogueira de Azeitão, tendo falecido a 7 de fevereiro de 1952.

Licenciou-se em Filologia Românica, em 1946, na Faculdade de Letras de Lisboa, lecionando provisoriamente, dois anos mais tarde, na Escola Técnica de Setúbal.

“Serra Mãe” foi a primeira obra do poeta, que surgiu em 1945, seguindo-se, nos dois anos sequentes, “Loas a Nossa Senhora da Arrábida” e “Cabo da Boa Esperança”.

No dia 4 de maio de 1951, casou com a amiga de infância Joana Luísa, no Convento da Arrábida, tendo sido a primeira cerimónia ali celebrada.

No mesmo ano surgiu a quarta obra, intitulada “Campo Aberto”.

A 7 de fevereiro de 1952, Sebastião da Gama morre, vitimado por uma tuberculose renal, de que sofria desde a adolescência.

A título póstumo foram publicados, em 1953, “Pelo Sonho é que vamos” e “Lugar de Bocage na Poesia Portuguesa”, este último em resultado de uma conferência proferida em 15 de setembro de 1950, em Setúbal.

“O Diário”, com prefácio de Hernâni Cidade, e “O Segredo é Amar” surgiram em 1958 e 1959, respetivamente.

O último livro editado, “Itinerário Paralelo”, data de 1967.

Em 1999, a Câmara Municipal inaugurou um pequeno museu dedicado ao poeta, em Vila Nogueira de Azeitão.

Neste espaço, onde está também instalado o pólo local da Biblioteca Municipal, figuram o espólio literário e numerosos objetos pessoais de Sebastião da Gama, relacionados com a vida e obra do poeta.

Museu Sebastião da Gama

No edifício do museu Sebastião da Gama, que reúne um significativo espólio do poeta e pedagogo que lhe deu o nome, funciona também um pólo da Biblioteca Pública Municipal.

O museu inclui uma sala destinada ao serviço educativo e ao desenvolvimento de atividades de expressão dramática com crianças, uma exposição sobre Sebastião da Gama e sobre a história de Azeitão.

10.4.2014 - 0:42

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.