Conta Loios

personalidades

Faleceu Lélio Quaresma Lobo
Barreiro Reconhecido na área do Trabalho no ano 2007

Faleceu Lélio Quaresma Lobo <br />
Barreiro Reconhecido na área do Trabalho  no ano 2007Faleceu Lélio Quaresma Lobo, cidadão Barreiro Reconhecido na área do trabalho no ano 2007 e Profissional do Ano do Rotary Clube do Barreiro 2000/2001.

Lélio Quaresma Lobo, natural do Barreiro, era professor jubilado da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Faleceu ontem com 74 anos de idade.

GALARDÃO “Barreiro Reconhecido”
Trabalho

Lélio Quaresma Lobo

O facto de ter nascido e crescido nos tempos áureos do centro industrial que o Barreiro era terá inspirado a opção académica que abraçou e na qual se notabilizou ao longo de 36 anos de carreira.
Lélio Quaresma Lobo é Professor Catedrático de Engenharia Química da Universidade de Coimbra. Jubilado desde Abril de 2006, é, actualmente, membro do Conselho Editorial da Imprensa da mesma Universidade e continua a fazer investigação científica.

Até hoje, em que é, nas suas próprias palavras “um modesto aposentado”, os degraus subidos a pulso foram inúmeros.
Lélio Quaresma Lobo nasce na Rua Heliodoro Salgado, a 28 de Julho de 1942. Aos quatro anos foi viver para a Rua da Praia, actual Avenida Bento Gonçalves e faz a instrução primária no Asilo Dom Pedro V e na Escola Conde Ferreira, e o Secundário, já em Lisboa, no Liceu Passos Manuel. Ingressa no Instituto Superior Técnico e, em 1969,
licencia-se em engenharia químico-industrial.
O início da sua carreira docente universitária acontece em 1970. Saiu do Barreiro rumo a Lourenço Marques, tinha 27 anos, para ser 2º Assistente. Dois anos depois passa a Assistente e em 1975 torna-se presidente do Departamento de Engenharia Química e membro do Senado da Universidade de Lourenço Marques.
Um ano depois dá início aos trabalhos de investigação científica na Universidade de Oxford com vista ao Doutoramento. Em Abril de 1979 faz a defesa da dissertação e tanto quanto sabe, foi o primeiro engenheiro químico português a apresentar comunicações no Encontro Anual do Instituto Americano de Engenheiros Químicos, em 1978 e 1979.
Em Julho de 1979 partiu para Coimbra, onde se radicou, tendo, nessa altura, iniciado os seus serviços no Departamento de Química da Universidade. No final do mesmo ano foi promovido ao lugar de professor associado de química. Em 1983 ocupou um lugar de professor de Engenharia Química, tendo provido, definitivamente, o cargo em 1985.

Nesse ano foi Presidente da Secção Autónoma, mais tarde Departamento de Engenharia Química da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.
Foi Vice-Presidente do Conselho Científico da Faculdade, que viria a presidir durante dez anos. Foi Presidente do Conselho do Departamento e das comissões Executiva e Científica de Engenharia Química da Universidade e membro do Senado da Universidade e das secções de Investigação Científica e de Recursos Humanos.

Em 1988 torna-se, então, Professor Catedrático.
Dez anos depois é candidato a Reitor da Universidade de Coimbra e em 2002 é eleito presidente do Conselho Directivo da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, ocupando o cargo durante quatro anos, em acumulação com as funções de Presidente do Conselho Científico.
Entre os milhares de inscritos na Ordem dos Engenheiros, foi um dos convidados pela Direcção Nacional dos Engenheiros a constituir a Academia de Engenharia Portuguesa.

Em 2000, foi distinguido com o Prémio “Profissional do Ano”, do Rotary Clube da sua terra natal, que continua a recordar mas já não visita tão frequentemente como noutros tempos.
Trazem-no ao Barreiro, além da família, os anuais almoços dos “Rapazes da Praia” e os jantares da Associação Académica.
No Barreiro está associado aos Jogos Juvenis, ao Cine-Clube e a Associação Académica – que guarda vivos na memória e onde vivo também permanece o interesse pela sua terra natal. Isso reflecte-se, até, nos títulos de escritos como “O Asilo de D. Pedro V no Barreiro de há meio século”, “Ensino Superior no Barreiro: Realidade e Ficção” e o prefácio do livro de Armando Teixeira “A Indústria e a Luta em Desenvolvimento”.

Lélio Quaresma Lobo leccionou uma vintena de disciplinas, integrou mais de três centenas de júris de concursos e provas académicas, assinou quatro livros, meia centena de artigos e outras tantas comunicações. Os seus trabalhos contam com mais de trezentas citações científicas internacionais. Milhares de alunos passaram pelas suas aulas.

Pelo seu elevado valor académico e profissional, e contributo para a Ciência, a Câmara Municipal do Barreiro distingue, este ano, Lélio Quaresma Lobo com o Galardão “Barreiro Reconhecido” na Área do Trabalho.

Foro - Diário das Beira

09.06.2016 - 21:20

Imprimir   imprimir

PUB.

PUB.





Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design. Fotografia e Textos: Jornal Rostos.
Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.