Conta Loios

personalidades

No Barreiro
Faleceu Manuel Monteiro poeta popular

No Barreiro<br>
Faleceu Manuel Monteiro poeta popularFaleceu esta madrugada, no Barreiro, Manuel Monteiro, poeta popular. Um homem que cultivou a poesia e a amizade, parte com 85 anos deixando para trás a sua paixão pelas palavras, o seu amor ao Alentejo e ao Barreiro.

O seu corpo está a ser velado na Igreja de Santa Maria, realizando-se o funeral amanhã, pelas 11 horas, para o Cemitério de Vila Chã.

Os seus 85 anos de vida foram décadas de experiências e vivências, uma vida muitas vezes dura, mas que não apagou em Manuel Monteiro a vontade de a viver plenamente. Só depois de abandonar o mundo do trabalho é que este artista começou a dedicar-se com plena paixão à arte popular.
Manuel Monteiro, integrava a TERTÚLIA de POESIA da SFAL e era uma personalidade que marcava, sempre de forma emocionada os encontros de poesia ou as iniciativas culturais onde participava.

A vida de Manuel Monteiro em “pinceladas” largas

Manuel Lourenço Lopes Monteiro nasceu no Alentejo, em Pias, a 30 de Novembro de 1921. Foi quase tudo na vida, daquilo que mais duro esta pode reservar a quem tem direito a vivê-la com dignidade. É por isso que confessa:

“Os meus livros de contos e de poesia têm por base a experiência vivida desde a Aldeia onde nasci, passando pela Vila, até à Cidade. Foi no mundo rural que eu aprendi todos os trabalhos agrícolas (…). Na vila de Pias, onde nasci, aprendi a profissão de carpinteiro de carros. (…) Depois veio a mecanização e a minha profissão morreu. Fui obrigado a emigrar para França. Findo o contrato regressei a casa. Com a minha oficina fechada por falta de clientes, mudei-me para a cidade, empregando-me no Posto Central de Fomento Apícola – Tapada da Ajuda, como carpinteiro e apicultor. Ao fim de três anos, voltei para França para fazer mais uma campanha. Regressado ao Barreiro, estabeleci-me em mobiliário. Já reformado, comecei a escrever. Assim nasceram os meus livros…”

Manuel Monteiro foi autor de livros como “A Herdade e os Pedrosas” (romance), “O Pedro Ninguém” (ficção), “Variantes de um Pensamento” (contos) ou “Sonetos de Amor e Mágoa”.

UMA RECORDAÇÂO DOS ENCONTROS DE POETAS NA SFAL


26.7.2007 - 19:50

Imprimir   imprimir

PUB.

PUB.





Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design. Fotografia e Textos: Jornal Rostos.
Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.