Conta Loios

as escolas

Aliança de Cooperação Escola-Empresa foi ontem assinada no Politécnico de Setúbal
Oficina Lu Ban abre portas às empresas e escolas profissionais

Aliança de Cooperação Escola-Empresa foi ontem assinada no Politécnico de Setúbal <br />
Oficina Lu Ban abre portas às empresas e escolas profissionais O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) foi ontem palco da assinatura de um memorando de entendimento que marca o nascimento da Aliança de Cooperação Escola-Empresa da Oficina Lu Ban Portuguesa, encetando uma nova fase na vida desta oficina tecnológica, inaugurada em dezembro de 2018 no âmbito de uma parceria com o Governo da província chinesa de Tianjin.

Para além do IPS, instituição onde se encontra instalado o referido laboratório de robótica industrial (Indústria 4.0), assinaram também o documento a Escola Vocacional de Mecânica e Eletricidade (TVMEC) de Tianjin, a empresa ELCO – Automação Industrial, a Câmara Municipal de Setúbal, o Instituto Confúcio da Universidade de Lisboa e mais de uma dezena de empresas e escolas de ensino profissional regionais.

“Queremos com esta aliança iniciar uma nova fase, de maior abertura ao exterior, quer às escolas profissionais, quer às empresas”, referiu o presidente do IPS, Pedro Dominguinhos, no início do “Fórum Lu Ban”, seminário que antecedeu a cerimónia de assinatura, sublinhando como grande objetivo do projeto “qualificar mais jovens, mas sobretudo qualificar também um território e tornar mais competitivas as empresas”. Em última instância, o que se pretende, acrescentou, é “trazer os professores e os estudantes das escolas profissionais para dentro da Oficina Lu Ban, para que possam inclusivamente ter aqui aulas regulares”.

No encontro, a comitiva de parceiros de Tianjin apresentou a atividade de empresas como a ELCO e a BENEFO, que operam na área da automação industrial naquela província chinesa, apontando a Oficina Lu Ban Portuguesa, uma das oito instaladas em todo o mundo, como “um ponto de ligação importante entre as empresas portuguesas e chinesas”, a partir do qual “poderão nascer mais oportunidades de cooperação”. “Podemos ter aqui uma cooperação estreita na área da educação vocacional entre China e Portugal, e essa educação depende muito do desenvolvimento e dos apoios das empresas”, referiu o presidente da TVMEC de Tianjin, Zhang Weijin.

Por seu turno, numa apresentação dirigida às empresas presentes, José Lucas, docente da Escola Superior de Tecnologia de Setúbal (ESTSetúbal/IPS) e coordenador da Oficina Lu Ban Portuguesa, elencou as vantagens deste laboratório, enquanto espaço de formação e também de ensaio de soluções para problemas concretos. “Os processos produtivos não são mais do que paradigmas e nós, como temos muitos tipos de processos, podemos reconfigurar os nossos para que possamos simular as condições que as empresas têm nas suas fábricas”, disse.

Finalmente, o “Fórum Lu Ban” deu também a conhecer a perspetiva de dois estudantes que acompanharam este projeto, antes e depois da montagem do laboratório e entrada em funcionamento na ESTSetúbal/IPS. Hugo Frazão, finalista da licenciatura em Engenharia de Automação, Controlo e Instrumentação, realçou a oportunidade de “aprender novos métodos de programação” e também de “aprender um pouco da cultura e da língua chinesa”, cujos rudimentos já domina, depois de um semestre de aulas e de duas visitas a Tianjin. Da segunda viagem, o estudante do IPS regressou inclusivamente com um 2.º lugar na National Vocational Students Skills Competition 2019, atribuído à equipa que formou com um colega chinês, da TVMEC de Tianjin.

10.10.2019 - 20:00

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2019 Todos os direitos reservados.