Conta Loios

as escolas

Setúbal - Protótipo permite acesso integral ao computador por utilizadores com deficiência
Docente do IPS distinguido pelo INR com Prémio de Inovação Tecnológica

Setúbal - Protótipo permite acesso integral ao computador por utilizadores com deficiência <br />
Docente do IPS distinguido pelo INR com Prémio de Inovação Tecnológica Rui Azevedo Antunes, docente do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), foi esta terça-feira, dia 3, distinguido com o Prémio de Inovação Tecnológica Engenheiro Jaime Filipe, promovido pelo Instituto Nacional para a Reabilitação (INR).

O galardão, no valor de cinco mil euros, foi entregue na cerimónia comemorativa do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência 2019, que decorreu em Santarém sob o lema “O futuro é acessível”, contando com as presenças da Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, e da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho.

A distinção, que visa “promover a invenção de equipamentos, instrumentos, utensílios e tecnologias que promovam a autonomia das pessoas com deficiência”, reconheceu o caráter inovador do “Sistema de interface humana para o acesso ao computador”, um protótipo de hardware/software para tecnologia assistiva que permite o acesso integral ao computador a pessoas com necessidades especiais, substituindo o rato, o teclado e o gamepad.

Trata-se, segundo o investigador e docente da Escola Superior de Tecnologia de Setúbal (ESTSetúbal/IPS), de uma criação que pode “mudar a vida” a utilizadores com as mais diversas limitações sensoriais e motoras, na medida em que, neste caso, “é a máquina a adaptar-se ao Homem e não o Homem à máquina”.

O campo de aplicação do protótipo é vasto, cobrindo a assistência a limitações resultantes de tetraplegia, esclerose múltipla, paralisia cerebral, traumatismo crânio-encefálico, lesões vertebro-medulares, distrofia muscular, síndrome do túnel do carpo ou síndrome de Rett. Ou seja, sempre que o utilizador possua “reduzido ou nenhum controlo das suas mãos, encontrando-se impossibilitado de poder utilizar uma Interface Humano-Computador comum”, adianta o docente.

De pequenas dimensões, o dispositivo premiado “pode ser colocado em diferentes partes do corpo humano” e incorpora “um controlador eletrónico, que permite auxiliar e melhorar o desempenho e reduzir o esforço do utilizador com necessidades especiais no acesso ao computador”.

Este prémio representa o “reconhecimento do mérito do trabalho de investigação e desenvolvimento em prol das pessoas com necessidades especiais” e “abre muitas portas”, reconhece o investigador.

06.12.2019 - 10:59

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2020 Todos os direitos reservados.