Conta Loios

as escolas

MANIFESTAÇÃO DOS ESTUDANTES DO BARREIRO
Denunciam as condições que têm nas suas escolas
. «Lutando pela escola que temos direito»

MANIFESTAÇÃO DOS ESTUDANTES DO BARREIRO<br />
Denunciam as condições que têm nas suas escolas<br />
. «Lutando pela escola que temos direito» Uma manifestação com mais de 200 estudantes contou com a participação de diversas escolas do concelho do Barreiro, nomeadamente, da Escola Secundária de Casquilhos, Escola Secundária Alfredo da Silva, Escola Secundária de Santo André, Escola Secundária Augusto Cabrita e Escola Básica da Quinta Nova da Telha.

As nossas escolas estão em más condições e o que nós têm de aguentar quotidianamente é inadmissível

Os estudantes partiram das suas escolas e dirigiram-se para a Câmara Municipal do Barreiro, onde os denunciaram as condições que têm nas suas escolas, bem como a falta de financiamento por parte dos sucessivos Governo.
As palavras de ordem fizeram-se ouvir alto e a bom som nas ruas do Barreiro, marcando as ruas com a presença de estudantes expressando as suas reivindicação e, afirmam - " lutando pela escola que temos direito".

Divulgamos a nota que foi enviada para a nossa redcção:

Ao longo de vários ano lectivos os problemas foram perdurando, com a pandemia do COVID-19 os problemas que sentimos diariamente só foram acentuados colocando em risco a nossa saúde, aprendizagem e formação.
Estamos a sair à rua com responsabilidade, porque sabemos que não podemos continuar a viver o risco da falta de funcionários que resulta na falta de higienização, o risco de respirar partículas dos telhados de amianto e desenvolver uma doença cancerígena, o risco de não aprender devido a falta de professores. Sair à rua com responsabilidade e segurança, a exigir melhores condições para estudar.

As nossas escolas estão em más condições e o que nós têm de aguentar quotidianamente é inadmissível. Os problemas que já existiam antes foram agravados por falta de meios para dar as respostas necessárias à epidemia da COVID-19. A falta de financiamento por parte dos sucessivos governos são a causa de tudo isto é o que nós exigimos é que se dê as condições financeiras para que seja possível resolverem-se os problemas das escolas da região de Setúbal.

É inadmissível a quantidade elevada de alunos por turma e a falta de condições de higienização nas salas de aula verificada em várias escolas, como é o caso da ES Cacilhas-Tejo e da ES Casquilhos. Os estudantes reivindicam também a gratuitidade dos materiais escolares, bem como a urgente retirada do amianto dos telhados, como é o caso da ES Manuel Cargaleiro e da ES Augusto Cabrita.

A Direção Geral da Saúde publicou a seguinte nota acerca do amianto: “(…) A exposição ao amianto pode causar as seguintes doenças: asbestose, mesotelioma, cancro do pulmão (o fumo do tabaco poderá ser uma variável de confundimento, agravando a evolução da doença) e ainda cancro gastrointestinal.”

A falta de obras é flagrante na ES Alfredo da Silva, que não tem obras estruturais há mais de 70 anos e na ES Casquilhos, que nem pavilhão polidesportivo tem.
São vários os serviços em muitas escolas que estão em horário reduzido ou fechado como é exemplo na ES Alfredo da Silva e na ES D.João II. Há escolas sem balnearios abertos e sem acesso as aulas de Educação Física quando o tempo é chuvoso, como é exemplo a ES Santo André.
Responsabilidade é saber que não podemos calar quando diariamente assistimos a estas injustas e não podemos aceitar. Vamos sair à rua com a segurança necessária, mas com o megafone bem levantado, porque sabemos que fazemos parte do futuro e que temos que lutar por ele.

Nota - A próxima ação que os estudantes vão realizar, será amanhã na ES Manuel Cargaleiro às 8h, para denunciar a falta de investimento do actual Governo que coloca consequências graves nas condições humanas e materiais para estudar.

13.05.2021 - 14:26

Imprimir   imprimir

PUB.

Pesquisar outras notícias no Google

Design: Rostos Design

Fotografia e Textos: Jornal Rostos.

Copyright © 2002-2021 Todos os direitos reservados.